Vuelta a España 2018 - Antevisão 15ª etapa

Para terminar os três dias nas montanhas do norte de Espanha, temos uma chegada a um dos locais mais emblemáticos do ciclismo espanhol, os Lagos de Covadonga.

Mapa
Perfil
Mirador del Fito 1ª passagem

Mirador del Fito 2ª passagem

Lagos de Covadonga
Ao todo são quatro contagens de montanha, com o final em grande nos Lagos de Covadonga, uma subida de categoria especial.
Os ciclistas começam cedo a subir, logo aos 14 quilómetros sobem o Alto de Santo Emiliano, contagem de 3ª categoria. Apesar da seguinte estar colocada 80 quilómetros depois, o terreno não é fácil, com muito sobe e desce. O Mirador del Fito terá duas passagens, por vertentes diferentes, a primeira tem o topo aos 100 quilómetros de etapa e começa-se a subir por Loroñe, subida de 1ª categoria. A segunda passagem é aos 137 quilómetros, pela vertente de Berbes, também ela de 1ª categoria.
20 quilómetros depois, os corredores enfrentaram a grande dificuldade do dia, os Lagos de Covadonga, uma das subidas mais populares de Espanha. São 13 quilómetros a 6,8%, no entanto, esta inclinação média é influenciada negativa pelos últimos 5 quilómetros, que têm zonas de descida. Os primeiros 8 quilómetros são muito duros, é aí que os ataques podem ser mais efetivos.
://twtter.com/ammattipyoraily/status/1037772679833636864

Sprint intermédio: 
-   Cangas de Onis (64 m, Km 156.3).

Subidas categorizadas:
- Alto de Santo Emiliano (3ª Cat., 518 m, 5.0 Km a 5.0%, Km 20.5),
- Mirador del Fito (1ª Cat., 571 m, 4.9 Km a 9.2%, Km 99.2),
- Mirador del Fito (1ª Cat., 571 m, 4.9 Km a 9.2%, Km 136.1),
- Lagos de Covadonga (HC, 1057 m, 13.0 Km a 6.8%, META).

Zona e abastecimento:
- Colunga (27 m, Km 88.2)

Local de partida: Ribera de Arriba


Ribera de Arriba é um município da Espanha, localizado na província e comunidade autónoma das Astúrias.
Faz parte da Rota da Prata e do Caminho de Santiago, e é dividido em cinco localidades: Ferreros, Palomar, Pereda, Soto Ribera (capital) e Tellego.
O verão é o período mais movimentado em termos de atividades culturais e desportivas. Acolhe festivais de Cinema, Jazz e Fado, bem como um Concurso de Pintura. O município também realiza a Vuelta às Asturias, uma prova Nacional de Canoagem e eventos em duas pistas da PUMP TRACK (é um tipo de terreno off-road para ciclismo).
A região conta também com rios, montanhas, caminhos, flora e fauna… natureza pura!

Local de chegada: Lagos de Covadonga

Lagos de Covadonga
O conjunto dos Lagos de Covadonga é formado por dois pequenos lagos, o Enol e o Ercina, ambos de origem glaciar e situados na parte asturiana do Parque Nacional dos Picos da Europa. Existe ainda um terceiro lago, o Bricial, que apenas tem água durante a fase de degelo, mas que também pertence ao grupo. 
Os Lagos de Covadonga situam-se no conselho de Cangas de Onís. Um conselho dominado pelos Picos da Europa, é uma porta aberta à natureza que activa todos os sentidos dos seus visitantes. 
Terra de pastagem, de mercados, de bons queijos e melhor cozinha, com uma enorme oferta hoteleira e a porta dos Picos da Europa.

Condições meteorológicas

Probabilidade baixa de chuva, temperatura a rondar os 21ºC, um pouco mais baixo nos topos. O vento soprará fraco de Sul.

Favoritos

⭐⭐⭐ Miguel Angel López, Nairo Quintana
⭐⭐ Simon Yates, Alejandro Valverde, Steven Kruijswijk
⭐ Rigoberto Uran, Thibaut Pinot, Enric Mas

A nossa aposta: Miguel Angel López
Foi segundo em Les Praeres, mas a forma como correu não impressionou, limitou-se a seguir a roda de Quintana e nunca o ajudou. 
Se quer ganhar a Vuelta terá de ganhar tempo na montanha e por isso, tem de atacar e não andar na roda dos rivais. Amanhã é um bom para se mover, até porque é uma subida boa para as suas características.

Outsider: Alejandro Valverde
Esteve forte em Les Praeres, os dias passam e o espanhol continua a ser uma ameaça muito séria. Os Lagos de Covadonga é uma subida mais adequada a Quintana, mas Valverde pode ser uma carta a ser jogada pela Movistar. O murciano conhece muito bem a subida final.

Diferenças entre os candidatos da geral:
1. Simon Yates (Mitchelton-Scott)
2. Alejandro Valverde (Movistar Team) a 20″
3. Nairo Quintana (Movistar Team) a 25″
4. Miguel Ángel López (Astana) a 47″
5. Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) a 1:23″
6. Rigoberto Urán (EF-Drapac) a 1:28″
7. Ion Izagirre (Bahrain-Merida) a 1:40″
8. Enric Mas (Quick-Step Floors) a 1:47″
10. Emmanuel Buchmann (Bora-hansgrohe) a 2:08″
11. Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) a 2:46″
12. Wilco Kelderman (Sunweb) a 3:21″
13. Fabio Aru (UAE Team Emirates) a 3:26″

Seguir em directo: #LV2018 #laVuelta #Vuelta2018 #laVuelta2018
(a partir das 14:00, hora de Portugal Continental)
  (a partir das 15:00, hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário