Volta a Portugal 2016 - Antevisão 4ª etapa

A festa do ciclismo Português tem o seu auge na Senhora da Graça. A subida ao Monte Farinha, junta milhares e milhares de pessoas subida acima, tudo para ver os ciclistas passarem.
Este é um dos dias marcantes de qualquer Volta a Portugal, porque é o dia em que os fãs de ciclismo em Portugal esperam e porque faz a selecção dos candidatos a vencer a prova.
Os corredores começam a jornada logo a subir para a Serra da Nogueira (3ª cat.,6,7 Km@4.6%), depois seguem para a zona de Valpaços, onde se encontra a Meta Volante. Seguindo para duas contagens de 2ª categoria,  Argemil (9.4 Km@3,7%) e Serra da Padrela (6 Km@4,7%).
Após a Padrela, os corredores descem para Vila Pouca de Aguiar, onde se situa a segunda Meta Volante. Depois da zona de alimentação continuam a descer até ao sopé da subida da Barragem do Alvão, uma ascencão de 1ª categoria, 8,8 kM@7,3.
Depois uma longa descida até Mondim de Bastos, onde os corredores enfrentarão o mítico Monte Farinha, que estará apinhado de público, para verem passar os ciclistas.

Perfil da subida da Barragem do Alvão
Perfil da Sra da Graça


Cidade de partida: Bragança

Bragança pertence ao distrito com o mesmo nome e é sede de concelho com 49 freguesias.
A cidade foi fundada no século II a.C. pelos Celtas, que a baptizaram como "Brigância". O nome, ao longo dos tempos, foi-se latinizando tornando-se em Bragança. Durante a ocupação romana a cidade era conhecida como "Juliógriga", em homenagem a Júlio César.
Numa visita a Bragança não podem perder o Castelo e a sua história medieval. A Domus Municipalis é um monumento único na Península Ibérica. De arquitectura Românica, pensa-se que o edifício terá sido construído no século XV, aquando da reconstrução do castelo.
E já que estão em Bragança, que tal um passeio pelo Parque Natural de Montesinho?

Cidade de chegada: Mondim de Basto

Mondim de Bastos é uma vila do distrito de Vila Real. É sede de concelho com 8 freguesias (após a reorganização do território passaram a 6).
A vila é banhada pelo rio Tâmega e fica no sopé do Monte Farinha, no qual se pode encontrar o santuário de Nossa Senhora da Graça. 
Se visitar Mondim de Bastos prepare-se para uma terra de grande património natural, arquitectónico e arqueológico. Por exemplo, na zona ribeirinha encontra várias influências minhotas com as vinhas e os campos de milho, os solares e os espigueiros. No centro histórico não perca o percurso das capelas e os jardins de camélias.
A nível gastronómico o ponto máximo é a Carne Maronesa. Produto de elevada qualidade e exclusivo da zona da serra do Marão. Para sobremesa, o Pão de Ló húmido faz as delícias. 

Condições Atmosféricas
Novamente um dia com muito calor, temperaturas a rondar os 30 ºC. Vento fraco durante toda a jornada, predominantemente de Oeste.


Favoritos
É uma etapa que tanto pode acabar por ser disputado entre os favoritos à geral, como uma fuga pode vingar. Tudo depende da abordagem das várias equipas que lutam pela geral, a forma como a W52-FC Porto-Porto Canal terá um papel fundamental nesta etapa. A dúvida será o que farão as outras equipas e que resposta dará a equipa do camisola amarela.

*** Gustavo Veloso, Joni Brandão
** Amaro Antunes, Rui Sousa, Alejandro Marque  
* António Carvalho, Frederico Figueiredo, Daniel Silva, João Benta

A nossa aposta: Gustavo Veloso
Com o azar que teve no prólogo, tem estado muito activo nos finais de etapas. Parece estar em grande forma e na Senhora da Graça poderá mostrar porque é que é o grande favorito a ganhar a prova pela terceira vez consecutiva.

Outsider: Amaro Antunes
É um ciclista atacante e com poder de explosão. Depende muito como chegará aos últimos 3 Kms, se estiver resguardado durante o dia, tem todas as condições de fazer uma excelente subida e discutir os primeiros lugares.

Seguir em directo: #eugostodavolta, #voltaportugal, RTP1

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

3 comentários:

  1. Boas. Porque nunca introduzem o Rinaldo Nocentini como um dos possíveis vencedores das tiradas?
    Parecia-me acertado. Tem estado muito bem nas etapas, defendendo-se onde é mais fraco, no prólogo e na etapa em terra batida e está etapa adequa-se às suas características, apesar de não ter uma equipa forte para o ajudar.
    Continuação de bom trabalho.

    ResponderEliminar
  2. Boas. Porque nunca introduzem o Rinaldo Nocentini como um dos possíveis vencedores das tiradas?
    Parecia-me acertado. Tem estado muito bem nas etapas, defendendo-se onde é mais fraco, no prólogo e na etapa em terra batida e está etapa adequa-se às suas características, apesar de não ter uma equipa forte para o ajudar.
    Continuação de bom trabalho.

    ResponderEliminar
  3. Tipo porque... Não vai ganhar nenhuma... isso só abona em favor do ER. Abraço

    ResponderEliminar