Giro 2016 - Antevisão 19ª etapa

A 19ª etapa é a primeira de duas etapas duríssimas, que testarão pela última vez os candidatos à geral da edição deste ano do Giro d'Italia. A etapa acabará em França, em 2014 uma etapa do Tour também terminou em Risoul, nesse dia Rafal Majka ganhou, com Vincenzo Nibali de amarelo.

Perfil 19ª etapa
Não é uma etapa extremamente longa, mas conta com duas subidas de categoria máxima, com a meta a coincidir com uma delas, já em solo francês, em Risoul.
A partida é de Pinerolo e os primeiros 50 Kms não tem qualquer dificuldade, apartir daí aparece um zona de falso plano, 25 Kms com gradientes de 1 e 3% e depois até Casteldelfino a coisa piora um pouco com pendentes de 4 e 5%. Apartir daqui começa oficialmente a subida ao Colle dell'Agnello, que este ano é o Cima Coppi (ponto mais alto da corrida), são 21,3 Km a 6,8%, até ao 2744 m de altitude, os últimos 9 Kms são a 10% de média. Até há alguns dias atrás, o Colle del'Agnello estava coberto de neve, mas entretanto o tempo melhorou e ao que tudo indica a subida poderá ser realizada. 
Chegados ao topo do Cima Coppi deste ano, os corredores passarão a fronteira e estarão em França, onde enfrentarão os primeiros 20 Kms de uma descida muito rápida, até ao inicio da subida para Risoul, a descida é menos inclinada. Chegados a Guillestre, começa a subida final até à estância de esqui de Risoul (12.8 km a 6.9%, GPM 1), onde se situa a linha de meta.

Perfil da subida a Colle dell'Agnello

Perfil da subida a Risoul

Parte final da etapa


Cidade de partida: Pinerolo

Cidade de Pinerolo
Pinerolo é conhecida como a "cidade de cavalaria". Desde o século XIX, a cidade recebe cavaleiros de todo o mundo para aprender as habilidades mais importantes na equitação. 
Um dos principais eventos da cidade é a histórica encenação da lenda do "Homem da Máscara de Ferro". De acordo com a história, esta figura misteriosa viveu na aldeia de Pinerolo, e um monumento na colina de San Maurizio foi dedicado a esta lenda.

Cidade de chegada: Risoul


Estância de Risoul
Risoul, localidade da província francesa de Provence-Alpes-Côte d'Azur. É um importante destino turístico tanto de inverno e verão, oferecendo aos visitantes uma paisagem de montanha deslumbrante e uma área de esqui bem equipado. A localidade é também conhecida pela produção de uma famosa variedade de maçã com o mesmo nome que, pelo seu período de conservação alargado,  costumava ser exportado até para o norte da África.

Condições atmosféricas
A grande dúvida desta etapa era se a subida ao Colle del'Agnello, a 2744 metros se poderia realizar devido à neve. No entanto, ao que tudo indica será possível subir o Cima Coppi deste ano, no topo estará sol e temperatura a rondar os 12 ºC.
À partida os corredores terão 25ºC e muito sol, no entanto à chegada, a Risoul, espera-se chuva com temperaturas a rondar os 21-22ºC.
O vento não será um problema durante a etapa, nem no Colle del'Agnello.


Favoritos:
O dia é duro, tanto pode dar para uma fuga como para que acabe por ser decidido entre o grupo de favoritos, tudo dependerá como as equipas destes abordarão a corrida. Esteban Chaves e Steven Kruijswijk têm mostrado serem os mais fortes na montanha, mas Valverde, Nibali, Majka e Zakarin certamente tentarão algo, principalmente o italiano e a Astana, que são bem capazes de quererem lançar a anarquia total na corrida.

*** Esteban Chaves, Steven Kruijswijk
** Alejandro Valverde, Vincenzo Nibali, Rafal Majka, Ilnur Zakarin
* Domenico Pozzovivo, Rigoberto Uran, Bob Jungels, Fuga (Giovanni Visconti, Joe Drombowski, Davide Formolo, Darwin Atapuma, Riccardo Zoidl, Carlos Verona, Mikel Nieve, Sergey Firsanov, Riccardo Zoidl, Rein Taaramae)

A nossa aposta: Esteban Chaves
O Colombiano tem estado muito forte na montanha e nesta etapa estará no seu habitat natural, acima dos 2000 metros. Essa situação pode-lhe beneficiar, será que Kruijswijk vai pela primeira vez neste Giro mostrar debilidades, se sim, Esteban Chaves terá de aproveitar de forma a fazer renascer a luta pela vitória final.
Outsider: Rafal Majka
Venceu em Risoul no Tour de 2014, o polaco terá de atacar para ainda sonhar com o pódio, não é uma tarefa fácil e o ciclista da Tinkoff não tem estado particularmente brilhante. Porém, confiamos que nesta etapa, pode ser uma das boas surpresas.

Seguir em directo: #giro, Eurosport 1, @giroditalia

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário