Quem foi o rei da primavera?

Greg Van Avermaet e Alejandro Valverde na Amstel Gold Race em perseguição de Philipp Gilbert (Foto de Sirotti)

Esta semana, oficialmente terminou a primavera, dando lugar ao verão, que no ciclismo é dominado pela Volta à França, Volta à Espanha e para nós, também pela nossa querida Volta a Portugal. 
A primavera é a época do ano mais intensa e vibrante, para muitos dos que acompanham a modalidade. A resposta que procuramos, é quem foi o ciclista que mais se destacou durante este período.

Os candidatos

As principais provas que decorreram na primavera e aquelas que mais peso têm para esta análise, foram os monumentos (Milão-São Remo, Volta à Flandres, Paris-Roubaix e Liège-Bastogne-Liège), as provas por etapas do World Tour (Paris-Nice, Tirreno-Adriático, Volta a Catalunha, Volta ao País Basco, Volta à Romandia, Critérium du Dauphiné e Volta à Suiça) e o Giro d'Itália.
O Milão-São Remo, Paris-Nice e Tirreno-Adriático, apesar de se disputarem, pelo calendário, ainda no inverno, são geralmente consideradas provas que pertencem à primavera.
Existem uma série de clássicas, que também são importantes e que também têm algum peso, nomeadamente, a Amstel Gold Race, Flèche Wallone, Gent-Wevelgem e a E3 Harelbeke.

Analisando os resultados das provas citadas anteriormente, existem três candidatos que sobressaem: Greg Van Avermaet, Philipp Gilbert e Alejandro Valverde. Com Michal Kwiatkowski e o vencedor do Giro, Tom Dumoulin, a estarem no segundo patamar.

Em termos de resultados, observamos o seguinte:
  • Greg Van Avermaet venceu a E3 Harelbeke, Gent Wevelgem e a raínha das clássicas, Paris-Roubaix, Menos importante, mas que não se pode ignorar foi a vitória na geral individual da Volta ao Luxemburgo, com duas etapas no bolso;
  • Philipp Gilbert renasceu em 2017, venceu Volta à Flandres, Amstel Gold Race e uma etapa da Volta à Suiça. Adicionado a isso, venceu os 3 dias de Panne de forma brilhante, com uma vitória de etapa, dando sinais que estava de regresso ao melhor;
  • Alejandro Valverde continua a mostrar ano após ano, que é como o vinho do Porto. Venceu a Volta à Catalunha, com três vitorias de etapa, a Volta ao País Basco com uma etapa conquistada, a Flèche Wallone e a Liège-Bastogne-Liège;
  • Michal Kwiatkowski regressou à boa forma. Conquistou o seu primeiro monumento a Milão-São Remo e no inicio do mês de março tinha conquistado a Strade Bianche, mas a prova italiana não entra para estas contas;
  • Tom Dumoulin tem de ser mencionado, afinal de contas arrecadou a primeira grande volta do ano, o Giro d'Italia, que ainda por cima celebrou a sua 100ª edição. Para conseguir conquistar a primeira grande volta, venceu duas etapas.
Os três primeiros, apresentam vitórias em mais provas e mais variadas, o que lhes dá uma vantagem sobre os dois últimos. Dumoulin e Kwiatkowski, venceram duas das provas mais importantes da temporada, o que faz com que mereçam ser mencionados.

Em Portugal

A grande figura da temporada de ciclismo português, em Portugal, foi sem dúvida nenhuma, Raúl Alárcon. Venceu a Volta às Astúrias, batendo Nairo Quintana, foi 2º na Volta à Comunidad de Madrid, conquistou Grande Prémio Jornal de Notícias e foi 4º no Grande Prémio das Beiras. No total, para o seu currículo esta primavera contabilizou, nada mais nada menos que quatro etapas.

O veredicto

Como já foi referido acima, a resposta está entre Greg Van Avermaet, Philipp Gilbert e Alejandro Valverde.
O belga da BMC tem a seu favor o facto de ter vencido a raínha das clássicas e também a temporada de clássicas de pavé, que foi nada menos que extraordinária. O grande rival durante a primavera, foi Philipp Gilbert, que o bateu de forma incrível, com uma fuga solitária a mais de 50 quilómetros da meta na Volta à Flandres, Avermaet foi 2º nesse dia, o que demonstra que se não venceu, nas clássicas do pavé esteve sempre perto este ano.
Já o espanhol da Movistar impressionou na Catalunha, dominou como quis e estendeu esse domínio ao País Basco. Na Liège-Bastogne-Liège era o grande favorito e confirmou-o, com uma vitória fácil e mais um monumento para o seu currículo.


Devido ao domínio exercido e também pela quantidade de vitórias importantes, na nossa opinião, Alejandro Valverde é o rei da primavera 2017. 

E para vocês, quem é?


Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário