Andrei Grivko: " Respondi agressivamente, a uma acção agressiva do outro lado"


O incidente ocorreu numa altura da corrida que as equipas lutavam por posicionamento pois enfrentavam ventos laterais, situação que motiva sempre algum stress nos ciclistas. O ciclista da Astana decidiu contar a sua versão da história e para isso utilizou a sua conta de Facebook. Aqui fica o post que ele publicou da referida rede social:
O incidente de hoje no Dubai Tour.
Gostaria de revelar a minha visão sobre o incidente, que motivou o conflito com Marcel Kittel.
Estou no ciclismo desde os 12 anos e como todos, entendo que é normal, quando os velocistas lutam pela posição a faltar 3 km para a meta. Mas, quando acontece com a 100 km para o final, num estilo áspero e duro, sob condições meteorológicas difíceis, coloca em risco os corredores.
Assim, na luta pela posição, e como foi confirmado pelo próprio kittel, ele empurrou com o ombro, em primeiro lugar o meu colega de equipa Dmitriy Gruzdev e depois eu, criando uma situação tensa e perigosa, que podia causar não só a minha queda, mas um acidente no pelotão.
Respondi agressivamente, a uma ação agressiva do outro lado. Talvez, tenha levado para o lado emocional e a minha reação nada tenha a ver com andar de bicicleta, mas em situações extremas, quando existe uma questão de segurança, é difícil manter a calma.
Acredito, que tal comportamento, pondo em perigo a vida e a saúde dos atletas, por causa do seu egoísmo, não tem nada a ver com andar de bicicleta também. Em Pelotão todos somos iguais e temos direitos iguais, não importa se você é um famoso sprinter ou Neo-Pro. Devemos todos nos respeitar.
Para mim, é também uma atitude anti-desportiva, quando você acha que tem direito a ocupar um determinado lugar só porque é um ciclista famoso ou não está de bom humor.
Depois desse incidente, Kittel repetidamente, no verdadeiro sentido da palavra, cuspiu na minha direção, também acredito que isso não tenha nada a ver com andar de bicicleta.
Posso garantir que não era "um ataque contra um rival", surgiu do nada. Além disso, como foi dito por Kittel, o meu peso é 70 kg contra o dele, que é 86.
No entanto, mais uma vez peço desculpas aos organizadores da corrida, a todos os fãs, e claro, à minha equipa por este incidente desagradável, que levou à minha exclusão da corrida.



Isto mais parece uma novela mexicana em pleno deserto.

*Foto retirada da conta de facebook de Andrei Grivko.

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário