Royal Bernard Drome Classic (1.1) - Antevisão


Num fim de semana em que os fãs de ciclismo têm os olhos postos na Bélgica, com o inicio das tradicionais clássicas da primavera, em França a Taça de ciclismo não dá tréguas. O calendário ciclístico francês é dos mais ricos do panorama da modalidade, com uma notável densidade de provas. A competitividade e qualidade também tem subido nos últimos anos.
É uma prova jovem, apenas teve a sua primeira edição em 2014, porém esteve prevista a realização em 2013, acabou por não se disputar, devido às condições meteorológicas.

História
últimos 10 vencedores
2013 Não se realizou (neve)
2014 Romain Bardet (FRA) Ag2r-La Mondiale
2015 Samuel Dumoulin (FRA) Ag2r-La Mondiale
2016 Petr Vakoc (CZE) Etixx- Quick-Step
2017 Sébastien Delfosse (BEL) WB-Veranclassic-Aqua Protec
2018 Lilian Calmejane (FRA) Direct Energie 

Edição 2018 (Top-10)
1    Lilian Calmejane (Fra) Direct Energie    5:16:25   
2    Jhonatan Narvaez (Ecu) Quick-Step Floors    0:00:02   
3    Bob Jungels (Lux) Quick-Step Floors    0:00:11   
4    Samuel Dumoulin (Fra) AG2R La Mondiale    0:01:06   
5    Arthur Vichot (Fra) FDJ    0:01:10   
6    Jonathan Hivert (Fra) Direct Energie        
7    Andrea Pasqualon (Ita) Wanty-Groupe Gobert        
8    Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale        
9    Pieter Serry (Bel) Quick-Step Floors        
10    Lawrence Warbasse (USA) Aqua Blue Sport

Percurso

Livron › Livron, 206 Km

O percurso é bastante parecido ao das últimas edições.
A rota pode ser dividida em duas partes, a primeira é um circuito de 51,3 Kms que será percorrido duas vezes. É pouco exigente, as principais dificuldades são: Cote de Beauvallon, Cote de Montelger, Mur d'Allex e o Cote de Haut Livron. 
Depois da segunda volta, os corredores voltam a percorrer este circuito quase na totalidade, no Mur'd'Allex seguem noutra direção, que é a segunda parte da prova.
Esta última parte é bastante mais complicada com os corredores a terem de ultrapassar: Cote de Chabrillan (a 43 km da meta ), Cote de Devès (a 36,6 Km da meta), Col de la Grande Limite (3,6 km, 6,8 %, a 23,5 km da meta) e o Cote de Roberts (a 12.7 km da meta). Depois desta última subida, passarão novamente pelo Mur d'Allex e pelo Cote de Haut Livron, antes de chegar à meta.


Subidas:  
- Côte de Beauvallon (156 m, 0.3 Km a 9.6%, Km 14.3)
- Mur d'Allex (195 m, 0.7 Km a 7.5%, Km 43.5)
- Côte du Haut Livron (180 m, 0.5 Km a 10.0%, Km 52.1)
- Côte de Beauvallion (156 m, 0.3 Km a 9.6%, Km 68.1)
- Mur d'Allex (195 m, 0.7 Km a 7.5%, Km 97.3)
- Côte du Haut Livron (180 m, 0.5 Km a 10.0%, Km 105.9)
- Côte de Beauvallon (156 m, 0.3 Km a 9.6%, Km 122.0)
- Mur d'Allex (195 m, 0.7 Km a 7.5%, Km 151.2)
- Côte de Chabrillan (315 m, 3.4 Km a 4.0%, Km 163.0)
- Col du Devès (393 m, 4.2 Km a 4.4%, Km 169.4)
- Col de la Grande Limite (511 m, 4.0 Km a 6.4%, Km 182.5)
- Col des Roberts (388 m, 1.6 Km a 8.0%, Km 193.3)
- Mur d'Allex (198 m, 0.7 Km a 7.9%, Km 203.1)
- Côte du Haut Livron (180 m, 0.5 Km a 10.0%, Km 211.7).

Startlist

Aqui

Condições atmosféricas

Dia seco na região de Livron, com a temperatura a rondar os 16ºC. O vento vai soprar moderado de sul.

Favoritos

⭐⭐⭐⭐⭐ Lilian Calmejane
⭐⭐⭐⭐ Alexis Vuillermoz, Valentin Madouas, Romain Bardet
⭐⭐⭐ Odd-Christian Eiking, Ben Hermans Jonathan Hivert, Guillaume Martin
⭐⭐ Patrick Müller, Quentin Pacher, Elie Gesbert, Giovanni Visconti, Francesco Gavazzi
⭐ Kilian Frankiny, Pieter Weening, Julien Simon,  Warren Barguil, Arthur Vichot, Anthony Perez

A nossa aposta: Lilian Calmejane
Venceu a prova de sábado e é favorito também para conquistar esta. O percurso é perfeito para as suas características como se viu na edição passada, está em boa forma e tem uma das melhores equipas em prova.

Outsider: Alexis Vuillermoz
Esteve forte no Tour du Haut Var e na Classic Sud Ardeche. É uma das principais cartas que a AG2R tem para aqui, com um percurso bem ao seu estilo.

Seguir em directo: @boucles_classic, 

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário