Volta à França 2019 - Antevisão 10ª Etapa

Habitualmente o dia de descanso está colocado entre as 9ª e 10ª etapas. Este ano a organização decidiu colocar um dia depois. Significa que esta é a última etapa da 1ª fase do Tour deste ano, amanhã é o dia de descanso.

Mapa
Perfil
Dia longo, com 217,5 Km no menu, com um perfil de etapa adequado aos velocistas. No entanto, o dia está longe de ser completamente plano e ainda tem um rebuçado no último Km.
Os primeiros 50 Km contam com duas contagens de montanha, num sobe e desce constante que é comum a toda a etapa. O Côte de Mallet (2.2 Km a 6.2%) é a primeira subida categorizada e segue-se a Côte de Chaudes-Aigues (3.0 Km a 6.1%).
Antes dos 100 Km aparece a 3ª contagem categorizada do dia, Côte d'Espailon (5.2 Km a 4.8%), situada depois de uma longa descida. O sprint intermédio está situado aos 128,5 Km, em La Primaube.
A última contagem do dia é a Côte de la Mauric (3.6 Km a 4.3%), tem o topo a mais de 50 Km da meta, ou seja, muito longe para fazer estragos. Os últimos 50 Km são os mais fáceis do dia
A aproximação final tem a última curva complicada a mais de 3000 metros da meta, depois basicamente é uma longa reta até ao fim e com uma estrada suficientemente larga, onde os comboios podem trabalhar para os sprinters. No entanto, já dentro do último, depois da ponte (a 500 metros da meta), há uma pequena rampa que pode baralhar as contas de alguns sprinters.

Sprints intermédios: 
- La Primaube (Km 128.8).

Subidas categorizadas: 
- Côte de Mallet (4ª Cat., 2.2 Km a 6.2%, Km 22.3), 
- Côte de Chaudes-Aigues (3ª Cat., 3.0 Km a 6.1%, Km 41.4), 
- Côte d'Espailon (3ª Cat., 5.2 Km a 4.8%, Km 95.5), 
- Côte de la Mauric (3ª Cat., 3.6 Km a 4.3%, Km 164.7).
Últimos Km

Cidade de partida: Saint-Flour
A cidade de Saint-Flour
Saint-Flour é uma cidade do departamento de Cantal, na região de Auvergne, no centro-sul da França. Os seus habitantes são chamados Sanflorains.
A cidade alta (ville haute) de Saint-Flour está localizada na Planèze, uma formação vulcânica, já a cidade baixa (ville basse) estende-se nas margens do rio Ander.
Existem numerosos dolmens e vestígios dispersos da ocupação da Idade do Bronze. A ocupação romana é sinalizada por duas vilas romanas de importância mediana, uma perto da estação ferroviária e a outra, uma modesta casa de campo em estilo Augustano, perto da aldeia de Roueyre, parte de Saint-Flour. O nome romano desta pequena casa era Indiciacum ou Indiciacus, que evoluiu para Indiciat no período sub-romano, uma referência ao marco de Planèze.

Cidade de partida: Albi
Albi, a catedral e as suas pontes
Situada na região da Ocitânia, Albi é uma pequena cidade cheia de história, declarada, pela UNESCO, como Património Mundial da Humanidade por ter preservado suas características da Idade Média. As ruelas, a basílica, as pontes e os jardins fazem de Albi um lugar especial.
Construída em tijolos avermelhados, que deram a Albi o apelido de “Cidade Vermelha”. Por lá, é possível fazer tudo a pé, numa prazerosa visita. Os principais pontos turísticos da pequena cidade localizam-se lado a lado.
Albi guarda como joia rara a magnífica Catedral de Santa Cecília, a maior construção de tijolos do mundo e o palácio fortificado onde está o museu do pintor Toulouse Lautrec.

Condições meteorológicas

Céu limpo.
Dia quente nesta parte de França. Temperatura a variar entre os 25 a 28ºC durante a etapa.
O vento vai soprar moderado a forte de Noroeste, o que significa que soprará lateralmente a maioria da etapa, ideal para bordures.

Favoritos

Fuga?
Este não é um dia para a fuga ter sucesso. As equipas dos sprinters irão controlar a corrida e as subidas não são difíceis ao ponto de eliminar os velocistas.


⭐⭐⭐ Dylan Groenewegen, Caleb Ewan
⭐⭐ Peter Sagan, Elia Viviani
⭐Alexander Kristoff, Jasper Philipsen, Michael Matthews, Matteo Trentin, Sonny Colbrelli

A nossa aposta: Caleb Ewan
No último sprint teve muito perto de bater Groenewegen, o que significa que está com velocidade, só falta a vitória. O último Km com a pequena rampa, adequa-se melhor a ele que ao holandês da Jumbo, por isso desta vez a nossa aposta recai nele.

Joker: Alexander Kristoff
É muito inconstante, num dia consegue estar a discutir a vitória roda a roda como no dia a seguir ficou fora do top-5. Este final em Albi é interessante para ele.

A camisola amarela que o vencedor irá usar nesta etapa homenageia a Catedral Sainte-Cécile de Albi, o maior edifício construído em tijolo do mundo.


Seguir em directo: #tdf2019, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 11:55)

(a partir das 13:10)

Horário Portugal continental




Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário