La Vuelta a España - Antevisão da 17ª etapa

Madrid está perto e o Alto de la Covatilla é o cenário final para o último embate entre os homens da geral.

Sequeros - Alto de la Covatilla, 178,2 Km



Dia duro na oficina, quase 180 Km e mais de 4200 metros de subida acumulada. Os primeiros 30 Km são em falso plano até ao sopé do Puerto del Portillo de las Batuecas, a partir daí o terreno muda radicalmente.

Subidas pré-Covatilla

Ao todo são 5 subidas, a primeira é a mais dura de todas, o Puerto del Portillo de las Batuecas de 1ª categoria, muito constante com 10,1 Km a 6,5%, será aqui que a fuga deve consolidar.
O terreno vai ser uma montanha russa, sobe e desce permanente com 3 contagens de 3ª categoria que não sendo muito exigente adicionam dureza. Apesar de não ser um ascensão muito dura, a subida mais importante poderá ser a penúltima do dia, Puerto de la Garganta, prepara a ascensão a Covatilla.



Alto de la Covatilla

A descida do Puerto de la Garganta é curta e tem uma secção plana antes do inicio da subida final. Alto de la Covatilla é uma ascensão com 12,5 Km a 6,7% pode ser dividida em 3 partes:
- 4800 metros iniciais muito suaves, a 4,2%:
- 4,8 a 9 Km é uma secção realmente exigente, 10% de pendente média com várias rampas a 14%. Os ataques terão de ser aqui;
- 2,5 Km finais é a 6,4%, tem uma rampa de 14%.

Pode-se fazer diferenças, no entanto, é questionável se serão consideráveis.

Subidas categorizadas:
49.3 Km - Puerto del Portillo de las Batuecas (1ª cat. 14.1 Km @ 5.3%)
88.5 Km - Alto de San Miguel de Valero (3ª cat. 4.5 Km @ 5.7%)
103.5 Km - Alto de Cristóbal (3ª cat. 5.6 Km @ 4.7%)
134.8 Km - Alto de Peñacaballera (3ª cat. 4.7 Km @ 5.4%)
152.3 Km - Alto de la Garganta (2ª cat. 11.3 Km @ 5.1%)
Meta - Alto de la Covatilla (HC, 11.7 Km @ 6.9%)

Condições meteorológicas

É esperado chuva para a região durante o dia.
Temperatura a rondar os 10ºC.
Vento moderado a forte de sudoeste, pode dificultar os ataques em Covatilla.

Favoritos

Dia para a fuga?
O sucesso da mesma dependerá de como as equipas dos homens da geral vão encarar a etapa. A Jumbo-Visma estará conforntável com um ritmo mais calmo, por isso, por eles a fuga terá sucesso.
As equipas que poderão evitar o sucesso da fuga são a EF e principalmente a Movistar. A Ineos não tem uma equipa tão forte como estas duas.

Há muitos candidatos neste terreno para estar na fuga:

DQT: Cattaneo
UAE: Formolo, Henao, Costa
Trek: Eg, Lopez, Ries
Sunweb: Power, Arensmann
Astana: Izagirres, Fraile
Bora: Schelling
Mitchelton: Nieve, Chaves
EF: Woods, Cort Nielsen
AG2R: Peters, Champoussin
CCC: Hirt
Cofidis: G. Martin, Herrada
NTT: Mader, Valgren
ISN: Piccoli
Lotto-Soudal: Wellens
Groupama-FDJ: Armirail

Luta pela geral

A subida final beneficia um ciclista que tenha uma boa equipa e é precisamente o que Roglic tem.  O esloveno venceu 4 etapas e parece estar bem como mostrou no sprint em Ciudad Rodrigo.

Carapaz andou muito bem no plano no contrarrelógio mas nas rampas do Èzaro perdeu muito tempo, o que não é um bom sinal. Tem uma equipa bastante frágil.

Hugh Carthy tem realizado uma prova imaculada, a questão é se ele estará interessado em atacar ou irá jogar mais na defensiva para defender o seu pódio.

Daniel Martin quer o pódio e para isso terá de atacar. O irlandês poderá ser uma das chaves da etapa.

Enric Mas e a Movistar têm sido uma confusão, equipa completamente imprevisível. Soler deverá voltar a entrar na fuga, veremos se a equipa espanhola irá apostar apenas na etapa ou tentar algo mais ousado. 

Mas depois do que se passou no Tour, tudo pode acontecer.


⭐⭐⭐ Vlasov
⭐⭐ Carapaz, Roglic, Carthy, D. Martin
⭐ Mas, Cattaneo, Soler, G. Martin, Mader

A nossa aposta: Aleksandr Vlasov
Roglic irá marcar Carapaz, que por sua vez também estará atento a Carthy e este último vai ter de se preocupar com Daniel Martin. Com tanta marcação, Vlasov terá liberdade para ganhar a primeira etapa numa grande volta.

Joker: Guillaume Martin
O rei da montanha tem a última oportunidade para sacar uma etapa. Tem de se intrometer na fuga e esperar que o pelotão dê liberdade à mesma.

Seguir em directo: #LaVuelta2020
TV: Eurosport 1 (13:35 GMT)

 

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Publicar um comentário