Vuelta a San Juan (2.1) - Antevisão


Com o fim do Tour de San Luis, devido a problemas de orçamento, a província vizinha (San Juan) aproveitou para internacionalizar a sua prova de ciclismo.
Na prática, esta será a 35ª edição da prova que agora é a mais categorizada do país das Pampas, mas é a 1ª edição com um pelotão profissional e ainda por cima com muita qualidade.
Nos últimos anos, o Tour de San Luis marcava o arranque da temporada para muitos dos melhores ciclistas do mundo, este ano, o pelotão muda-se para San Juan, que além de ser uma província vizinha de San Luis, faz fronteira com o Chile.
O pelotão que estará presente é de qualidade, com Vincenzo, Nibali, Rui Costa, Bauke Mollema, Fernando Gavíria e Tom Boonen a serem os cabeças de cartaz. Estarão presentes 4 equipas do World Tour: UAE Abu Dhabi, Quick-Step Floors, Trek-Segafredo e Bahrain-Merida e 6 Pro-Continentais: Nippo-Vini Fantini, Androni Giocattoli, Bardiani-CSF, Wilier-Triestina, UnitedHealthCare e Caja Rural-Seguros RGA.



Percurso
7 etapas realizadas de 23 a 29 de Janeiro
Etapa: 1 - 23 Janeiro : San Juan - San Juan 143km
Etapa: 2 - 24 Janeiro : San Juan - San Juan 129km
Etapa: 3 - 25 Janeiro : San Juan - San Juan 12km
Etapa: 4 - 26 Janeiro : San Martín - San Martín 122km
Etapa: 5 - 27 Janeiro : Chimbas - Alto Colorado 163km
Etapa: 6 - 28 Janeiro : Pocito - Pocito 186km
Etapa: 7 - 29 Janeiro : San Juan - San Juan 138km
Total: 893km

Os ciclistas percorrerão 889 Kms ao longo de 7 dias, divididos por 5 etapas planas, 1 de montanha e um contrarrelógio.
A capital da província será a 'base' da prova, com 4 das 7 etapas a começarem e a terminarem ali. San Martin, Pocito, Chimbas e o Alto Colorado são os outros locais que têm o privilégio de receber uma partida ou chegada da prova. A etapa raínha é a 5ª, com chegada ao Alto Colorado, porém o contrarrelógio da 3ª etapa também promete fazer algumas diferenças.
O calor será um dos factores a ter conta durante a prova, o hemisfério sul está em pleno verão e nesta região as temperaturas nesta altura do ano ultrapassam diversas vezes os 40ºC durante o dia.

Perfis
Etapa: 1 - 23 Janeiro : San Juan - San Juan  143km

Etapa completamente plana (com apenas uma pequena subida ao Km 36), que começa e acaba em San Juan. As equipas dos sprinters, têm a responsabilidade de controlar a corrida.
Fernando Gavíria em 2015 apareceu em força na alta roda do ciclismo mundial, ao bater duas vezes Mark Cavendish no Tour de San Luis. Se Caleb Ewan dominou na Austrália, o sprinter colombiano não deverá querer ficar para trás, nesta luta entre jovens prodígios.
Elia Viviani é o outro grande sprinter presente na prova.

** Fernando Gavíria
* Elia Viviani

Etapa: 2 - 24 Janeiro : San Juan - San Juan 129km


Etapa com duas subidas categorizadas, aos 36,1 e 97,5 Kms, que não complicam a vida aos sprinters. Esta é mais uma das etapas onde a probabilidade de uma chegada em pelotão compacto é elevada, o perfil assim o diz e caso as equipas dos sprinters, nomeadamente a QuickStep, controlem a corrida, dificilmente outro cenário se coloca como hipótese.
Os favoritos serão os mesmo da 1ª etapa.

** Fernando Gavíria
* Elia Viviani

Etapa: 3 - 25 Janeiro  : San Juan - San Juan 12km

Contrarelógio não muito longo e completamente plano, ideal para os especialistas. Dos nomes presentes, destacam-se Boaro e Brandle, mas há um que também merece uma referência. Rafael Reis, que no ano passado em Portugal foi o grande dominador da especialidade, sendo apenas batido nos campeonatos nacionais e no 2º contrarrelogio da Volta a Portugal. O ciclista de Palmela,  em 2017 correrá na Caja Rural.Seguraos RGa e na Argentina terá a oportunidade de brilhar na sua especialidade.

** Manuele Boaro
* Matthias Brandle

Etapa: 4 - 26 Janeiro : San Martín - San Martín 122km

Antes da etapa raínha, os ciclistas ainda têm uma etapa plana, mais uma que foi feita para os sprinters. Desta vez, a tirada tem partida e chegada em San Martin, que se situa nas redondezas da capital da província.
Os favoritos são os mesmos das duas primeiras etapas.

** Fernando Gavíria
* Elia Viviani

Etapa: 5 - 27 Janeiro : Chimbas - Alto Colorado 163km


A 5ª etapa é sem dúvida, aquela que irá decidir o vencedor da prova. São quatro contagens de montanha, 1 de 3ª categoria, 2 de 2ª categoria e a chegada fica numa de 1ª categoria. 
Os primeiros 35 Kms são relativamente planos, até ao inicio da primeira subida do dia, que é o alto de Vilicum, que já se situa acima dos 1000 metros de altitude. Depois de uma pequena subida e uma secção plana até aos 80,6 Kms, o corredores voltam a subir, até aos Baños de Talacasto (1400m de altitude, 2ª categoria) e continuam a subir até, Alto de la Crucecita (1752m de altitude, 2ª categoria).
Antes de enfrentar a principal subida do dia, que coincide com o final, os ciclistas descem e apanham uns Kms de terreno plano, até que a 15 Kms do final, enfrentam o Alto Colorado.
Não é uma subida complicada, são 15 Kms a 4,4% de inclinação média.

** Eduardo Sepúlveda
* Vincenzo Nibali

Etapa: 6 - 28 Janeiro : Pocito - Pocito 186km

Depois do dia para os trepadores e homens da geral, o pelotão volta à 'normalidade', com mais um dia sem grandes dificuldades. Há apenas uma contagem de montanha de 3ª categoria, aos 80,8 Kms de corrida.
Os favoritos serão os mesmo que se apresentaram nas etapas planas, apesar do cansaço que possam já ter nas pernas e por ser inicio de temporada, onde o ritmo ainda não é o ideal.

** Fernando Gavíria
* Elia Viviani

Etapa: 7 - 29 Janeiro : San Juan - San Juan138km


A etapa final, será realizada num circuito de 15,9 Kms na cidade de San Juan. Os primeiros 11 Kms, serão realizados fora do mesmo até se chegar à meta pela primeira vez. Serão 8 voltas, num percurso plano, mais uma vez ideal para os sprinters.

** Fernando Gavíria
* Elia Viviani

Startlist

Favoritos
Em teoria, o grande favorito da prova seria Vincenzo Nibali, mas a condição física do italiano é uma incógnita e o mesmo se aplica a todos os outros candidatos das equipas do World Tour. O italiano irá fazer a sua primeira prova com a Bahrain-Merida e apesar das dúvidas, na conferência de imprensa antes da prova, disse que iria tentar ganhar uma etapa e se possível a prova.
Rui Costa, também afirmou que todas as corridas para ele são um objectivo, mas tal como Nibali, há a dúvida da condição física, se já é a ideal para lutar pela vitória.
A Trek-Segafredo também se apresenta na Argentina com um dos seus chefes de fila, neste caso, Bauke Mollema, que este ano tem o Giro como grande objetivo. 
A Caja -Rural-Seguros RGA, apresentam-se na Argentina com uma equipa bastante interessante, onde Sérgio Pardilla se destaca, o espanhol costuma brilhar neste tipo de prova de uma semana e com uma concorrência deste nível, que é boa, mas está longe de ser extraordinária.
Os colombianos costumam brilhar nestas provas de inicio de temporada, em San Luis, no ano passado, a prova foi ganho por Dayer Quintana e Julian Arredondo, que este ano voltou para a estrutura da Nippo-Vini Fantini e estará em San Juan, fez 4º na geral e venceu duas etapas, em San Luis na edição de 2014.
O miúdo prodígio Egan Bernal é outro nome a ter em conta, o colombiano certamente vai querer se mostrar, como o fez nalgumas provas em 2016.
O veterano Óscar Sevilla, que contínua a dar cartas na América do Sul. O espanhol compete apenas no continente sul-americano e tem nesta prova, uma oportunidade de mostrar que ainda está 'vivo'.
Por fim, era injusto não mencionar o vencer das últimas 3 edições, Laureano Rosas, revelou que espera estar no pódio no final. O ciclista argentino de 26 anos, correrá em 2017, por uma equipa romena.

***** Eduardo Sepúlveda
**** Vincenzo Nibali, Rui Costa
*** Rodolfo Torres, Sérgio Pardilla
** Bauke Mollema, Egan Bernal
* Laureano Rosas, Óscar Sevilla

A nossa aposta: Eduardo Sepúlveda
Foi 2º na edição do ano passado do Tour de San Luis e esperamos que a sua forma seja parecida em 2017, por essa razão, achamos que é o grande favorito a vencer a prova.
Ainda terá a motivação de estar a correr no seu país. 

Outsider: Rodolfo Torres
Habitualmente apresenta-se em excelente forma na prova inaugural da temporada. No ano passado, em San Luis foi 6º da geral e em 2015 foi 2º.
Além do mais, realizou um final de 2016 muito bom, com resultados interessantes nas clássicas italianas. Tem evoluído bem e em San Juan, na nossa opinião lutará pela vitória.

Seguir em directo: @vueltasanjuanok; #VueltaSJ


Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário