O que são os Dolomitas?

O que são os Dolomitas? Esta é uma das questões que muita gente, mesmo aquela ligada ao ciclismo, faz. 
A resposta não é simples, mas uma coisa é certa, os Dolomitas são uma das regiões montanhosas mais espantosas e bonitas do planeta. Mas voltando à questão principal, os Dolomitas situam-se no norte de Itália, perto da fronteira com a Áustria e faz parte dos Alpes, porém a sua localização em concreto, para muitos ainda gera muitas dúvidas. Na imagem seguinte, está o mapa dos Dolomitas com as  suas diversas 'regiões'.

Onde ficam os Dolomitas?
Mapa dos Dolomitas
O nome 'Dolomitas' está relacionado com o geólogo e mineralogista francês, Déodat Gratet de Dolomieu, que em 1789 fez uma expedição por vastas partes do Tirol e Grisons. Na base do Pflerscher Tribulaun, nos Alpes de Stubai, conseguiu identificar que tipo de rochas compunha esta região. Quando o então 'novo' mineral foi descoberto, foi-lhe dado o nome de, 'Dolomita', em honra a Dolomieu. Porém, a rocha não predomina em toda a região denominada de 'Dolomitas'.

Os Dolomitas está dividido em duas partes, o Este e o Oeste. A fronteira é a linha que liga Val Badia-Passo Campolongo-Arabba-Alleghe-Canale d'Agordo. Habitualmente os Dolomitas Orientais (Este), são identificados como aqueles que estão à volta de Cortina D'Ampezzo.
No Este a paisagem é marcada por grupos de rochas mais compacto, enquanto no Oeste os grupos de rochas são maiores, mas menos compactas, o que faz com que a paisagem apresente uma erosão maior.

Marmolada é o ponto mais alto dos Dolomitas, com 3343 metros de altitude. Uma das características desta região belíssima são os vales profundos, que permitem existir desníveis de elevação enormes.

Dolomitas e Giro, uma história de amor
A história Giro d'Italia está intimamente ligada aos Dolomitas, apesar de até ao fim da 1ª Grande Guerra a maioria das subidas dos Dolomitas não faziam parte do território italiano. 
Muitas figuras brilharam nestas montanhas, como Gimondi, Coppi, Bartali, Merckx e Pantani. Apenas em 1937, na 25ª edição, o Giro visitou pela primeira vez os Dolomitas, com o Passo Rolle a ser a primeira subida dolomita a fazer parte da história da prova. Num dia em que as condições atmosféricas eram atrozes, onde o mítico Gino Bartali foi o mais rápido e ganhou mais uma etapa, a caminho da conquista de mais um Giro.
A partir desse dia o Giro e os Dolomitas são indissociáveis, até na cor dominante...o cor de rosa.

Subidas mais conhecidas dos Dolomitas:
- Passo Pordoi
- Passo Giau
- Passo Sella
- Passo Gardena
- Tre Cime di Lavaredo
- Passo Fedaia
- Passo Campolongo
- Monte Grappa
- Alpe di Pampeago
- Alpi di Siusi
- Merano 2000
- Madonna di Campiglio
- Cortina D'Ampezzo
- Passo Costalunga
- Passo Rolle

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

1 comentário: