Volta à Romandia (2.WT) - Antevisão

A Volta à Romandia em 2019 comemora a sua 73ª edição, desde 1947 que se disputa e tem como cenário a região suíça da Romandia. A prova disputa-se tradicionalmente antes da primeira grande volta do ano, o Giro d'Italia, que faz com que a mesma tenha um atrativo adicional, já que alguns dos que estarão na prova italiana estarão aqui a testar as pernas.
A lista de vencedores é de luxo, nomes como Gino Bartali, Eddy Merckx, Felice Gimondi, Giuseppe Saronni, Stephen Roche, Claude Criquielion, Tony Rominger, Laurent Jalabert, Bradley Wiggins, Chris Froome e Nairo Quintana constam nela.
Os italianos são aqueles que venceram, mais vezes a prova, com 13 triunfos na geral, seguidos dos suíços com 12 e os franceses com 10 vitórias.

História

últimos 10 vencedores
2009 Roman Kreuziger (CZE) Liquigas
2010 Simon Špilak (SLO) Lampre–Farnese Vini [1]
2011 Cadel Evans (AUS) BMC Racing Team
2012 Bradley Wiggins (GBR) Team Sky
2013 Chris Froome (GBR) Team Sky
2014 Chris Froome (GBR) Team Sky
2015 Ilnur Zakarin (RUS) Team Katusha
2016 Nairo Quintana (COL) Movistar Team
2017 Richie Porte (AUS) BMC
2018 Primoz Roglic (Slo) LottoNL-Jumbo

Edição 2018 (Top-10)
1 Primoz Roglic (Slo) LottoNL-Jumbo 17:09:00    
2 Egan Bernal (Col) Team Sky 0:00:08    
3 Richie Porte (Aus) BMC Racing Team 0:00:35    
4 Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team 0:01:16    
5 Rui Costa (Por) UAE Team Emirates 0:01:23    
6 Steven Kruijswijk (Ned) LottoNL-Jumbo    0:02:32    
7 Rohan Dennis (Aus) BMC Racing Team 0:02:49    
8 Pierre Latour (Fra) AG2R La Mondiale         
9 Emanuel Buchmann (Ger) Bora-Hansgrohe 0:03:09    
10 Daniel Martin (Irl) UAE Team Emirates 0:03:12
Percurso

30/4 Prólogo - Neuchâtel › Neuchâtel (3.87Km)
1/5 Etapa 1 - Neuchâtel › La Chaux-de-Fonds (168.4Km)
2/5 Etapa 2 - Le Locle › Morges (174.4Km)
3/5 Etapa 3 - Romont › Romont (160Km)
4/5 Etapa 4 - Lucens › Torgon (176Km)
5/5 Etapa 5 (CRI) - Genève › Genève (16.85Km)

Total: 699.52 Km

Não há dias fáceis na Romandia deste ano, apenas a 3ª etapa parece ser a etapa para os velocistas. A prova deverá ser decidida nos últimos dois dias com a etapa durissima que termina em Torgon a fazer a fazer diferenças importantes. No último dia em Genebra, temos o contrarrelógio individual que decidirá aquilo que ficou por decidir no dia anterior.

Perfis

30/4 Prólogo - Neuchâtel › Neuchâtel (3.87Km)

Primeiro teste é um prólogo plano de apenas 4 quilómetros. Serve para definir o primeiro líder da prova.

Ponto intermédio: 
- Parc du Chateau (0.4 km @ 5,5%) (463 m, Km 1.9).

1/5 Etapa 1 - Neuchâtel › La Chaux-de-Fonds (168.4Km)


Apesar de ser uma das etapas que podiam parecer para os sprinters, isso não deve acontecer. São cinco contagens de montanha de 2ª categoria, a última a 20 Km da meta. Mas a 12 Km da chegada, há uma subida de 1700 metros a 7,3%, que ideal para ataques.
Não deverão haver diferenças significativas entre os homens da geral.

Sprint intermédio: 
- Sainte-Croix (1090 m, Km 47.6), 
- Les Ponts-de-Martel (998 m, Km 148.2).

Subidas categorizadas:
- Fontanezier (2ª Categoria, 833 m, 4.7 Km a 7.8%, Km 29.2),
- Mauborget (2ª Categoria, 1193 m, 5.6 Km a 7.8%, Km 36.9),
- Le Haut-de-la-Cote (2ª Categoria, 1033 m, 3.7 Km a 8.2%, Km 89.8),
- Cote de la Vue Des Alpes (2ª Categoria, 1277 m, 5.1 Km a 4.8%, Km 122.7),
- Col de la Tourne (2ª Categoria, 1157 m, 4.2 Km a 7.2%, Km 143.2).

2/5 Etapa 2 - Le Locle › Morges (174.4Km)

Apesar da longa subida ao Col du Mollendruz bem a meio da etapa, esta não deverá fazer com que os sprinters sejam descartados.

Sprint intermédio: 
- Cossonay (584 m, Km 117.7), 
- Cossonay (584 m, Km 157.5).

Subidas categorizadas:
- Col du Mollendruz (2ª Categoria, 1165 m, 21.3 Km a 3.3%, Km 98.5),
- Reverolle (3ª Categoria, 590 m, 0.8 Km a 8.6%, Km 142.5).

3/5 Etapa 3 - Romont › Romont (160Km)

Dia de constante sobe e desce, que irão passar fatura à maioria dos velocistas. A subida de 2ª categoria a Villars-Bramard, a 12 Km da meta, deve fazer a seleção. O último Km é em subida, com rampas até 8%, dia ideal para os puncheurs.

Sprint intermédio: 
- Rue (0,7 km @ 7,9%) (665 m, Km 92.4),
- Sedeilles (680 m, Km 153.7).

Subidas categorizadas:
- Sorens (2ª Categoria, 1019 m, 3.7 Km a 6.3%, Km 11.3),
- Vuisternens-en-Ogoz (3ª Categoria, 827 m, 2.2 Km a 5.7%, Km 40.2),
- Vauderens (3ª Categoria, 817 m, 1.2 Km a 7.8%, Km 97.0),
- Villars-Bramard (2ª Categoria, 714 m, 4.2 Km a 5.3%, Km 147.6).

4/5 Etapa 4 - Lucens › Torgon (176Km)

A etapa rainha da prova, com nada mais nada menos que 5 contagens de montanha, 3 de 1ª categoria e 2 de 2ª categoria. O final é em alto, subida de Torgon.

Sprint intermédio: 
- Charmey (873 m, Km 65.7),
- Aigle (385 m, Km 159.5).

Subidas categorizadas:
- Sorens (2ª Categoria, 1023 m, 3.8 Km a 6.3%, Km 43.4),
- Jaunpass (1ª Categoria, 1507 m, 5.9 Km a 8.2%, Km 83.1),
- Saanenmöser (2ª Categoria, 1283 m, 7.4 Km a 4.5%, Km 106.9),
- Col des Mosses (1ª Categoria, 1445 m, 13.1 Km a 4.1%, Km 137.8),
- Torgon (1ª Categoria, 1063 m, 10.3 Km a 6.5%, Km 173.4).

Subida de Torgon


5/5 Etapa 5 (CRI) - Genève › Genève (16.85Km)

Contrarrelógio final, sem grandes dificuldades, a primeira metade è a mais exigente. Ideal para os especialista do pelotão.

Ponto intermédio: 
- La Capite (460 m, Km 8.2).

Startlist

Aqui

Favoritos

⭐⭐⭐⭐⭐ Primoz Roglic
⭐⭐⭐⭐ Emanuel Bucchmann, Steven Kruijswijk
⭐⭐⭐ Geraint Thomas, Daniel Martinez
⭐⭐ David Gaudu, Rui Costa, Ilnur Zakarin, Remco Evenepoel
⭐ Michael Woods, Guillaume Martin, Simon Spilak, Felix Grossschartner

A nossa aposta: Primoz Roglic
É dificil apostar contra Roglic neste percurso e perante aquilo que nos tem presenteado esta temporada. Vencedor da edição do ano passado apresenta-se nesta ainda mais favorito e a poucas semanas do Giro, o esloveno não estará ainda no topo da forma, mas também não muito longe.
O contrarrelógio final é a seu gosto e deverá fazer com que decida a seu favor a geral.

Joker: Rui Costa
Costuma fazer boas provas na Romandia e apesar da campanha das Ardenas ter sido um fiasco, o poveiro tem condições para se intrometer entre 5 primeiros. Sem Pogacar que esteve pré-escolhido pela equipa, o português será o líder indiscutivel do conjunto árabe.
O grande problema poderá ser o contrarrelógio final, nos últimos anos tem estado bastante frágil na especialidade e é uma desvantagem em relação a outros.


Seguir em directo: @TourDeRomandie, #TDR2019
(a partir das 15:00, hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário