Já se conhece os percursos da Liège-Bastogne-Liège e da Flèche Wallonne 2017

Pódio da Liège-Bastogne-Liège 2016 (Foto: Tim de Waele/TDWSport.com)
As clássicas da primavera estão quase, quase a começar (podem ver o nosso guia aqui). Esta é uma das alturas mais aguardada pelos adeptos da modalidade.
A ASO já tinha dado a conhecer o percurso do Paris-Roubaix (aqui) e veio agora desvendar o que nos espera na Liège-Bastogne-Liège e na Flèche Wallonne.
Também já são conhecidas as equipas WorldTour que estarão presentes em ambas, bem como as equipas que receberam os wildcards 


Em relação à Liège-Bastogne-Liège, o final tem uma pequena diferença em relação ao do ano passado. O pelotão terá de passar, como já é habitual, a Côte de La Redourte, a Côte de La Roche-aux-Faucons e a Côte de Saint Nicolas, mesmo antes da meta. Suprime-se assim a subida da Rue Naniot, que era a última dificuldade do trajecto do ano passado. 
O percurso tem cerca de 258 quilómetros, um pouco maior do que a última edição.
No início do percurso existem também algumas alterações como o desaparecimento da Côte de Wanne e a Côte de Haut-Levé, por se encontrarem ambos em obras. Em substituição, os ciclistas terão de ultrapassar a Côte du Pont, a Côte de Bellevaux e a Côte de la Ferme Libert. 






Em relação à Flèche Wallonne, as subidas da parte final mantêm-se - Côte d'Ereffe, Côte de Cherave e o Mur de Huy, formando um percurso que será feito duas vezes e, tal como na edições anteriores, será decisivo para encontrar o vencedor da prova. 
A prova terá cerca de 200 quilómetros e termina, como é habitual desde 1983, no Mur de Huy. Existem duas principais diferenças para o percurso do ano passado, a saída não será de Marche en Famenne mas sim de Binche e o pelotão dará apenas duas voltas ao circuito final, Ereffe-Cherave-Huy, em vez de três como na edição anterior.



Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário