Vuelta a España 2018 - Antevisão 16ª etapa

Depois do dia de descanso, a Vuelta tem um dos dias mais importantes da edição deste ano.

Mapa 16ª etapa
Perfil 16ª etapa
Últimos 5 quilómetros
Luta individual contra o cronómetro. É um dos dias mais importantes na luta pela geral desta edição, principalmente porque os primeiros candidatos estão muito nivelados.
O percurso contempla 32 quilómetros, que não são completamente planos,ao contrário do que sugere o perfil disponibilizado pela organização.
Começa logo com uma pequena subida de 1,5 quilómetros a 5%, que poderá surpreender quem não estudar bem o percurso. Até aos 12,5 quilómetros, o percurso é ondulado, até que chegam à principal dificuldade, com 2,5 quilómetros de extensão a 5%, trata-se do Alto de Golbardo. A partir daí, o percurso é menos ondulado e os últimos 11 quilómetros são em ligeira descida até ficar completamente plano.

Local de partida: Santillana del Mar


Santillana del Mar foi classificada pelo filósofo francês Jean Paul Sartre, como “a cidade mais bonita da Espanha e, de facto, anos mais tarde, a emblemática cidade da Cantábria entrou no clube de elite das cidades mais bonitas do país.
Santillana del Mar tem todos os motivos para encantar os seus visitantes. A cidade foi declarada Complexo Artístico Histórico em 1943, graças ao seu monumental centro histórico, presidido pela Igreja Colegiada de Santa Juliana, construída entre os séculos XI e XIII, e por uma infinidade de palácios, mansões brasonadas e magníficas torres.
Como se tudo isto não bastasse, Santillana também tem as Grutas de Altamira, Património da Humanidade desde 1985 e o Museu de Altamira, um dos museus mais visitados do país.
Tudo boas razões para conhecerem a cidade.

Local de chegada: Torrelavega


Torrelavega localiza-se no coração da comunidade autónoma da Cantábria, a poucos minutos das praias e de outros enclaves únicos (Suances, Comillas, San Vicente de la Barquera, Santillana del Mar). É um importante centro industrial, comercial e de serviços. Destacam-se entre os seus patrimónios a igreja neo-gótica da Assunção e da Virgen Grande (modernista), o complexo monumental de Viérnoles e o Palácio Demetrio Herrero, hoje local da Câmara Municipal. As festividades do santo padroeiro, celebradas por volta do dia 15 de agosto, culminam com a Gala Floral, uma festa de interesse turístico.

Condições meteorológicas

Dia com muito Sol e temperatura a rondar os 26ºC. O vento vai soprar moderado de Sul e pode ter alguma influência, os mais levezinhos sairão prejudicados.

Favoritos

⭐⭐⭐ Rohan Dennis
⭐⭐ Jonathan Castroviejo, Nélson Oliveira
⭐ Victor Campanaerts, Michal Kwiatkowski

Ordem de Partida: Aqui

A nossa aposta: Rohan Dennis
É o principal especialista presente, venceu o contrarrelógio que abriu a prova e tem estado escondido, a guardar-se para este dia. O percurso assenta-lhe bem.
Por todas e mais algumas razões, tem de ser considerado o grande favorito.

Outsider: Jonathan Castroviejo
Pouco se tem visto, a Sky desde que Kwiatkowski deixou a liderança parece que nem está presente em prova.
É um especialista, que não tem sido obrigado a trabalhar e tem aqui a oportunidade para disputar uma etapa nesta Vuelta. O percurso assenta-lhe muito bem.

Diferenças entre os candidatos da geral:
1. Simon Yates (Mitchelton-Scott)
2. Alejandro Valverde (Movistar Team) a 26″
3. Nairo Quintana (Movistar Team) a 33″
4. Miguel Ángel López (Astana) a 43″
5. Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) a 1:29″
6. Enric Mas (Quick-Step Floors) a 1:55″
7. Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) a 2:10″
8. Rigoberto Urán (EF-Drapac) a 2:27″
9. Ion Izagirre (Bahrain-Merida) a 3:03″
10. Emmanuel Buchmann (Bora-hansgrohe) a 3:15″
12. Wilco Kelderman (Sunweb) a 6:56″
13. Gianluca Brambilla (Trek-Segafredo) a 7:44″
14. Fabio Aru (UAE Team Emirates) a 8:19″

Luta pela vermelha

Os quatro primeiros estão separados por 43 segundos. Nesta contrarelógio quem sairá mais beneficiado e prejudicado? 
Para tentar responder a essa questão, analisamos os duelos entre os 4 primeiros nos últimos 7 contrarrelógios. Usamos Simon Yates como a referência, porque é quem lidera.

Simon Yates vs Alejandro Valverde


Dos sete últimos contarrelógios onde os dois estiveram presentes na mesma prova, vamos descartar aquele que fez mais diferença, porque consideramos uma anormalidade. 
Valverde apenas perdeu tempo para Yates num dos cronos e mesmo nesse foram apenas 10 segundos (0,72 seg/Km). 
Fazendo a média dos 6 confrontos, Simon Yates perde 1,29 seg/Km. Se considerarmos que Simon Yates irá perder este tempo por quilómetro então, o espanhol será o novo camisola vermelha, ganhará 41 segundos ao britânico.

Simon Yates vs Nairo Quintana


Também descartamos o crono com a diferença mais absurda. Aqui neste duelo, o equilibrio é maior, mas Simon Yates leva vantagem, apenas perdeu tempo em dois, sendo que um deles é que foi o descartado.
Se considerarmos os 0,53 seg/Km, Nairo Quintana perderia 17 segundos para o britânicos, ficando a 50 segundos na geral.

Simon Yates vs Miguel Angel López

 
Os duelos entre estes dois foram em menor número e 3 deles já este ano. Como nos casos anteriores, vamos retirar o que fez maiores diferenças, este é o caso mais evidente de que não deve ser considerado.
Simon Yates leva vantagem, com destaque para o contarrrelógio a meio do Giro deste ano, onde ganhou 70 segundos a Miguel Angel López. 
Se considerarmos que López perderia 1,74 seg/Km, conforme o calculado, então irá perder 56 segundos para Yates e ficará a 1 minuto e 39 segundos do britânico.

Conclusões
- Alejandro Valverde é o mais forte contrarrelogista dos quatro e tem fortes hipóteses de vestir de vermelho no final do dia;
- Entre Simon Yates e Nairo Quintana, as diferenças devem ser pequenas (<30 segundos);
- Miguel Angel López em teoria e pelos números é o contrarrelogista mais fraco. Terá de limitar as perdas.

- Não se deve menosprezar Steven Kruijswijk, que ainda se pode colocar na luta pelo pódio, embora seja difícil;
- Thibaut Pinot é uma incógnita para o contrarrelógio, embora, não acreditamos que faça um resultado que lhe permita se aproximar do pódio;


Seguir em directo: #LV2018 #laVuelta #Vuelta2018 #laVuelta2018
(a partir das 14:00, hora de Portugal Continental)
  (a partir das 15:00, hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário