Gent - Wevelgem: Greg Van Avermaet vence; Søren Kragh Andersen denuncia cuspidela de Terpstra e Peter Sagan descreve táctica de Terpstra como 'jogo muito sujo'

Pódio da Gent-Wevelgem 2017 (Foto: Bettini Photo)

Greg Van Avermaet leva a vitória para casa

Greg Van Avermaet aproveitou alguma confusão e acelerou com a companhia de Keukeleire. No final, o campeão olímpico bateu, ao sprint, o ciclista da Orica-Scott e levou a vitória para casa, somando assim um total de 3 vitórias em clássicas durante a presente temporada (Omloop Het Nieuwsblad, E3 Harelbeke e Gent-Wevelgem).
"Não esperava ganhar a Gent-Wevelgem, mas estou muito feliz. Nunca é fácil ganhar estas provas e, normalmente, a Gent-Wevelgem não é uma prova para mim. Sem dúvida é o melhor começo de temporada que alguma vez tive. Ganhar três clássicas é uma sensação incrível e dá-me confiança extra para a Volta a Flandres"
"Sobre a Volta a Flandres, o que posso dizer que eu não sou o favorito. Estas vitórias dão-me confiança extra antes do próximo domingo. Na sexta-feira eu disse que posso vencer qualquer um ao sprint numa corrida muito dura. Agora vamos começar a pensar na Volta a Flandres, na qual vou dar tudo o que tenho ".

"Terpstra perdeu a cabeça e cuspiu-me na cara", disse Soren Kragh Andersen.

A Gente-Wevelgem proporcionou a todos os fãs de ciclismo um fantástico dia mas no final houveram algumas polémicas à mistura. Uma delas foi a denúncia que Soren Kragh Andersen fez contra Niki Terpstra.

Andersen era um dos cinco ciclistas que estavam na frente da corrida, mas a certo momento, ele, Terpstra e Sagan ficaram para trás. Andersen acabou mesmo por ser apanhado pelo pelotão, praticamente encima da linha da meta e foi o 16º classificado do dia. No final da prova, o ciclista do Team Sunweb estava zangado e acusou o ciclista da Quick-Step Floors de ter cuspido em cima dele.
Por sua parte, Terpstra ainda não dirigiu uma palavra sobre a acusação.

Peter Sagan diz que a táctica de Niki Terpstra é "um jogo muito sujo".

Soren Kragh Andersen não era o único zangado com Niki Terpstra, Peter Sagan também lançou algumas palavras duras ao ciclista da Quick-Step Floors.
Na parte final da prova, cinco ciclistas destacaram-se dos demais: Greg Van Avermaet, Jens Keukeleire, Peter Sagan, Niki Terpstra e Soren Kragh Andersen. Tudo parecia indicar que o final seria disputado ao sprint entre estes cinco ciclistas até que, numa altura que Avermaet força um pouco o ritmo, Sagan afasta-se numa tentativa de obrigar Terpstra a trabalhar e a ser ele a fechar o espaço. Mas Terpstra não reagiu da forma que Sagan pretendia e Avermaet com Keukeleire começaram a ter alguns segundos de vantagem.
Peter Sagan ainda acelerou para tentar alcançar a frente da corrida e livrar-se dos seus dois camaradas mas Terpstra e Andersen aguentaram-se na roda do campeão do mundo.

No final, Peter Sagan não poupou nas palavras:
"Eu não sei o que é que o Terpstra tencionava, ele entrou na fuga e depois não quis trabalhar. Este é apenas um exemplo de como podem perder a corrida contra mim.
O que é que eu posso fazer? Eu não sou seu colega de equipa. Eu vou trabalhar para quê, para Terpstra me bater ao sprint? Eu hoje decidi quem podia ganhar."
"Mas não estou decepcionado, estou mais motivado. Se uma pessoa está frente a ganhar talvez perca a motivação. Agora estou motivado para conquistar algumas vitórias. Mas como sabem será contra todos. Isto não é desporto, não sei, talvez seja um jogo muito sujo."

Mais uma vez, de Terpstra nem uma palavras, mas Tom Boonen saiu em defesa do colega de equipa.
"Niki não falhou, Sagan falhou. Se és o Sagan e estás numa situação destas, tu tens sempre de reagir. Hoje, quem perdeu a corrida foi ele, não foi o Niki." 
Fontes: 
http://www.cyclingnews.com/news/van-avermaet-i-can-no-longer-say-im-not-the-tour-of-flanders-favourite/
http://www.ciclismointernacional.com/noticias-breves-del-peloton-21/
http://www.ciclismointernacional.com/noticias-breves-del-peloton-20/

Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário