Sagan: "Kwiatkowski deve-me algumas cervejas"

Pódio Milão-São Remo 2017 (Foto: Tim de Waele/TDWSport.com)
No sábado passado realizou-se a Milão-São Remo e Michal Kwiatkowski foi o vencedor, apesar de para muitos não ter sido o ciclista mais forte em prova. 
O campeão do mundo, Peter Sagan, fez o movimento que partiu a corrida, tendo ficado isolado juntamente com Kwiatkowski e Alaphilippe.
Assistimos aos filme do costume, praticamente os dois ciclistas não colaboraram com Sagan e este "rebocou" o grupo até à meta. Na altura do sprint final, Kwiat foi o mais forte e venceu assim o primeiro Monumento da sua carreira. 

No final Sagan mostrou-se contente com a prova e o resultado final.
"Estou satisfeito. O resultado é importante, mas dar espetáculo aos aficionados também é. O mais forte nem sempre ganha", afirmou Sagan.
"A única coisa que faltou hoje foi um pouco de cooperação dos outros ciclistas. Mas tudo bem. Eu fiz o meu papel e estou feliz com isso. Assim é o ciclismo."
"Trabalhei bastante nos últimos cinco quilómetros, enquanto eles passaram uma vez cada um. Produzi muitos watts no sprint final, mas não ganhei."
"Eu não tinha planeado nada porque a corrida dependia de como me iria sentir", afirmou Sagan sobre se o seu ataque no Poggio estaria planeado. "Eu nunca imaginei ir tão bem. Pensei que outros ciclistas iriam atacar, não sei porque não o fizeram. Talvez não tivessem pernas..."
E terminou de forma descontraída: "Agora Kwiatkowski deve-me algumas cervejas". 

Fonte: https://cyclingtips.com


 

Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário