Vuelta a España 2019 - Antevisão 16ª etapa

A Vuelta continua nas Astúrias, com mais um dia com muita montanha e um final numa das mais belas subidas do país vizinho, o Alto de la Cubilla.

Mapa
Perfil
São apenas de 144.4 Km com mais de 4100 metros de subida acumulada, no menu estão duas contagens de 1ª categoria e uma de categoria especial. Os primeiros 50 Km são em falso plano, ligeira subida. O Puerto de San Lorenzo abre as hostilidades, uma subida de 10 Km a 8.5%, que pode ser dividida em 3 partes, os primeiros 3 Km, quase sempre acima dos 9%, dos 3 aos 5 Km, zona de descanso e os últimos 5 Km, irregulares, mas muito duros.
Longa descida de 20 Km e depois 10 Km relativamente planos, antecedem o Alto de la Cobertoria, 8 Km a 8.7%, subida muito constante sem zonas de descanso.
A descida da Cobertoria é mais curta que as anteriores, são apenas 10 Km, a estrada é larga e encontra-se em boas condições. Oficialmente o Alto de la Cubilla começa em campomanes, mas mal a descida da Cobertoria termina em Pola de Lena, os ciclistas começam a subir.
O Alto de la Cubilla é uma ascensão muito longa, são 18 Km a 6%, primeiros 9 Km são relativamente suaves, a parte mais dura vem a seguir até aos 13 Km de subida. A restante subida é muito constante sem pendentes absurdas. É um subida muito rolante.

Sprint intermédio:
Km 116.5 - Campomanes

Subidas categorizadas: 
Km 60 - Puerto de San Lorenzo (1ª Categoria, 10.0 Km a 8.5%)
Km 100.3 - Alto de la Cobertoria (1ª Categoria, 8.0 Km a 8.7% )
Meta - Alto de la Cubilla (1ª Categoria, 18.1 Km a 6.0%)


Local de partida: Pravia
Pravia
Pravia é um município da Espanha na província e comunidade autónoma das Astúrias.
Existem povoamentos em Pravia desde a era paleolítica, tendo sido atraídos pelas terras férteis. A cidade floresceu a partir do século VIII, quando a capital do Reino das Astúrias foi transferida para Pravia pelo rei Silo. A conhecida Igreja de Santianes data dessa época e é um dos melhores exemplos restantes de construção pré-românica e a mais antiga do Reino das Astúrias.

Local de chegada: Alto de la Cubilla
Alto de la Cubilla
O alto de la Cubilla é uma montanha que alcança a cota máxima de 1683 metros de altitude, e que une as províncias de León e Asturias.
Apesar das numerosas passagens nas montanhas que a Vuelta já visitou nas Astúrias, ano após ano, o Principado continua a proporcionar algumas surpresas. O Alto de La Cubilla está em pé de igualdade com os seus semelhantes nos Pirenéus em termos de comprimento, rota sinuosa e a beleza incomparável da subida. Esta é uma montanha muito popular e muito amada entre os turistas que andam de bicicleta e fará, este ano, a sua primeira aparição na Vuelta.

Condições meteorológicas

Probabilidade baixa de chuva.
Temperatura a rondar os 18ºC durante toda a etapa, um pouco menos nos topos das montanhas.
Vento fraco.

Favoritos

Como quebrar Roglic?
Esta questão é complicada de responder, porque o esloveno tem estado inquebrável. A juntar a isso, tem uma equipa muito forte para o apoiar, que até se dá ao luxo de colocar gregários em fuga que acabem mesmo por ganhar a etapa, como aconteceu com Sepp Kuss na última etapa.
A Movistar tentou colocar Soler na fuga, de forma a Valverde fazer a ponte depois, foi isso que aconteceu, o problema é que Roglic respondeu facilmente ao espanhol.
Por seu lado a Astana tem equipa mas o seu líder não está responder. Miguel Angel Lopez começou a Vuelta em grande, mas tem perdido gás. O mesmo acontece com Quintana que parece estar completamente fora da luta pela vitória. 
Pogacar não esteve tão forte no Acebo, mas defendeu-se bem de Lopez. Tem 20 anos, essa é a grande dúvida, será que aguenta mais uma semana a este nível?

Fuga?
É mais um dia em que a fuga pode ter êxito. A Movistar, Jumbo-Visma e Astana deverão colocar homens na fuga.

⭐⭐⭐ Pierre Latour, Dylan Teuns, Esteban Chaves, Marc Soler, Sérgio Higuita, Óscar Rodriguez, Mikel Nieve, Wout Poels, Antonio Pedrero, Jakob Fuglsang, Jesus Herrada.
⭐⭐ Alejandro Valverde
⭐ Primoz Roglic, Tadej Pogacar, Miguel Angel Lopez

A nossa aposta: Wout Poels
A Vuelta da Ineos está a ser um autêntico desastre. Têm tentado colocar gente na fuga para sacar uma vitória de etapa, mas acabam sempre por quebrar.
Depois de ontem Tao Hart ter estado em fuga, ou seja, deverá acusar o desgaste, apenas vemos Poels com condições para tentar estar na fuga e ganhar, já que De La Cruz apresentou-se nesta Vuelta num estado miserável de forma.

Joker: Alejandro Valverde
A subida final é muito rolante e não vemos os principais protagonistas a serem descarregados na Cubilla. Se a decisão for entre eles, ganha o que tiver melhor ponta final e esse é Valverde.


Seguir em directo: #LV2019 #laVuelta #Vuelta2019 #laVuelta2019
(a partir das 14:00, hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário