10 jovens promessas para acompanhar em 2016

A temporada está prestes a começar, como fizemos no inicio de 2015, este ano também iremos destacar alguns dos jovens que poderão brilhar em 2016.

10- Floris Gerts (Holanda, 23 anos) - BMC Racing Team
Gerts entrou na equipa, como neo-pro em agosto de 2015, proveniente da BMC Development team. Antes de entrar na equipa principal, nos rankings sub-23, o holandês fez uma primavera de 2015 muito boa, com vários top-10 e com uma vitória dominadora na Omloop Het Nieuwsblad.
Mal chegou à equipa, no Tour of britain conseguiu quatro top-15, mas o melhor resultado aconteceu no GP Impanis, onde conseguiu o 3º lugar.

9- Alex Peters (Grã-Bretanha, 21 anos) - Team Sky
O ciclismo na Grã-Bretanha está na moda e muito por culpa da Sky. A equipa de Brailsford vê em Alex Peters um dos melhores talentos britânicos e por essa razão a aposta nele não é inocente.
Em 2015, em provas para elites, foi 2º na Volta à Normandia, venceu uma etapa e foi 7º da geral na Volta à Bretanha.
No Tour de l'Avenir, acabou por desiludir, ficando longe dos lugares cimeiros. Mas no Tour of Britain impressionou, sendo 12º na classificação geral, quando já estava a correr pela Sky, como estagiário.

8- Soren Kragh Andersen (Dinamarca, 21 anos) - Giant-Alpecin
O jovem dinamarquês, fez um ano de 2015 de grande qualidade, venceu o ZLM-Rompoot Tour. Durante a primavera obteve alguns lugares de destaque, culimnou com a vitória no Hadeland GP. No Tour des Fjords, venceu uma etapa e ficou apenas a 12 segundos da vitória na geral. 
Foi uma das estrelas do Tour de l'Avenir, ao vencer o prólogo e a 3ª etapa, porém acabou por abandonar a prova, mas deixou a sua marca.
É um ciclista com um 'motor' muito bom, se for bem gerido e aproveitado, poderá ter impacto já em 2016.

7- Laurens De Plus (Bélgica, 20 anos) - Etixx-QuickStep
O ciclismo belga, tem o condão de descobrir e evoluir ciclistas de grande qualidade, certamente a cultura e a paixão pelo ciclismo que reina por aquelas bandas tem a sua influência, por vezes até parece que os talentos nascem debaixo de pedras por aquelas bandas. Laurens De Plus é mais uma pérola do ciclismo belga.
A temporada 2015 de De Plus, foi impressionante, demonstrando que a Bélgica tem um trepador para o futuro. Foi 2º da geral na Ronde de l'Isard (U23), Giro Valle d'Aosta e Tour de Moselle, batido por Petilli, Rob Power e Aime Degendt, 8º no Tour de l'avenir e não fosse ter fraquejado na última etapa de montanha teria estado no pódio.
A Etixx-QuickStep viu nele um futuro campeão e deu-lhe um contrato de 3 anos, o que denota confiança no desenvolvimento do jovem belga.

6- Toms Skujins (Letónia, 24 anos) - Cannondale
É o ciclista mais velho neste top. O letão realizou um temporada 2015 de grande qualidade ao serviço da Hincapie Racing.
Brilhou na Volta à Califórnia, onde venceu a 3ª etapa e teve alguns dias na liderança da prova até Peter Sagan roubá-la no contrarelógio. Venceu a Winston Salem Classic, foi 2º no Tour de Beauce e esteve bem no USA Pro Challenge e Tour of Alberta.
Com 24 anos, passa para o World Tour, através da Cannondale-Garmin e poderá logo causar impacto, com boas características para provas por etapas curtas e para clássicas mais duras.

5- Jack Haig (Austrália, 22 anos) - Orica GreenEDGE
A Austrália tem sido dos que tem dado mais talentos nos últimos anos. Jack Haig é um dos mais promissores proveniente do país dos Cangurus.
Em 2015 foi 2º classificado do Tour de l'Avenir, o que dá indicações que no futuro pode ser um nome a ter em conta nas provas por etapas. Além desse resultado a temporada de Haig foi consistente com vários top-10, entre elas numa etapa do Tour Down Under e do Tour d'Alsace, provas de elite.
A Orica GreenEDGE, tinha outro jovem corredor que poderia causar impacto, Rob Power. No entanto, foi-lhe diagnosticado um edema na medula óssea, tendo a sua carreira em risco.

4- Marc Soler (Espanha, 22 anos) - Movistar Team
O ciclismo espanhol está com problemas para encontrar sucessores para a 'geração de ouro' do ciclismo espanhol. Marc Soler é um dos nomes que surgem para continuarem o legado de Contador, Valverde e Purito.
O jovem corredor da Movistar venceu o Tour de l'Avenir e já em 2015 esteve na estrutura da Movistar, não obteve resultados significativos, embora tenha dado algumas boas indicações. Porém como já andou ao mais alto nível, tem vantagem sobre os restantes que estão no top.
Espera-se que em 2016 comece a confirmar as boas sensações e o potencial que lhe reconhecem.

3- Gianni Moscon (Itália, 21 anos) - Team Sky
É um dos ciclistas mais talentosos do circuito sub-23. Em 2015 venceu por 9 vezes, entre elas a prova de fundo sub-23 dos campeonatos italianos,  GP Palio del Recioto, Citta di San Vendemiano e Trofeo Almar Nations Cup. Moscon foi 2º na Ronde van Vlaanderen U23,  5º na U23 Zavod Miru (Peace Race), 5º na geral do Tour de l'Avenir e 4º na prova de fundo sub-23 dos mundiais.
Este jovem italiano, estará inserido na Sky, que tem aqui um jovem com muito por onde ser explorado. Excelente nas clássicas e também fiável nas provas por etapas, demonstram que é um dos mais versáteis da nova geração.

2- Sam Oomen (Holanda, 20 anos) - Giant-Alpecin
Oomen é a nova pérola do ciclismo holandês. Em 2016 irá correr na estrutura que tem Tom Dumoulin e Warren Barguil, sendo que Oomen está na linha destes dois corredores.
O jovem holandês é tido como um futuro candidato a provas por etapas e em 2015 apresentou resultados que indicam que o caminho será mesmo esse. 
A sua consistência nas provas por etapas foi excepcional, ganhou uma etapa e a geral da Rhône-Alpes Isère Tour, duas etapas e foi 2º da geral no Tour des Pays de Savoie, foi 2º no Tour d'Alsace, 4º no Tour de l'Avenir. E participou em provas de elites, onde foi 8º no Tour de l'Ain e 19º no Tour de Fjords.
O seu potencial é enorme e a Giant-Alpecin não quis deixar fugir a oportunidade e ofereceu-lhe 3 anos de contrato.

1-Fernando Gavíria (Colômbia, 21 anos) - Etixx-QuickStep

Fernando Gavíria a bater Cavendish no Tour de San Luis em 2015
É sem dúvida o grande nome das promessas a acompanhar em 2016. Gavíria começou 2015 no Tour de San Luis, a derrotar duas vezes nada mais nada menos que...Mark Cavendish. 
A sua actuação fez com que várias equipas do World Tour tivessem interesse em tê-lo na equipa, todos eles impressionados com a capacidade do jovem colombiano. Mas foi a Etixx, que ganhou a corrida e conseguiu obter o concurso do sprinter colombiano.
Muitos consideram Fernando Gavíria, um dos grandes sprinters da próxima década e não é para menos, em agosto já correu como estagiário pela Etixx-QuickStep no Tour of Britain e logo na sua estreia venceu uma etapa. Na pista, sagrou-se campeão do mundo na prova de Omnium.
Com Marcel Kittel na equipa, Gavíria terá também um corredor que lhe poderá ajudar. O futuro para este ciclista não tem limites, vindo de um país onde praticamente só produz trepadores, Fernando Gavíria poderá ser o primeiro super-sprinter colombiano.

Menções honrosas:
Lennard Kämna (Alemanha, 19 anos) - Stölting Service Group
Simone Petilli (Itália, 22 anos) - Lampre - Merida
Ryan Mullen (Rep. Irlanda, 21 anos) - Cannondale
Odd Eiking (Noruega, 21 anos) - FDJ
Daniel Hoelgaard (Noruega, 22 anos ) - FDJ
Davide Martinelli (Itália, 22 anos) - Etixx-QuickStep
Guillaume Martin (França, 22 anos ) - Wanty - Groupe Gobert
Steven Lammertink (Holanda, 22 anos) - Team LottoNL-Jumbo
Julien Bernard (França, 23 anos) - Trek-Segafredo
Matvey Mamykin (Rússia, 21 anos) - Katusha
Alexey Vermeulen (Estados Unidos, 21 anos) -  Team LottoNL-Jumbo

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário