Vuelta a Andalucia Ruta Ciclista Del Sol (2.HC) - Antevisão


A Vuelta a Andalucia comemora em 2017 a sua 63ª edição. Em 2015 esta prova foi palco de um dos duelos mais intensos e que ficará para a história do ciclismo, Froome versus Contador e em 2016, teve direito a espetáculo particular de Alejandro Valverde.
A prova no calendário rivaliza diretamente com o Omã e o Algarve, provas que servem de preparação para as melhores equipas.
O calendário espanhol tem vindo a renascer depois de anos complicados, com a crise económica e o escândalo da Operacion Puerto a fazer mossa na modalidade no país vizinho. A Ruta del Sol foi das poucas que resistiram aos problemas que afectaram o ciclismo espanhol. 
Tem de se realçar os organizadores da prova, que têm vindo a realizar um excelente trabalho e o resultado tem sido as excelentes edições dos últimos anos.


História
últimos 10 vencedores
2007 Óscar Freire (ESP)  Rabobank
2008 Pablo Lastras (ESP) Caisse d'Epargne
2009 Joost Posthuma (NED) Rabobank
2010 Michael Rogers (AUS) Team HTC–Columbia
2011 Markel Irizar (ESP) Team RadioShack
2012 Alejandro Valverde (ESP) Movistar Team
2013 Alejandro Valverde (ESP) Movistar Team
2014 Alejandro Valverde (ESP) Movistar Team
2015 Chris Froome (GBR) Team Sky
2016 Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team

Edição 2016 (Top-10)
1 Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team 17:41:10
2 Tejay Van Garderen (USA) BMC Racing Team 0:00:26
3 Bauke Mollema (Ned) TFR 0:00:52
4 Wilco Kelderman (Ned) Team LottoNl-Jumbo 0:00:56
5 Rafal Majka (Pol) Tinkoff Team 0:01:11
6 Roman Kreuziger (Cze) Tinkoff Team 0:01:37
7 Wouter Poels (Ned) Team Sky 0:01:42
8 Brent Bookwalter (USA) BMC Racing Team 0:02:03
9 Daniel Navarro Garcia (Spa) Cofidis, Solutions Credits 0:02:14
10 Mikel Nieve Ituralde (Spa) Team Sky 0:02:45

Percurso
Etapa 1 - 15 de fevereiro - Rincón de la Victoria Granada (155 km)
Etapa 2 - 16 de fevereiro - Torredonjimeno Mancha Real (177,9 km)
Etapa 3 - 17 de fevereiro - Lucena Lucena (11,9 km)
Etapa 4 - 18 de fevereiro - La Campana Sevilla (179,3 km)
Etapa 5 - 19 de fevereiro - Setenil de las Bodegas Coín (151,5 km)
Total:  675,6 km

As etapas que deverão decidir a geral, são a 2ª etapa, com o final em alto e a 3ª, que é um contra-relógio individual de 12 Kms.
Em relação a edições recentes, o percurso é menos duro, com menos montanha e apenas com duas etapas realmente decisivas para a geral.
As 4ª e 5ª etapas são ideias para os velocistas, enquanto que a 1ª tem  montanha com um final em plano, ideal para ciclistas versáteis, que consigam aguentar um percurso acidentado.
Com esta disposição de etapas, a geral deverá ser decidida nos 3 primeiros dias.

Perfis
Etapa 1 - 15 de fevereiro - Rincón de la Victoria Granada (155 km) 



A 1ª etapa tem 155 Kms de extensão, num terreno muito acidentado. Serão 5 contagens de montanha, a primeira é de 1ª categoria, Puerto de Zafaraya (11,7 km, 5,4%), que tem início depois dos 43,8 Kms. Em seguida vem duas ascensões de 3ª categoria, Alto del Navazo (4,0 km, 3,8%) e o Alto de Alhama (4,2 km, 4,5%). E a completar a sucessão de três subidas em poucos Kms, os corredores apanham o Alto del Lucero (5,4 km, 5,2%), que é de 2ª categoria, o topo desta última, está a 72 Kms.
A última subida do dia, tem o seu topo a 19 Kms da meta, é o Puerto de Monachil de 1ª categoria, com 11,2 Kms de extensão a 6,3% de inclinação média.

** Fabio Felline
* Tim Wellens

Etapa 2 - 16 de fevereiro - Torredonjimeno Mancha Real (177,9 km)


Ao segundo dia, aparece a tirada mais dura da prova, com quatro contagens de montanha categorizadas, a última das quais a praticamente coincidir com a linha de chegada.
Logo aos 28 Kms, os corredores começam a subir o Puerto Viejo (8,4 km, 5,3%), ascensão de 1ª categoria.
O percurso depois da primeira subida do dia é mais simpático para os ciclistas, com muito sobre e desce, mas sem grandes dificuldades, que chegam a 44 Kms do final, com a subida de 2ª categoria, ao Puerto de Siete Pilillas (7,1 km, 5,9%). Ainda antes da subida final, há uma de 3ª categoria, Puerto de Torres (12,8 km, 2,6%), que servirá de aquecimento, para a batalha final, que se dará no Puerto Peña Aguila, uma ascensão de 1ª categoria, que conta com 5,3 Kms a 9,2% de inclinação média. A parte inicial da subida é a pior, com os últimos 3 Kms a terem 6% de média.

** Alberto Contador
* Alejandro Valverde

Etapa 3 - 17 de fevereiro - Lucena Lucena (11,9 km)


Ao terceiro dia, a geral deverá ficar decidida com um esforço individual de quase 12 Kms, que se realiza perto de Córdoba, na cidade de Lucena.
O perfil não é muito difícil, com subidas ligeiras e pouco técnico, ideal para os verdadeiros especialistas.

** Ion Izagirre
* Matthias Brändle

Etapa 4 - 18 de fevereiro - La Campana Sevilla (179,3 km)


 A 4ª etapa pode ser dividida em 3 partes. A 1ª que vai da cidade de partida, La Campana até aos 35 Kms, é plana, a 2ª situa-se no meio da etapa, é aquela que contém as grandes dificuldades do dia e são cerca de 60 Kms. Ao todo são 3 subidas categorizadas, Alto de las Minas (3ª categoria), Alto de Constantina (2ª categoria) e Alto de Cazalla (3ª categoria).
Depois disso, aparece a 3ª parte da tirada, que resume-se à descida até ao nível do mar e terreno plano até à meta, que está situada na maior cidade Andaluza, Sevilha.

** Bryan Coquard
* Raymond Kreder

Etapa 5 - 19 de fevereiro - Setenil de las Bodegas Coín (151,5 km)


A última etapa começa com uma subida suave e seguido de descida e nova ascensão até à mítica cidade de Ronda. Depois os corredores começam a subida de 2ª categoria para Puerto del Viento (6,5 km, 3,9%). Esta é a parte da etapa mais complicada que contempla mais uma ascensão, esta de 3ª categoria, Puerto de las Abejas (6,8 km, 3,8%).
Depois é descida e terreno plano, mas a parte final contempla uma subida de 3ª categoria, Alto de Jarapalos (5,9 km, 2,2%), que se situa a 16,5 Kms da meta, pode ser uma oportunidade para surgirem ataques, porém as equipas dos sprinters devem controlar a corrida.

** Moreno Hofland
* Bryan Coquard

Startlist
Aqui

Favoritos
A prova terá um atrativo especial, a estreia de Alberto Contador na temporada 2017, ainda por cima com novas cores e depois de um estágio em Teide. Acreditamos que o espanhol já estará em boas condições físicas mas sem ritmo competitivo. Será que é suficiente para ganhar a Ruta del Sol?
O outro grande nome presente, é Alejandro Valverde. O murciano deu um autêntico recital na Vuelta à Múrcia e já conta com alguns Kms em competição no que decorre da temporada. Por esta razão, em teoria parte em vantagem em relação a Contador.
O contrarrelógio será essencial para a geral e por essa razão, Jon Izagirre tem de ser citado. O espanhol já se mostrou em Múrcia e com este percurso é sem dúvida um dos favoritos, já que é capaz de se aguentar na montanha.
A Sky apresenta uma equipa bastante forte para a montanha , com Mikel Landa, Mikel Nieve e Diego Rosa. Mas é Wout Poels que dá mais garantias para a geral, até porque o contrarrelógio o beneficia e também já competiu em 2017, ao contrário, dos mencionados anteriormente.
A Sunweb, apresenta Warren Barguil e Sam Oomen, como apostas para a geral. Os dois estreiam-se em 2017. Serão penalizados no contrarrelógio, mas nas montanhas espera-se que um deles, ande pelos primeiros lugares.
Thibaut Pinot este ano aposta no Giro e começou mal a sua preparação. Na Valenciana, esteve doente e não pôde fazer uma prova 'normal'. Ainda temos dúvidas que seja na Andaluzia que o francês esteja com os melhores.
Em relação a outros nomes, curiosidade para ver o que faz Rigoberto Uran, Tim Wellens (esteve em destaque em Maiorca) e Sebastien Reichenbach.

***** Alejandro Valverde, Alberto Contador
**** Wout Poels, Ion Izagirre
*** Mikel Landa, Warren Barguil, Thibaut Pinot
** Rigoberto Uran, Sam Oomen, Sebastien Reichenbach
* Tim Wellens, Gorka Izagirre, Hugh Carthy

A nossa aposta: Alejandro Valverde
Outsider: Wout Poels

Seguir em directo: @VCANDALUCIA; #63RdS; #VueltaAndalucia

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário