Análise da BMC Racing Team 2015


A equipa norte-americana da BMC tem um dos orçamentos mais altos do World Tour, o que  naturalmente faz com que tenha mais responsabilidade.
A temporada não foi brilhante mas também esteve longe de ser um desastre, com alguns momentos bons, nomeadamente nos desempenhos nos contrarelógios colectivos do Tour e dos mundiais de ciclismo.

Na primeira prova do World Tour em 2015,o Tour Down Under, Rohan Dennis e a BMC entraram a todo gás, com vitórias na 3ª etapa e na geral individual.
A equipa norte-americana durante o mês de fevereiro não venceu em nenhuma ocasião, só em março é que voltariam as vitórias, por Greg Van Avermaet na 3ª etapa do Tirreno-Adriático e Tejay Van Garderen na 4ªetapa da Volta à Catalunha. 
Em abril, o jovem Stefan Kung vencia a Volta Limburg Classic e Ben Hermans a De Brabantse Pijl - La Flèche Brabançonne.
Em maio, Stefan Kung voltaria a vencer, desta vez no seu país, na 4ª etapa da Volta à Romandia, enquanto no estreante Tour of Yorkshire, Ben Hermans venceu a 3ª etapa.
A BMC enfrentava a primeira grande volta do ano, o Giro, sem grandes esperanças na classificação geral, o objectivo principal era tentar vitórias de etapas e ajudar Damiano Caruso a alcançar a melhor classificação possível. A equipa saiu de Itália com duas vitórias de etapa (12ª e 18ª), ambas ganhas por Philippe Gilbert. Caruso acabou na 8ª posição da geral.
Ainda em maio, Greg Van Avermaet venceu a 4ª etapa e a geral da Volta à Bélgica.

Depois do Giro, começava a fase decisiva da preparação para o Tour, onde a aposta era em Tejay Van Garderen. O norte-americano, apresentou-se em grande forma já no Critérium du Dauphiné, onde liderou a prova desde cedo, perdendo a liderança para Froome na última etapa de alta-montanha. A equipa dominou o contrarelógio colectivo na 3ª etapa.
Antes do Tour, Silvan Dillier, Danilo Wyss tornaram-se respectivamente, campeão de contrarelógio e de fundo nos campeonatos nacionais da Suiça.

O Tour começoui da melhor maneira, com Rohan Dennis a vencer a 1ª etapa, um contrarelógio individual, batendo os melhores especialistas do mundo. No entanto nem tudo correu bem, Van Garderen esteve durante muitas etapas na 2ª posição da geral, no entanto, começou a fraquejar e acabaria por abandonar devido a doença. A equipa ganhou o contrarelógio colectivo na 9ª etapa, ainda com Van Garderen na equipa e na 13ª etapa foi a vez de Greg Van Avermaet vencer uma etapa. O melhor colocado na geral individual, foi Samuel Sanchez que se situou na 12ª posição.
Ainda em julho, na Volta à Austria, Rick Zabel venceu a 3ª etapa e Philippe Gilbert ganhou o GP de Cerami e a 3ª etapa da Volta à Valónia.

Agosto começou muito bem para a BMC, com a vitória de Jempy Drucker na Prudential RideLondon & Surrey Classic. A equipa teve em grande forma neste mês, com 9 vitórias.
Na Artic Race, Ben Hermans e Silvan Dillier, venceram respectivamente a 3ª e 4ª etapa e Manuel Quinziato venceu a 7ª etapa do Eneco Tour.
Chegava o USA Pro Challenge, uma prova em que a equipa era obrigada a brilhar, já que corria em casa. E a verdade é que a BMC dominou por completo a prova com vitórias na 1ª, 2ª, 4ª e 5ª etapas, através de Taylor Phinney, Book Bookwalter e as duas últimas por Rohan Dennis, que venceu a classificação geral.

Até ao final da temporada a equipa apenas obteve mais duas vitórias, na 14ª etapa da Vuelta, através de Alessandro De Marchi, ciclistas que tinha sido contratado, mas que esteve um pouco aquém do que se esperava dele.
E a última vitória do ano, foi uma das mais importantes, a BMC revalidou o título de campeões do mundo de contrarelógio colectivo.

A BMC no pódio dos mundiais, depois de ganharem o contrarelógio colectivo

Curiosidades e dados estatísticos
País: Estados Unidos
Classificação UCI 2015: 6ª
Número de vitórias em 2015: 33 (6ª equipa com mais vitórias em 2015)
Melhor ciclista no ranking UCI 2015: Greg Van Avermaet (8º)
Corredor com mais Kms em 2015: Michael Schar (14802 Kms, 9º entre todos os ciclistas em 2015)
Corredor com mais dias de competição: Michael Schar (95 dias, 5º entre todos os ciclistas em 2015)
Corredor com maior número de vitórias: Rohan Dennis (6 vitórias, 27º entre todos os ciclistas em 2015)
Orçamento: 18 milhões de Euros
Fornecedor de bicicletas: BMC
Outros componentes: Shimano

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário