Tour 2016 - Análise 9ª etapa

Tom Dumoulin a cruzar a meta em Arcalis
O dia ficou claramente marcado pelo abandono de Alberto Contador, que acordou com febre, ao que tudo indica devido às lesões mal saradas das quedas nas 2 primeiras etapas. Um momento emocionante e triste, que marca claramente a corrida.

A etapa começou em grande estilo, com 45 corredores a fugirem do pelotão nas primeiras rampas do Port de la Bonaigua, entre eles estavam Alberto Contador, Alejandro Valverde, Sérgio Henao. No grupo ainda faziam parte mais dois homens da Movistar, Herrada e Anacona, Peter Sagan da Tinkoff, Thibaut Pinot, Alexis Vuillermoz, Rui Costa, Tom Dumoulin, Rafal Majka, Thomas de Gendt entre outros.
A Movistar tarbalhava na frente do grupo, obrigando a Sky a perseguir, Henao deixou-se ficar para trás, enquanto que Contador começava a sentir dificuldades, nem conseguia acompanhar a roda do seu colega Peter Sagan. Contador seria absorvido pelo pelotão e depois aconteceria a conversa com o director desportivo Steven de Jongh, que durou bastantes Kms e que acabaria com o abandono do ciclista espanhol a 100 Kms da meta, num Tour para esquecer, perdido logo na 1ª etapa.

O grupo da frente era constituído por 21 homens, Valverde era o nome mais sonante e por essa razão a Sky perseguia furiosamente no pelotão. O murciano decidiu então ficar para trás e voltar ao pelotão, de forma a que a fuga tivesse sucesso, o que resultou, já que a perseguição deixou de ser realizada de forma agressiva como até então.
Majka, Pinot e De Gendt estavam muito interessados na fuga, por causa dos pontos para a camisola da montanha. Enquanto Peter Sagan conseguiu o seu objectivo, ao obter os pontos no sprint intermédio.
De Gendt atacou e passou na frente no La Comella, subida de 2ª categoria, mas no Col de Beixalis (1° categoría – 6.4 km a 8.5%) foi absorvido por, Anacona, Majka, Pinot, Frank, Bennett, Navarro, Dumoulin, Rosa, Herrada e Rui Costa.
A Sky continuava na frente do pelotão, mas o grupo da frente já tinha mais de 8 minutos de vantagem.

Depois de vários ataques, com destaque para Pinot e Rui Costa, Tom Dumoulin atacou e fez a última subida, Arcalís (HC – 10.1 km a 7.2%) sozinho, com Majka e Rui Costa a perseguirem o holandês, mas nunca conseguirem aproximar-se, com a diferença a rondar os 40 segundos grande parte da ascensão.
Entretanto as condições meteorológicas mudavam totalmente, dos mais de 30ºC para a chuva e gelo em Andorra. No pelotão, Henao foi o primeiro a atacar, seguido de Richie Porte. Froome ficou isolado e os ataques sucederam-se por parte de Dan Martin e Mollema. Quintana mostrou-se sempre muito passivo, sempre na roda de Froome.
Fabio Aru ficou para trás, não aguentando as contsnates mudanças de ritmo, teve de ser Nibali a rebocá-lo montanha acima. Tejay Van Garderen também cedeu e via ao longe Richie Porte a lutar com os melhores.
Dumoulin ganhou a etapa, com o 'nosso' Rui Costa a ser o mais forte no sprint perante Rafal Majka.

O mais do dia: Tom Dumoulin
O menos do dia: Fabio Aru

Classificação da 9ª etapa (Top-10):
1 Tom Dumoulin (Ned) Team Giant-Alpecin 5:16:24
2 Rui Costa (Por) Lampre - Merida 0:00:38
3 Rafal Majka (Pol) Tinkoff Team
4 Daniel Navarro (Spa) Cofidis, Solutions Credits 0:01:39
5 Winner Anacona (Col) Movistar Team 0:01:57
6 Thibaut Pinot (Fra) FDJ 0:02:30
7 George Bennett (NZl) Team LottoNl-Jumbo 0:02:48
8 Diego Rosa (Ita) Astana Pro Team 0:02:52
9 Mathias Frank (Swi) IAM Cycling 0:03:44
10 Adam Yates (GBr) Orica-BikeExchange 0:06:35
...
134 Nelson Oliveira (Por) Movistar 0:35:26


Classificação Geral após 9ª etapa (Top-10):
1 Christopher Froome (GBr) Team Sky 44:36:03
2 Adam Yates (GBr) Orica-BikeExchange 0:00:16
3 Daniel Martin (Irl) Etixx - Quick-Step 0:00:19
4 Nairo Quintana (Col) Movistar Team 0:00:23
5 Joaquim Rodriguez (Spa) Team Katusha 0:00:37
6 Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale 0:00:44
7 Bauke Mollema (Ned) Trek-Segafredo
8 Sergio Henao (Col) Team Sky
9 Louis Meintjes (RSA) Lampre - Merida 0:00:55
10 Alejandro Valverde (Spa) Movistar Team 0:01:01
...
48 Rui Costa (Por) Lampre-Merida 0:42:27
113 Nelson Oliveira (Por) Movistar 1:35:54

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário