Danilith Nokere Koerse (1.HC) - Antevisão


As clássicas belgas regressam com a Nokere-Koerse, que nasceu no longínquo ano de 1944 e este ano comemora a 74ª edição.
A maioria dos fãs da modalidade já tem os olhos no primeiro monumento do ano, a Milão-São Remo, mas antes, o ciclismo regressa à Flandres com a realização desta semi-clássica, que nos dá já um cheirinho daquilo que nos espera daqui a uns dias, quando se entrar no pico das clássicas da primavera.

História

últimos 10 vencedores
2009 Graeme Brown (AUS) Rabobank
2010 Jens Keukeleire (BEL) Cofidis
2011 Gert Steegmans (BEL) Quick-Step
2012 Francesco Chicchi (ITA) Omega Pharma–Quick-Step
2013 Não se realizou
2014 Kenny Dehaes (BEL) Lotto–Belisol
2015 Kris Boeckmans (BEL) Lotto–Soudal
2016 Timothy Dupont (BEL) Vérandas Willems-Crelan
2017 Nacer Bouhanni (Fra) Cofidis, Solutions Credits 
2018 Fabio Jakobsen (Ned) Quick - Step Floors

Edição 2018 (Top-10)
1    Fabio Jakobsen (Ned) Quick - Step Floors    4:32:56   
2    Amaury Capiot (Bel) Sport Vlaanderen - Baloise        
3    Hugo Hofstetter (Fra) Cofidis, Solutions Credits        
4    Roy Jans (Bel) Cibel - Cebon        
5    Andrew Fenn (GBr) Aqua Blue Sport        
6    Baptiste Planckaert (Bel) Team Katusha Alpecin        
7    Zakkari Dempster (Aus) Israel Cycling Academy        
8    Sean De Bie (Bel) Veranda's Willems - Crelan        
9    Maxime Vantomme (Bel) Wb Aqua Protect Veranclassic        
10    Kamil Gradek (Pol) Ccc Sprandi Polkowice

Percurso

Deinze › Nokere, 195,6 Km

A prova começa em Deinze, e termina em Nokere, num total de 195,6 quilómetros de extensão. A prova pode ser dividida em quatro partes, os primeiros 57 quilómetros, até passarem pela primeira vez na meta, a segunda parte é até à 2ª passagem pela meta, por volta dos 84 quilómetros, a 3ª parte é um circuito de 14,2 quilómetros, percorrido por quatro vezes e a 4ª e última parte é um circuito de 34,4 quilómetros, percorrido duas vezes.
A meta fica situada no Nokereberg, é muito curta, com uma percentagem muito baixa e em pavé. No total, a prova tem 21 setores de pavé.


Subidas categorizadas:  
- Vossenhol (75 m, 1.0 Km a 3.3%, Km 30.1),
- Meta (inicio 1º circuito) (53 m, 0.3 Km a 4.3%, Km 56.8),
- Volta 1 (inicio 2º circuito) (53 m, 0.3 Km a 4.3%, Km 83.9),
- Volta 1 (53 m, 0.3 Km a 4.3%, Km 98.1),
- Volta 2 (53 m, 0.3 Km a 4.4%, Km 112.3),
- Volta 3 (start final circuit) (53 m, 0.3 Km a 4.4%, Km 126.4),
- Volta 1 (53 m, 0.3 Km a 4.6%, Km 162.1),
- Volta 2 (53 m, 0.3 Km a 4.6%, META).

Sectores de pavé:  
1. Nokereberg (+, 300 m, Km 56.8),
2. Herlegemstraat (+, 1000 m, Km 63.5),
3. Huisepontweg (+, 1600 m, Km 78.4),
4. Kouterstraat (+, 300 m, Km 79.3),
5. Nokereberg (+, 300 m, Km 83.9),
6. Herlegemstraat (+, 1000 m, Km 90.6),
7. Nokereberg (+, 300 m, Km 98.1),
8. Herlegemstraat (+, 1000 m, Km 104.8),
9. Nokereberg (+, 300 m, Km 112.3),
10. Herlegemstraat (+, 1000 m, Km 119.0),
11. Nokereberg (+, 300 m, Km 126.4),
12. Herlegemstraat (+, 1000 m, Km 133.2),
13. Lange Aststraat (+, 500 m, Km 150.6),
14. Huisepontweg (+, 1600 m, Km 156.7),
15. Kouterstraat (+, 300 m, Km 157.6),
16. Nokereberg (+, 300 m, Km 162.1),
17. Herlegemstraat (+, 1000 m, Km 168.9),
18. Lange Aststraat (+, 500 m, Km 186.3),
19. Huisepontweg (+, 1600 m, Km 192.4),
20. Kouterstraat (+, 300 m, Km 193.3),
21. Nokereberg (+, 300 m, Km 197.8).

Startlist


Condições meteorológicas


Probabilidade baixa de chuva, temperatura a rondar 13ºC e vento fraco. A meteorologia não será um fator.

Favoritos
⭐⭐⭐⭐⭐ Pascal Ackermann, Mathieu van der Poel
⭐⭐⭐⭐ Jasper Philipsen, Alvaro Hodeg
⭐⭐⭐  Jonas Van Genechten, Florian Senechal, Hugo Hofstetter
⭐⭐ Timothy Dupont, Lorrenzo Manzin, Jens Debusschere, Nacer Bouhanni, Matteo Moschetti
⭐ Baptiste Planckaert,  Chris Lawless, Jakub Mareczko, Lars Boom, Mihkel Raim,  Adam Blythe, Thomas Boudat, Max Walscheid, Kristoffer Halvorsen
 
A nossa aposta: Mathieu van der Poel
É uma aposta arriscada, mas estamos perante um dos ciclistas mais talentosos do ciclismo mundial. Van der Poel é capaz de ganhar atacando, mas também ao sprint, já que tem uma ponta final muito interessante para um ciclista que não é um sprinter.

Outsider: Alvaro Hodeg
A aposta no colombiano tem sobretudo em conta o poderio da sua equipa. A Deceuninck-Quick Step irá controlar a corrida, tem diversas opções para os vários cenários.
Se a corrida for decidida num sprint em pelotão compacto confiamos na equipa belga e no sprinter da mesma.

Seguir em direto: @nokerekoerse,


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário