Classic Sud Ardèche - Souvenir Francis Delpech (1.1) - Antevisão

Enquanto que as atenções estão voltadas para a Bélgica, com o inicio da temporada das clássicas da primavera, em França decorre mais uma prova, neste caso, também uma clássica, a Classic Sud-Ardèche, que homenageia Francis Delpech.
Em 2016, celebra-se a 15ª edição desta clássica francesa, que tem sido dominada pelos homens da casa, curiosamente o último vencedor apesar de correr numa equipa francesa, não é gaulês. Em 2015, o argentino, Eduardo Sepúlveda conquistou a prova.
A prova realiza-se na região do maciço central, o que faz com que ela tenha alguma dureza.

História
últimos dez vencedores da Prova
2015 - Eduardo Sepúlveda
2014 - Florian Vachon
2013 - Mathieu Drujon
2012 - Rémi Pauriol
2011 - Arthur Vichot
2010 - Christophe Riblon
2009 - Freddy Bichot
2008 - Gatis Smukulis
2007 - Evgeny Sokolov
2006 - Jean-Christophe Péraud

Percurso
Guilherand-Granges › Guilherand-Granges (182.7 Km)

A prova habitualmente realiza-se em torno da cidade de Ruoms, no entanto este o percurso foi alterado de forma significativa. 
A percurso conta com várias variações de circuitos. A prova conta este ano com as subidas: Col des Ayes, Col de Rotisson (12 Km @ 2.4%), Col de la Corniche (0.7 km @ 4.5%) e o Cote de Chemin du Toulaud. Ao todo serão 21 ascensões a estas quatro subidas, que fazem desta prova, ideal para ciclistas atacantes e para a formação de grupos ao longo dos circuitos.


Mapa da prova


Perfil da prova

Startlist
Aqui

Favoritos
***** Jan Bakelants
**** Romain Bardet, Alexandre Geniez, Eduardo Sepuvelda, Arthur Vichot
*** Alexis Vuillermoz, Petr Vakoc, Gianluca Brambilla, Thomas Voeckler, Adam Yates, Simon Yates
** Maxime Bouet, Julian Arredondo, Esteban Chaves, Rohan Dennis, Samuel Sánchez, Eduard Prades
* José Gonçalves, Danilo Wyss, Michael Albasini, Enrico Gasparotto, Amets Txurruka, Amael Moinard, Pello Bilbao, Pierrick Fedrigo, Julien Simon


Também pode interessar:

jdragon cycling team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário