La Vuelta a España - Antevisão da 12ª etapa

A segunda semana termina com um final no infame Angliru, uma das subidas mais duras presente em provas de ciclismo profissional.

La Pola Llaviana - Alto de L'Angliru, 109,4 Km




Etapa curta, apenas 109 Km de extensão, com 5 contagens de montanha e com final num autêntico inferno, o Alto de l'Angliru.
Os primeiros 26 Km são planos e aparece a primeira subida do dia, o Alto del Padrún, a fuga deverá formar-se aqui. Descida rápida e começa logo a segunda ascensão, o Alto de San Emiliano, tal e qual a primeira, é de 3ª categoria. 
A parte dura começa depois da descida de San Emiliano, com a sequência Mozqueta, Cordal e para terminar, Angliru.

Sequência Alto de la Mozqueta/Alto del Cordal

O Alto de la Mozqueta abre a sequência, é uma subida com  6.4 Km de extensão, os primeiros 2 Km são a 12%. Segue-se uma longa descida de 20 Km até ao sopé do Alto del Cordal, ascensão de 5,6 Km a 8,8%, com os 3 Km finais quase sempre acima dos 10%.
A descida técnica pode apanhar de surpresa muita gente, em 2017 foi aqui que Contador atacou e acabou por ser decisivo esse ataque.



Subida final

O Angliru é uma subida tão dura que leva os ciclistas ao seu limite físico e psicológico. São 12,6 quilómetros de extensão a 10,1% de pendente média, uma autêntica barbaridade.
A famosa Cueñas les Cabres tem o gradiente mais inclinado com 23,5%, já numa fase adiantada da subida, com o cansaço acumulado da etapa e dos dias anteriores.
A subida tem uma primeira parte mais 'suave' até aos 5/6 quilómetros, onde tem uma zona de descanso, que prepara o que vem a seguir, que é o inferno em forma de rampas, do 6º até ao 12º quilómetro, a média nunca baixa dos 10%, com destaque para o 10º quilómetro, onde a média são uns absurdos 17,5%.
Os últimos 300/400 metros são em descida.

Subidas categorizadas:
28.7 Km - Alto del Padrún (3ª cat. 3.6 Km @ 6.5%)
42.1 Km - Alto de Santo Emiliano (3ª cat. 3.9 Km @ 5.9%)
59.8 Km - Alto de la Mozqueta (1ª cat. 6.4 Km @ 8.3%)
88.1 Km - Alto del Cordal (1ª cat. 5.6 Km @ 8.8%)
Final - Alto de l'Angliru (HC, 12.6 Km @ 10.1%)

Condições meteorológicas

Possibilidade de chuva.
Temperatura a rondar os 18ºC, um pouco menos no topo do Angliru.
Vento moderado de sul.

Favoritos

Dia de sucesso da fuga?

Etapa demasiado curta e é uma das últimas oportunidades dos trepadores fazerem diferenças, por essas duas razão não acreditamos que a fuga tenha sucesso.
O comportamento da Movistar pode ser também chave, a equipa espanhola espera pelo Angliru ou vai atacar a corrida de longe?

Há muitos candidatos neste terreno para estar na fuga:
DQT: Cattaneo, Bagioli
UAE: Formolo, Henao
Trek: Eg, Lopez, Ries
Sunweb: Power
Astana: Izagirres
Bora: Schelling
Mitchelton: Nieve, Chaves
EF: Woods
AG2R: Petersm Champoussin
CCC: Hirt
Cofidis: G. Martin, Herrada
NTT: Mader
ISN: Piccoli

Luta pela Geral

Roglic tem sido o mais forte e com a equipa mais forte, terá Sepp Kuss a seu lado no Angliru, enquanto que Carapaz não terá ninguém.
O equatoriano terá de fazer diferenças, depois só lhe sobrará a 17ª etapa no Alto de la Covatilla, espera-se que ataque no Angliru para se ver livre do esloveno. Contra si tem a falta de equipa, Sosa tem sido uma desilusão e o melhor gregário é Amador.
Vlasov está em clara subida de forma e com alguma liberdade, pode sacar a etapa, o top-10 na geral é também um objetivo.
Daniel Martin e Hugh Carthy são os rivais mais próximos dos dois da frente, o pódio está em jogo e o Angliru pode definir um pouco a hierarquia entre os dois. 
A Movistar tem Mas e Soler perto do pódio, no entanto este último gastou muitas energias ontem na fuga e não se espera muito dele no Angliru. Em relação a Mas, o espanhol quer o pódio, veremos o que pode fazer, na Farrapona deu sinais positivos, mas o Angliru é um bicho completamente diferente.
Wout Poels gosta do Angliru, as vezes que o subiu fez boas exibições, está em boa forma portanto espera-se um bom lugar do holandês.


⭐⭐⭐ Roglic
⭐⭐ Vlasov, Carapaz
⭐ Mas, Kuss, D. Martin, Carthy, Poels

A nossa aposta: Primoz Roglic
Parece insaciável, já leva três vitórias de etapa e vai querer incluir o Angliru no seu palmarés. 

Joker: Aleksandr Vlasov
Está a subir de forma, foi o mais forte na Farrapona do grupo de favoritos, tem liberdade por estar longe na geral e quer o top-10.


Seguir em directo: #LaVuelta2020
TV: Eurosport 1 (12:50 GMT)

 

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Publicar um comentário