Giro 2018 - Antevisão 20ª Etapa

Última etapa, último duelo entre Dumoulin e Froome.



Os primeiros 130 quilómetros são planos, para que depois os últimos 80 sejam com três contagens de 1ª categoria encadeadas, com subida e descida.
A última em Cervinia, coincide com a meta, é uma subida longa, mas não muito inclinada. A mais dura das três, é a primeira, o Col Tsecore (15.8 Km a 7.6%, Km 147.2).

Sprints intermédios:  
- Samone (250 m, Km 96.9), 
- Verres (376 m, Km 130.2).

Zona de abastecimento:  
- Lessolo (249 m, Km 102.2).

Subidas categorizadas:  
- Col Tsecore (Col du Mont-Tseuc) (1ª Cat., 1599 m, 15.8 Km a 7.6%, Km 147.2),


 
- Col St. Pantaleon (1ª Cat., 1642 m, 17.7 Km a 6.6%, Km 187.3),


- Cervinia (1ª Cat., 2000 m, 17.9 Km a 5.3%, META).


Cidade de partida: Susa


Susa é uma cidade italiana da região do Piemonte, província de Turim.
Era conhecida como Segúsio (Segusium) durante o império romano.
A cidade é conhecida como a "Porta d'Itália" por causa de sua posição estratégica na confluência das estradas com as passagens de Mont Cenis e de Montgenèvre.
A longa história da cidade é testemunhada pelos numerosos e importantes monumentos.
Hoje em dia é uma cidade muito animada, frequentada por inúmeros turistas e com diversos eventos que a ligam ao seu prestigioso passado.

Cidade de chegada: Cervinia


Breuil-Cervinia é uma das principais estâncias turísticas do Vale de Aosta, pertencente ao município de Valtournenche. Um resort de inverno e verão de renome internacional, que está localizado a uma altitude de 2050 metros.
Breuil é o nome originário em francês, Cervinia é o nome italiano alocado à localidade na época fascista.
A estância localiza-se num vale rodeado por altas montanhas cobertas de glaciares, e a nua fachada rochosa do Jumeaux.
A cidade albergou os Campeonatos do mundo da FIBT (Federação Internacional de Bobsleigh e de Tobogganing) em 1971, 1975 e 1985.

Condições meteorológicas

Há a probabilidade de chuva, não é elevada. Temperaturas agradáveis a rondar os 20ºC e vento fraco.

Favoritos

*** Chris Froome
** Tom Dumoulin, Thibaut Pinot
* Fuga, Miguel Angel Lopez, Richard Carapaz, Domenico Pozzovivo

A nossa aposta: Chris Froome
O que fez ontem fala por si. Somos obrigados a colocá-lo favorito mesmo que o objetivo da equipa passe apenas por controlar a corrida.

Outsider: Tom Dumoulin
Se quer ganhar o Giro terá de atacar e deixar tudo na estrada. A forma como terminou ontem, completamente vazio, não indicia nada de bom, mas Dumoulin é um  lutador.

Top-3 final:
Não acreditamos em reviravoltas, Chris Froome e a Sky irão controlar esta etapa como querem e Tom Dumoulin irá que se ter de contentar com o segundo lugar.
1. Chris Froome
2. Tom Dumoulin
3. Thibaut Pinot

Diferenças entre os principais candidatos à geral:
1. Chris Froome (Team Sky)
2. Tom Dumoulin (Team Sunweb) a 40″
3. Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) a 4’17″
4. Miguel Ángel López (Astana) a 4’57″
5. Richard Carapaz (Movistar Team) a 5’44”
6. Domenico Pozzovivo (Bahrain-Merida) a 8’03″
7. Pello Bilbao (Astana) a 11’08”
8. Patrick Konrad (Bora-Hansgrohe) a 12’09″
9. George Bennett (LottoNL-Jumbo) a 12’35″
10. Sam Oomen (Team Sunweb) a 14’18”
11. Davide Formolo (Bora-Hansgrohe) a 15’16″
12. Alexandre Geniez (AG2R La Mondiale) a 16’29″
13. Rohan Dennis (BMC) a 16’38”
---
16. José Gonçalves (Team Katusha) a 28’16″

Seguir em directo: , @giroditalia
(a partir das 11:30, hora de Portugal Continental)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário