Guia da Volta a Portugal 2016


Amanhã começa a grande festa do ciclismo português, a 78ª edição da Volta a Portugal arrancará de Oliveira de Azeméis, onde se realiza um prólogo.

Percurso
 27.07 Prólogo - Oliveira de Azeméis › Oliveira de Azeméis (3.6 Km)
 28.07 Etapa 1 - Ovar › Braga (167.4 Km)
 29.07 Etapa 2 - Viana › Fafe (160 Km)
 30.07 Etapa 3 - Montalegre › Macedo de Cavaleiros (158.9 Km)
 31.07 Etapa 4 - Bragança › Senhora da Graça (191.9 Km)
 01.08 Etapa 5 - Lamego › Viseu (153.2 Km)
 02.08 Descanso
 03.08 Etapa 6 - Belmonte › Guarda (173.7 Km)
 04.08 Etapa 7 - Figueira de Castelo Rodrigo › Castelo Branco (182 Km)
 05.08 Etapa 8 - Nazaré › Arruda dos Vinhos (208.5 Km)
 06.08 Etapa 9 - Alcacer do Sal › Setúbal (187.5 Km)
 07.08 Stage 10 (CRI) - Villa Franca › Lisboa (32 Km)

As principais etapas que poderão fazer diferenças significativas, serão mais uma vez 3:
- A da Senhora da Graça, com a habitual dureza;
- Aquela que acaba na Guarda, desta vez a Torre não será palco do final da mesma, será ultrapassada duas vezes, a 1ª sobre-se pela Covilha e depois por Seia. A chegada à Guarda é complicada e o desgaste pode-se fazer notar.
- O contrarelógio final em Lisboa.

Uma das novidades é a 2ª etapa, que acaba em Fafe e passará pelo o troçod e terra batida da Lameirinha. Face ao troço ser demasiado pequeno, não são esperadas grandes movimentações nesse local.

Nota: Todos os dias, iremos fazer a antevisão da etapa que se realizará no dia.

Startlist


Quem são os favoritos?
O grande candidato à vitória em qualquer competição desportiva é o campeão em título, se este tentar a revalidação. Gustavo Veloso vencedor das edições de 2014 e 2015, é com naturalidade o grande candidato e terá uma das melhores equipas a apoiá-lo. Depois de em 2013 ter sido segundo, com a saída de Marque, Veloso passou a ser o líder da equipa e não desapontou nestes dois últimos anos.
Alejandro Marque venceu a prova em 2013, em 2014 não esteve presente e no ano passado, correu pela Efapel, não conseguindo melhor que um 3º posto na geral. Este ano estará na LA Alumínios/Antarte.
Outro dos candidatos é o 2º classificado da edição do ano transacto, Jóni Brandão tem evoluído a olhos vistos, em 2014 esteve muito perto do pódio, ficando no quarto lugar da geral e em 2015 foi o homem que deu mais luta a Gustavo Veloso.
Na W52-FC Porto, não podemos apenas olhar para o líder, António Carvalho, Rafael Reis e Raúl Alárcon, irão trabalhar para Veloso, mas podem muito bem acabar no top-10. António Carvalho é um dos melhores trepadores e em 2015 foi 6º, Raúl Alárcon e Rafael Reis têm realizado um ano de 2016 muito bom, com o jovem corredor de Palmela a liderar o ranking nacional.
Rui Sousa, mais uma vez será um dos candidatos. Com 40 anos continua a procurar concretizar o sonho, que é vencer a Volta a Portugal. Na edição do ano passado, foi 4º classificado, nunca esteve em condições de incomodar Veloso, no contrarelógio final, ao contrário do que é habitual, já que ele é um trepador, o corredor de Viana do Castelo, conseguiu subir para perto do pódio.
Amaro Antunes é uma das grandes figuras do pelotão nacional, um trepador de grande valia. Fez uma Volta ao Algarve muito boa, que lhe pode levar a correr no estrangeiro. Chega à Volta como líder, juntamente com Marque na LA Alumínios/Antarte.
Ricardo Vilela, será a aposta para a geral da equipa espanhola, Caja-Rural. Na temporada passada acabou fora do top-10 na Volta a Portugal. Contudo é um corredor com qualidade e que já tem um passado interessante na prova. 

*** Gustavo Veloso
** Jóni Brandão, Amaro Antunes, Rui Sousa
* António Carvalho, João Benta, Frederico Figueiredo, Ricardo Vilela, Nikita Stalnov, Hernâni Brôco, Daniel Silva

Outros ciclistas a ter em conta para a geral: Heiner Parra, Rodolfo Torres, Brendan Canty, Bruno Pires, David Belda, Garikoitz Bravo, Franco Pellizotti, Lachlan Norris

Quem são os trepadores a seguir de perto?
Rui Sousa se quer ganhar a Volta, terá de o fazer no seu terreno que é a montanha, porque no contrarelógio não está ao nível do Veloso ou do Marque. É um dos melhores trepadores portugueses da última década. Ainda é do tempo que a prova era de duas semanas, com 40 anos continua a ser dos melhores trepadores do pelotão nacional e a principal figura da Radio Popular-Boavista.
João Benta é um dos ciclistas mais atacantes do pelotão nacional, irá liderar o Louletano e espera-se uma melhor performance que aquela que teve em 2015.
Amaro Antunes é provavelmente o ciclista mais seguido pelas equipas estrangeiras. As exibições de grande nível na Volta ao Algarve perante concorrência de primeira água, nomeadamente na montanha, mostram que é sem dúvida um dos melhores a subir.
A W52-FC Porto está apinhada de grandes corredores, e um deles é António Carvalho, um trepador puro, ainda jovem. A sua qualidade é inquestionável, Veloso tem a sorte de o ter na sua equipa.

Quem são os sprinters a seguir de perto?
O pelotão português actualmente não tem muitos sprinters e esta Volta a Portugal não é muito propícia a chegadas ideais para sprints puros.
Davide Vigano no ano passado venceu uma etapa e há dois anos além de uma etapa também, conquistou a camisola dos pontos. O Italiano volta à Volta para tentar repetir a façanha, é um dos homens mais rápidos presentes na prova.
Vicente de Mateos é talvez o melhor sprinter do pelotão português, mas tem-se especializado em andar às cabeçadas e aos murros do que em sprintar. No ano passado venceu uma etapa.
Filipe Cardoso, já foi conhecido como o 'Sagan Português', por ser um homem rápido mas extremamente versátil, capaz de fazer um pouco de tudo. No ano passado venceu na Senhora da Graça, depois de uma longa fuga.
Eduard Prades e José Gonçalves da Caja Rural, não são os típicos sprinters. Mas conseguem finalizar bem em etapas com finais explosivos, coisa que abunda nesta edição. O ciclista de Barcelos, é bem capaz de ainda se aguentar um pouco na montanha.

Quem são os jovens a seguir?
Joaquim Silva é uma das esperanças do ciclismo nacional, com alguns resultados interessantes, como por exemplo o 8º lugar no Tour l'Avenir em 2014. Numa das provas referência do ciclismo jovem mundial. Estará integrado numa das melhores equipas da prova, o que significa que terá de trabalhar para os líderes.
Também na W52-FC Porto, outro jovem tem brilhado este ano, é Rafael Reis, que parece ter dado o passo em frente na sua curta carreira.
Heiner Parra é mais um jovem colombiano de grande qualidade. Excelente trepador que poderá fazer estragos nalgumas etapas.
Nikita Stalnov é o jovem cazaque que irá liderar a equipa da Astana City. Vem de grandes resultados na Volta à Turquia, ao Azerbeijão e Ucrânia. Dos estrangeiros é um nome a reter.

A nossa aposta: Gustavo Veloso
Outsider: Amaro Antunes

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário