La Vuelta a España - Antevisão da 16ª etapa

Depois da maratona de 230 Km do dia anterior, a Vuelta vai andar pela região de Castela e Leão, com partida numa das cidades universitárias mais importantes de Espanha, Salamanca e final em Ciudad Rodrigo.

Salamanca - Ciudad Rodrigo, 162 Km



Mais uma etapa ondulada, que no papel não parece ter muito terreno para fazer diferenças entre os homens da geral, mas que numa fase tão adiantada de uma prova de 3 semanas pode criar algumas surpresas.
Os primeiros 77 Km têm um terreno simpático mas com estradas exposta em pelno outono, o vento poderá fazer vitimas. A primeira contagem categorizada é o Puerto El Portillo de 2ª categoria (curiosamente é mais dura que o El Robledo e está menos categorizada), que não deve fazer grande mossa no pelotão. Segue-se uma descida de 15 Km, com algumas partes técnicas, mal termina começa logo a ascensão ao Puerto El Robledo.

Puerto El Robledo

Subida relativamente fácil, com 11.7 Km a 3.8%, que pode ser dividida em 3 secções:
- 3 Km iniciais entre 3.8 e 5.2% de pendente média;
- 3 a 6 Km em descida e falso plano no último Km desta secção;
- 6 Km finais mais duros principalmente o 1º Km desta secção final.

Vai ser difícil fazer diferenças numa subida deste tipo, no entanto, as oportunidades começam a escassear e é natural que alguém tente algo.

Final

Depois da descida do El Robledo, há uma secção de aproximadamente 10 Km em falso plano e depois uma descida. Os últimos 10 Km são planos, a aproximação a Ciudad Rodrigo é rápida e sem muitas viragens.



Subidas categorizadas:
90.8 Km - Puerto El Portillo (2ª cat. 13.8 km @ 4,4%)
126.7 Km - Puerto El Robledo (1ª cat. 11.7 Km @ 3.8%) 

Condições meteorológicas

É esperado chuva para a região durante o dia.
Temperatura a rondar os 16ºC.
Vento forte de sul/sudeste, dial ideal para bordures.

Favoritos

Dia para a fuga?

É um dia com todas as características para que uma fuga tenha sucesso. Mas esta Vuelta tem sido pródiga em etapas que deviam ser para a fuga e acaba por não ser.
Dependerá das equipas que estarão representadas na fuga, caso alguma falhe, poderá perseguir.

Há muitos candidatos neste terreno para estar na fuga:

DQT: Cattaneo, Bagioli, Cavagna, Stybar
UAE: Formolo, Henao, Costa
Trek: Eg, Lopez, Ries
Sunweb: Power, Arensmann
Astana: Izagirres, Fraile, Sanchez
Bora: Schelling
Mitchelton: Nieve, Chaves
EF: Woods, Cort Nielsen
AG2R: Peters, Champoussin
CCC: Hirt
Cofidis: G. Martin, Herrada
NTT: Mader, Valgren
ISN: Piccoli
Lotto-Soudal: Wellens
Groupama-FDJ: Armirail

Candidatos na fuga

É muito complicado dizer quem estará na fuga e quem sairá da mesma vencedor, mas para nós os principais candidatos são:

- A Movistar deverá colocar gente na fuga, um deles poderá ser Marc Soler, que tem sido dos mais ativos. Nélson Oliveira é outra forte hipótese, está em grande forma.

- A Deceuninck-QuickStep é aquela equipa que tem mais candidatos para este terreno, com diversos ciclistas que podem ganhar esta etapa. Cavagna desiludiu um pouco no contrarrelógio, mas o francês é uma autêntica locomotora e não é um ciclista que se dê mal neste terreno ondulado. Stybar é outro corredor que gosta deste tipo de etapa. Para terminar, Bagioli pode ganhar através da fuga ou mesmo numa chegada em pelotão, a subida final adapta-se bem às características do italiano.

- Rui Costa é outro ciclista que tem procurado a vitória de etapa e esta é mais uma oportunidade. Esteve ontem em fuga, poderá acusar algum cansaço.

- Tim Wellens já ganhou, mas continua muito ativo. O desgaste poderá ser grande, mas o belga é um ciclista com uma energia quase inesgotável.

- A Astana tem diversos candidatos, Fraile, os irmãos Izagirre e Luis Leon Sanchez são ciclistas que gostam destes dias e têm tentado.


⭐⭐⭐ Wellens, Fraile, Sanchez, Bagioli, Soler
⭐⭐ Cort Nielsen, Valgren, Costa, Cavagna
⭐ Roglic, D. Martin, Grossschartner, Armirail, Cattaneo

A nossa aposta: Andrea Bagioli
A Deceuninck-QuickStep quer ganhar etapas, quase ganhou a anterior através de Cattaneo. O jovem italiano tem uma boa ponta e pode ser-lhe útil num grupo restrito.

Joker: Felix Grossschartner
Também é um ciclista com uma ponta final interessante em grupos reduzidos. Não tem liberdade, mas caso o grupo principal chegue na frente, o austríaco é um dos favoritos.


Seguir em directo: #LaVuelta2020
TV: Eurosport 1 (13:35 GMT)

 

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Publicar um comentário