Volta à França 2019 - Antevisão 20ª Etapa

Depois da surrealidade do dia anterior, a mãe natureza não deu tréguas e decidiu despejar meio oceano nos Alpes. Várias derrocadas pela região, entre elas no Cormet de Roseland, por onde passaria o pelotão hoje. A organização teve de redesenhar a etapa e saiu uma extraordinária e monstruosa tirada de 59 Km, podiam fazer bem melhor, terminar um Tour desta forma não é admissível. Depois de 2 semanas de grande espectáculo, os Alpes foram uma completa desilusão, foi-nos roubada uma edição épica!


Mapa final

Perfil original com a parte do percurso suprimida
Perfil final
O que é que se pode dizer quanto a isto? A organização do Tour não era capaz de arranjar um plano B melhor? Montanhas não faltam naquela região. Não se pode aceitar uma etapa destas numa Grande Volta, é um insulto à história do Tour e do ciclismo.
Basicamente são 25 Km planos através do vale, desde Albertville até ao inicio da subida de Val Thorens. 
A subida é muito longa, essa é a grande virtude, mas numa etapa tão curta o dano não será tão grande quanto isso, tudo depende de como será abordada, se for feita a full gas desde o inicio pode significar grandes diferenças.
Os primeiros 7 Km são duros, sempre acima dos 6%. A subida tem várias zonas de 'descanso', duas delas extensas, entre os 17 e 20 Km e entre os 22 e 24 Km. Os últimos 9 Km são duros, praticamente sempre acima dos 6%, com rampas a passar os 8%, com um curto descanso antes do último Km. 
O último Km é o mais duro, média a 8% com uma rampa de 12% e em sterrato!

Subidas categorizadas:
META - Val Thorens (HC, 2363 m, 33.4 Km a 5.4%)



Proposta alternativa

Uma possível alternativa para a etapa de hoje foi desenhada pelo o nosso amigo Pedro Rodrigues. Partida e chegada nos mesmos locais e o que não falta é boa montanha na região, para aproveitar.
Aqui fica:
Proposta alternativa
Os primeiros 50 Km são planos, até ao sopé do Col de la Madeleine com os seus 20.5 Km a 7.%, era o primeiro teste a sério. Descida longa e técnica em direção á ascensão de Les Avanchers-Valmore, a mais suave do dia, 12.1 Km a 5.8%. Última descida a sério do dia até ao inicio da longa subida de Val Thorens.
No total são mais de 4400 metros de subida acumulada.

Cidade de partida: Albertville
Albertville
Albertville é uma cidade francesa localizada na região de Ródano-Alpes. 
A moderna cidade foi formada em 1836 pelo rei Carlos Alberto da Sardenha, que fundiu a cidade medieval de Conflans, que tem edifícios que datam do século 14, com a cidade de L'Hôpital. Desde então, Albertville desenvolveu o comércio entre a França, Itália e Suíça. 
A cidade ficou conhecida após sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 1992.

Cidade de chegada: Val Thorens
Val Thorens
Vale Thorens é uma estância de esqui situada no coração dos Alpes franceses, a mais alta de Europa (2300 m) e uma das mais populares. Abriu ao público em 1971, tem mais de 600 Km de pistas e conta com a pista de Luge mais extensa, com 6 Km.
Já viu uma chegada do Tour, em 1994 o colombiano Nelson Rodriguez venceu a etapa, mas esse dia ficou na memória por um dos ataques mais selvagens de Marco Pantani.

Condições meteorológicas

Poderá ser novo dia de caos. Todo o departamento onde se disputa a etapa está em alerta com previsão de tempestades. Temperatura a rondar os 25ºC à partida e 10ºC na chegada.

Favoritos

Fuga?
Com a alteração, dificilmente uma fuga terá a liberdade necessária para chegar. Entre os homens capazes de tentar estar numa fuga e podem sobreviver à longa subida de Val Thorens estão: Nairo Quintana, Simon Yates, Warren Barguil e Romain Bardet.

O que farão as equipas da geral?
A Ineos deverá tentar colocar o seu comboio a funcionar. No entanto Kwiatkowski, Moscon e Castroviejo estão muito longe de outros anos, o polaco é o caso mais evidente. Van Baarle, Poels e Thomas terão de trabalhar para Bernal, o galês passa a gregário e se conseguir fazer a seleção até poderá ter autorização para tentar vencer a etapa. No entanto, Bernal ainda não venceu uma etapa e quererá também marcar o seu nome na lista de vencedores de etapa.
A Jumbo-Visma com as quedas de Bennett na 18ª etapa que o deixaram mal tratado, perdeu uma peça importante e neste momento contam apenas com Le Plus. Não está posta de parte um ataque de longe de Kruijswijk, o holandês já o fez antes.
Movistar já não parece ter força, lançar Quintana cedo e deixar Landa para uma fase final da subida, poderá ser a táctica. Valverde passou o Tour a seguir rodas.

⭐⭐ ⭐ Egan Bernal
⭐⭐ Steven Kruijswijk, Geraint Thomas, Emanuel Buchmann, Mikel Landa
⭐ Nairo Quintana, Simon Yates, Warren Barguil, Romain Bardet, Rigoberto Uran

A nossa aposta: Egan Bernal
Com o abandono de Pinot, Bernal é de longe o melhor trepador em prova e ainda não venceu uma etapa. A Ineos trabalhará para totalmente em favor dele. É o favorito.

Joker: Simon Yates
Ontem estava na fuga e foi o único que ainda susteve Bernal. Hoje deverá tentar sair cedo, está com boas pernas e é candidato a vencer pela 3ª vez neste Tour.

Pódium final? 
Bernal-Thomas-Kruijswijk
O ritmo será alto no Val Thorens, Kruijswijk quer o pódio e irá atacar. Alaphilippe deverá perder tempo, mas mantém o top-5.


A camisola amarela que o vencedor irá usar homenageia a última etapa de montanha, com final em Val Thorens.





Seguir em directo: #tdf2019, #letour, #tourdefrance, #tdf
TV: Eurosport 1 (a partir das 13:30)  RTP 2 (a partir das 14:10)

Horário Portugal continental

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário