Volta à França 2019 - Antevisão 12ª Etapa

A 12ª etapa marca a entrada da prova nos Pirenéus. É uma etapa que vai mostrar um pouco daquilo que se espera nos próximos dias.

Mapa
Perfil
Os primeiros 130 Km são relativamente planos, com uma contagem de 4ª categoria pelo meio. O sprint intermédio está colocado em Bagnères-de-Luchon, que funciona como a porta de entrada dos Pirenéus na edição deste ano. Após o sprint, começam a subir para o Col de Peyresourde, que com os seus 13,2 Km a 7% farão uma seleção. 
A descida do Peyresourde é técnica, mas é bem conhecida da maioria dos ciclistas, em Guchen começa a última subida do dia, Horquette d'Ancizan, são 9.9 Km a 7.7%, numa ascensão muito constante, raramente desce dos 6% e tem o topo a 30 Km da meta.
Do topo de Horquette d'Ancizan até à meta em Bagnère-de-Bigorre é praticamente sempre a descer.

Sprints intermédios: 
- Bagnères-de-Luchon (Km 130.5).

Subidas categorizadas: 
- Côte de Montoulieu-Saint-Bernard (4ª Cat., 1.7 Km a 5.5%, Km 62.8), 
- Col de Peyresourde (1ª Cat., 13.2 Km a 6.9%, Km 146.2), 
- Horquette d'Ancizan (1ª Cat., 9.9 Km a 7.7%, Km 179.0).


Cidade de partida: Toulouse
Toulouse - La Ville Rose
Toulouse é a quarta maior cidade da França e fica numa área estratégica, perto das montanhas e do mar.
Conhecida como a Cidade Rosa (La Ville Rose) por causa da pedra, usada como material de construção de vários edifícios, Toulouse é um local que merece ser visitado, contemplado e apreciado pelos amantes do turismo e, o melhor, pode ser visitada basicamente a pé.  O seu centro histórico é recheado de belas ruas, lojas e museus incríveis. Apontem pois é um dos destinos ideais para uma escapadela romântica e cultural.
Ocupada por romanos, visigodos e até os árabes. O resultado é uma cidade multicultural com diversos museus e monumentos, unindo o melhor da arquitetura com um toque moderno.
Toulouse é a mais importante cidade da região de Occitânia e é agora a capital aeronáutica da Europa, com o maior centro espacial da Europa e onde a Airbus tem a sua sede.

Cidade de chegada: Bagnères-de-Bigorre

Localizado no sopé das montanhas dos Pirenéus, nas margens do rio Adour, Bagnères-de-Bigorre é um dos principais destinos, por muitas razões: o animado bairro antigo com belas casas, os banhos termais com propriedades curativas, o spa e centro de bem-estar Aquensis, o casino e o encantador jardim termal, que é um óptimo lugar para um passeio.
A não perder: o festival Street Arts Weekend (fim de semana das artes de rua) que acontece todos os anos no início de Agosto nas ruas, praças e jardins da cidade - a atmosfera é fantástica!
A cozinha tradicional da região, combina uma carne muito boa, com legumes de qualidade. Em torno de Bagneres, os agricultores ainda vivem o gado tradicional (principalmente vacas e ovelhas). Também a truta faz parte das iguarias, graças ao rio Adour, onde é possível pescar. Estandarte dos Pirenéus, a sopa de repolho combina todos os produtos tradicionais: presunto, o confit de porco e pato, feijão, repolho, cenoura, alho francês, nabo e batata.

Condições meteorológicas

Céu com muitas nuvens, a probabilidade que a chuva apareça não é grande, mas também não é pequena.
Na parte inicial da etapa, as temperaturas passarão os 20ºC. Nos Pirenéus a situação muda, com uma baixa significativa.
O vento vai soprar moderado a forte de Noroeste, o que significa que soprará lateralmente nos primeiros 130 Km, a partir de Bagnères-de-Luchon soprará de frente.

Favoritos

Fuga ou sprint?
Fuga, esta é daquelas que não enganam. Com um contrarrelógio na próxima etapa, os homens da geral não irão entrar em loucuras. A etapa tem um perfil perfeito para uma fuga com homens longe da geral conseguirem chegar.
A nossa aposta é total neste cenário, desta vez não damos estrelas aos homens da geral numa etapa de montanha.

Possíveis fugitivos
Ag2r - Gallopin, Frank
Arkea Samsic - Gesbert
Astana - Bilbao, Fraile, G.Izagirre, LL Sanchez
Bahrain Merida - Nibali, Teuns, Caruso
Bora Hansgrohe- Muhlberger, Schachmann
CCC - Pauwels, Geschke
Cofidis - Herrada
Deceuninck QuickStep -
Dimension Data - Kreuziger
EF - Woods, Kangert
Groupama FDJ - Molard, Reichenbach
Ineos -  
Jumbo Visma - Bennett
Katusha Alpecin - Zakarin
Lotto Soudal - Wellens, Benoot*, De Gendt
Mitchelton Scott - Simon Yates, Haig
Movistar - Soler, Amador
Sunweb - Kamma, Roche, Kelderman
Total Direct Energie - 
Trek Segrafredo - Mollema, Ciccone*
UAE - Costa, Aru, Henao
Wanty Groupe Gobert- G.Martin

*vitimas de queda na etapa anterior, não deverão estar em condições de forma a irem para a fuga

⭐⭐⭐ Vincenzo Nibali
⭐⭐ Rui Costa, Bauke Mollema, Michael Woods, Dylan Teuns, George Bennett
⭐ Pello Bilbao, Marc Soler, Guillaume Martin, Gregor Mulhberger, Ilnur Zakarin, Jesus Herrada

A nossa aposta: Vincenzo Nibali
Se por um lado está longe da melhor forma, por outro, o tempo perdido até aqui permiti-lhe ter liberdade. Com as duas subidas, Peyresourde e Horquette d'Ancizan, o tubarão pode fazer a diferença e para melhorar, a longa descida final, ainda torna este perfil de etapa mais perfeito para ele.

Joker: Pello Bilbao
Molhou o bico no Giro a partir de uma fuga e não será surpreendente que faça o mesmo no Tour. É um ciclista que escolhe bem as fugas nestes dias de montanha e costuma ser letal para os adversários nesta situação.
Mas primeiro a Astana terá de lhe dar liberdade e essa é uma dúvida de temos.


A camisola amarela que o vencedor irá usar nesta etapa homenageia a Praça do Capitólio, uma das maiores de França.



Seguir em directo: #tdf2019, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 10:25)

(a partir das 13:10)

Horário Portugal continental




Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário