Vuelta a España 2017 - Antevisão 5ª etapa

Depois de uma etapa mais calma, voltamos a ter um dia mais complicado, com um final numa subida de 3ª categoria, ideal para os puncheurs.

Mapa da etapa
Perfil da etapa
Etapa dura, com 5 contagens de montanha, 4 delas concentradas nos primeiros 125 quilómetros:
- Km 23.8 – Alto del Desierto de las Palmas 7.8 km de subida a 4.8%, cat. 2;
- Km 55.3 – Alto de Cabanes 7.3 km de subida a 4.4%, cat. 3;
- Km 87.6 – Coll de la Bandereta 4.6 km de subida a 7.6%, cat. 2;
- Km 125.2 – Alto de la Serratella 13.2 km de subida a 3.7%, cat. 2.

O cansaço acumulado fará com que os ciclistas cheguem à última subida, que coincide com a meta, a subida poderá fazer uma seleção final e poderão mesmo haver diferenças entre os primeiros. A meta fica situada a 340 metros de altitude, numa ascensão ideal para os puncheurs:
- Km 175.7 – Ermita Sta. Lucía. Alcossebre. 3.4 km de subida a 9,7%, cat. 3.
É um subida muito explosiva, com zonas muito duras, que se reflectem na média de 9,7%.

Nota: A subida final está descrita pela organização como 3,4 Km a 4,2% no entanto, deve haver um erro, já que a diferença de altura são 330 metros, em 3,4 Km, o que dá cerca de 9,7% de inclinação média.

Cidade de partida: Benicàssim


Benicàssim é um município da Espanha na província de Castelló, comunidade autónoma da Comunidade Valenciana.
O nome da localidade deriva do árabe (banī Qāsim), cujo significado literal é o filho de Casim. Casim, por seu lado, significa negociante.
A atmosfera para a etapa está assegurada pois, em Benicàssim, não faltam visitantes no final de Agosto. A cidade já foi palco de início de etapa da Vuelta por sete vezes.

Cidade de partida: Alcossebre


Alcossebre é uma localidade que, juntamente com CapiCorp e Las Fuentes, pertence ao município de Alcalà de Xivert, na província de Castelló, Comunidade Valenciana. 
Trata-se de uma pequena cidade, composta por dez quilómetros de costa, com cinco praias de grande qualidade: a do carregador, a romana, a do moro, a de Manyetes (ou Tropicana) e a das fontes. Todas as prais têm bandeira azul como um sinal de qualidade. 
Para além da zona costeira, Alcossebre também é conhecida pelas montanhas pertencentes à paisagem natural da Serra de Irta.

Condições meteorológicas

Céu limpo durante toda a etapa, com temperaturas a rondarem os 30ºC. O vento soprará moderado de sudeste.

Favoritos

Diferenças entre os candidatos à geral e portugueses após a 3ª etapa:
1. Chris Froome (Team Sky)
2. David de la Cruz (Quick-Step Floors) a 2″
4. Tejay Van Garderen (BMC) a 2″
5. Vincenzo Nibali (Bahrain-Mérida) a 10″
6. Esteban Chaves (Orica-Scott) a 11″
7. Fabio Aru (Astana Pro Team) a 38″
8. Adam Yates (Orica-Scott) a 39″
10. Romain Bardet (AG2R La Mondiale) a 48″
11. Simon Yates (Orica-Scott) a 48″
13. Warren Barguil (Team Sunweb) a 1:22″
14. Ilnur Zakarin (Katusha-Alpecin) a 1:29″
18. Louis Meintjes (UAE Team Emirates) a 1:43″
21 Nélson Oliveira (Movistar Team) a 1:54"
22. Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) a 1:56″
23. Miguel Ángel López (Astana Pro Team) a 1:57″
24. Rui Costa UAE Team Emirates 1:58"
27. Daniel Moreno (Movistar Team) a 2:58″
28. Alberto Contador (Trek-Segafredo) a 3:10″

54. Ricardo Vilela Manzana Postobon 11:16"
117. José Gonçalves Katusha-Alpecin 21:09"
184. Rafael Reis Caja Rural-Seguros RGA 32:48"


*** Chris Froome, Esteban Chaves
** Michael Woods, Julian Alaphilippe, Fabio Aru, Romain Bardet
* Vincenzo Nibali, Adam Yates, David de la Cruz, Miguel Angel Lopez
FUGA (Thomas de Gendt, Omar Fraile, Maxime Monfort, José Gonçalves, Luis Léon Sanchez, Daniel Navarro)

A nossa aposta: FUGA
A etapa deverá ser controlada pela Sky, que lhe interessa defender a liderança de Chris Froome. Para isso, não é descabido que a equipa britânica deixe que uma fuga vingue, evitando que os adversários de Froome possam bonificar na meta, já que a subida adequa-se melhor a outro tipo de ciclistas.
De entre os possíveis nomes que podem estar em fuga, acreditamos que Omar Fraile e Thomas de Gendt possam prevalecer.

Outsider: Esteban Chaves
O colombiano está em forma e aparece na Vuelta fresco, apesar de ter estado no Tour, onde apenas rodou. Esta subida assenta-lhe bem, muito explosiva e foi neste tipos de subidas que brilhou na Vuelta de 2015, onde venceu duas etapas.

Seguir em directo: #LV2017 #laVuelta #Vuelta2017 #laVuelta2017
(a partir das 12:00)
(a partir das 15:00)

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário