Guia Tour 2015 - Os favoritos


Geral Individual (camisola amarela)
O leque de candidatos a vencer a prova este ano é vasto. Toda a gente espera que a luta se centre entre os quatro fantásticos, mas o número de corredores de enorme qualidade presente este ano é elevado. Há muito que não se via um leque tão grande de candidatos.

Vincenzo Nibali
O 'tubarão' é naturalmente um dos candidatos, até porque é o vencedor da edição passada. Para defender o seu título, o italiano decidiu seguir o mesmo método do ano passado, andou a rodar estes meses todos, para chegar ao Tour fresquinho como uma alface.
No ano passado, beneficiou dos abandonos de Contador e Froome, mas o mérito é indiscutível. Veremos o que é que este ano o espera. Certamente, se nada acontecer, o italiano terá mais dificuldades que no ano passado, mas tem um ponto a seu favor, que é: parece conseguir manter-se em cima da bicicleta.

Chris Froome
No ano passado, Froome nem chegou à etapa de pavé, foi um Tour para esquecer. O britânico já este ano revelou momentos bons, outros menos bons e também mostrou um dos seus defeitos, tem uma queda para as quedas.
A extrema magreza com que chega ao Tour, indica que está em boa forma, mas também pode ser um ponto débil. Basta uma pequena queda para que tenha efeitos catastróficos para Froome, a debilidade do seu corpo e a capacidade de se manter saudável é um dos pontos de interrogação.

Nairo Quintana
Nairito tem neste Tour a sua grande oportunidade, muita montanha e poucos quilómetros de contrarrelógio beneficiam-no.
Dos quatro grandes favoritos é aquele que terá o colega mais ilustre. Alejandro Valverde já disse que trabalharia para Quintana, no entanto, todos sabem que se Valverde tiver oportunidade vai ter liberdade. Será que podemos assistir a uma 'novela' na Movistar?
A temporada de Quintana também tem sido de altos e baixos, venceu de forma brilhante o Tirreno-Adriático, onde bateu de forma clara uma lista de candidatos impressionante, entre eles, Alberto Contador. No entanto no País-Basco e na Romandia esteve longe do melhor, chega ao Tour como um dos candidatos.

Alberto Contador
El Pistolero, vencedor do Giro, terá aqui a oportunidade de fazer a dobradinha. Em 2011 já tinha tentado sem sucesso. Este ano Contador no Giro não esteve tão forte quanto em 2011, o que poderá dizer que o pico estará marcado para o Tour.
Os duelos épicos com Froome tem marcado os últimos anos, mas este ano, com Quintana e Nibali, o Pistolero terá de estar no máximo da sua capacidade.
Alberto Contador é já um dos melhores 'voltistas' de sempre, mas caso faça a dobradinha, poderá entrar no panteão dos imortais. Quem aposta contra Contador?

Thibaut Pinot
Pinot mostrou na Suiça que se encontra numa forma fantástica, provavelmente está no melhor momento da sua carreira. Foi terceiro classificado no ano passado, este ano a concorrência é ainda maior, acabar novamente no pódio será uma vitória para o francês.
Pinot é a principal figura da nova geração de ciclistas franceses e no futuro poderá ser o homem que irá acabar com a maldição dos franceses, é que desde Hinault que mais nenhum venceu a prova, já lá vão 30 anos.

Alejandro Valverde
Valverde parte para o Tour, não sendo líder da sua equipa, uma situação nova para ele. A verdade é que na primeira semana, existem chegadas ao seu estilo e se Valverde conquistar a amarela, como ficará a situação dentro da equipa?
Cabe à Movistar saber gerir esta situação, todos sabem que Nairo Quintana em condições normais na montanha é superior, mas Valverde também não é propriamente fraco, antes pelo contrário.
Um top-10 ou mesmo top-5 é bem capaz de acontecer para o Murciano.

Tejay Van Garderen
Van Garderen transformou-se num ciclista mais focado nas montanha e menos nos esforços individuais como por exemplo o contrarrelógio. A prova está que os últimos contrarrelógios do americano têm sido muito fracos, já as actuações na alta-montanha têm sido excelentes.
No último Dauphiné conseguiu inclusive andar com Froome e até à última etapa, discutiu a vitória. O Americano chega ao Tour deste ano com esperança de chegar ao pódio ou top-5.

Joaquim Rodriguez
Purito na primeira semana e à imagem de Valverde, terá chegadas ao seu estilo. O catalão da Katusha também beneficiará de um percurso muito montanhoso e poucos quilómetros de contrarrelógio.
A equipa russa, terá Tiago Machado a apoiar Purito, numa equipa dividida entre o espanhol e Kristoff. 
Purito já fez pódio em 2013 e também já fez pódio nas outras duas grandes voltas, o que lhe falta é mesmo vencer uma delas. Este Tour será muito complicado, dada a concorrência, mas nunca se sabe se não teremos o homem com alcunha de charuto, a sacar uma surpresa.

Rui Costa
Ao 'nosso' Rui falta-lhe demonstrar que é um corredor para três semanas. Todos sabemos que é um dos ciclistas mais inteligentes do pelotão, que melhor lê a corrida e que é um dos melhores em provas por etapas mais curtas.
O que falta é finalmente mostrar que está preparado para estar ao mais alto nível durante três semanas. Este ano a tarefa é complicada, com a quantidade de candidatos ao top-10. Mas o Rui Costa já mostrou que é capaz de nos surpreender, esperemos que este Tour seja um desses casos.
É um dos candidatos ao top-10, a equipa da Lampre-Merida, este ano também é bem mais forte que a que o acompanhou no ano passado. Faz-nos sonhar Rui.

Outros candidatos: Romain Bardet, Jean-Christophe Péraud, Rigoberto Uran, Ryder Hejesdal, Daniel Martin, Steven Kruijswijk, Andrew Talansky

Classificação da edição passada:
1 Vincenzo Nibali (Ita) Astana Pro Team 86:37:52
2 Jean-Christophe Péraud (Fra) AG2R La Mondiale 0:07:52
3 Thibaut Pinot (Fra) FDJ.fr 0:08:24
4 Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team 0:09:55
5 Tejay Van Garderen (USA) BMC Racing Team 0:11:44
6 Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale 0:11:46
7 Leopold Konig (Cze) Team Netapp-Endura 0:14:41
8 Haimar Zubeldia Agirre (Spa) Trek Factory Racing 0:18:12
9 Laurens Ten Dam (Ned) Belkin Pro Cycling 0:18:20
10 Bauke Mollema (Ned) Belkin Pro Cycling 0:21:24

Classificação por pontos

Peter Sagan
O vencedor das três últimas edições é o grande favorito para levar a quarta camisola verde consecutiva. Esta temporada tem sido complicada para o campeão eslovaco, mas tem melhorado e nos últimos tempos os resultados apareceram.
Sagan é o favorito número um para a classificação dos pontos, porque apesar de não ser um sprinter puro, consegue discutir as chegadas com os mais rápidos e depois tem a versatilidade de conseguir lutar também nas etapas com alguma dificuldade.

Alexander Kristoff
É um sprinter capaz de vencer em etapas com chegadas um pouco mais complicadas. Embora não tenha a regularidade de Sagan, este ano tem demonstrado estar cada vez mais temível e versátil. Será juntamente com Degenkolb o grande adversário do campeão eslovaco.

John Degenkolb
Este ano já venceu dois monumentos, é um ciclista parecido com Peter Sagan. Forte em chegadas para sprinters puros, mas é na versatilidade que tem a sua melhor arma.
Com a ausência de Kittel, terá o comboio da Giant todo para si, veremos se o alemão aproveita e consegue arrecadar mais vitórias e a camisola verde, numa temporada que tem sido muito positiva.

Mark Cavendish
Dos quatro grandes candidatos à verde, o inglês é o sprinter mais potente, o que está mais à vontade em chegadas para sprinters puros. No entanto, falta-lhe a versatilidade dos outros três, o que faz com que o objectivo número um do britânico, seja conquistar o maior número de vitórias possíveis.

Outros candidatos: Arnaud Démare, Bryan Coquard, André Greipel, Nacer Bouhanni, Michael Matthews

Classificação da edição passada:
1 Peter Sagan (Svk) Cannondale 417 pts
2 Bryan Coquard (Fra) Team Europcar 253
3 Alexander Kristoff (Nor) Team Katusha 247
4 Mark Renshaw (Aus) Omega Pharma-Quick Step 189
5 Vincenzo Nibali (Ita) Astana Pro Team 182
6 Marcel Kittel (Ger) Team Giant-Shimano 177
7 Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team 147
8 André Greipel (Ger) Lotto-Belisol 143
9 Ramunas Navardauskas (Ltu) Garmin - Sharp 127
10 Samuel Dumoulin (Fra) AG2R La Mondiale 117

Classificação da montanha

Rafal Majka
O polaco venceu brilhantemente a camisola da montanha na edição do ano passado, juntando a isso duas vitórias de etapa.
Majka tinha sido escalado para o Tour para ajudar Contador, no entanto o espanhol teve de abandonar, deixando o polaco com liberdade e o resultado foi o que se viu, duas vitórias de etapa e camisola da montanha.
Este ano, terá novamente como função ajudar o líder, no entanto, será sempre um homem a ter em conta para esta classificação, já que estamos a falar de um dos melhores trepadores da actualidade.

Pierre Rolland
Rolland é um dos ciclistas que animam a corrida, muito atacante e é essa a característica que faz dele um dos candidatos a esta classificação.
Costuma atacar nas etapas mais complicadas e tem um historial com alguns sucessos, é um dos nomes a acompanhar.

Joaquim Rodriguez
No ano passado chegou ao Tour para rodar e para ganhar esta classificação, falhou em toda a linha. O espanhol este ano tem outras ambições, vai atacar a classificação geral, mas quem sabe se a classificação da montanha não estará novamente nos seus planos.

Thibaut Pinot
O jovem francês encontra-se num momento de forma excelente, demonstrou-o na Suiça. É um dos que pode intrometer-se entre os quatro grandes favoritos, mas certamente também é um dos que pode querer levar esta camisola para casa.
É um dos trepadores em melhor forma.

Steven Kruijswijk
Pode estar cansado do fantástico Giro que fez, mas o holandês não deve ir a França passear. Esta classificação assenta-lhe bem, é um ciclista de ataque e que adora a alta montanha, como ficou demonstrado no Giro, onde andou com os melhores.
Alguém já se esqueceu do Mortirolo?

Outros candidatos: Alberto Contador, Nairo Quintana, Vincenzo Nibali, Chris Froome, Romain Bardet, Jean-Christophe Péraud

Classificação da edição passada:
1 Rafal Majka (Pol) Tinkoff-Saxo 181 pts
2 Vincenzo Nibali (Ita) Astana Pro Team 168
3 Joaquim Rodriguez (Spa) Team Katusha 112
4 Thibaut Pinot (Fra) FDJ.fr 89
5 Jean-Christophe Péraud (Fra) AG2R La Mondiale 85
6 Alessandro De Marchi (Ita) Cannondale 78
7 Thomas Voeckler (Fra) Team Europcar 61
8 Giovanni Visconti (Ita) Movistar Team 54
9 Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team 48
10 Tejay Van Garderen (USA) BMC Racing Team 48
Classificação da juventude
Nairo Quintana
A classificação da juventude por vezes é estranha. Nairo Quintana já anda com os melhores desde 2013 e passado dois anos, ainda pode voltar a ganhar esta classificação.
Obviamente é o grande candidato, o colombiano poderá repetir a dose, depois de em 2013 ter ganho a juventude, montanha e ter ficado no segundo lugar da geral.

Thibaut Pinot
É o segundo grande candidato na lista a vencer esta classificação. Assim como Quintana, Pinot já anda nestas coisas há uns aninhos e ainda conta para esta classificação. Faz-nos questionar se o critério não deveria ser alterado.

Wilco Kelderman
A grande esperança do ciclismo holandês, participará pela primeira vez no Tour. As expectativas são enormes é um dos ciclistas a seguir com atenção.
O Giro do ano passado provou que Kelderman será um dos corredores que no futuro fará estragos na concorrência.

Romain Bardet
Bardet já é uma certeza do ciclismo francês. No ano passado foi sexto classificado da geral e este ano o objectivo é tentar novo top-10 e quem sabe um pouco mais.
Terá de dividir a liderança com Péraud, numa equipa que no ano passado venceu a classificação colectiva.

Adam Yates
Juntamente com o irmão, são os novos meninos bonitos do ciclismo britânico. Os resultados de Adam Yates este ano têm sido bem interessantes, sendo superiores aos do seu irmão, Simon.
É um dos jovens a seguir, será a primeira participação no Tour e servirá também de aprendizagem para o futuro.

Outros candidatos: Louis Meijntes, Warren Barguill, Simon Yates

Classificação da edição passada:
1 Thibaut Pinot (Fra) FDJ.fr 86:46:16
2 Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale 0:03:22
3 Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step 1:12:25
4 Tom Dumoulin (Ned) Team Giant-Shimano 1:39:45
5 Jon Izaguirre Insausti (Spa) Movistar Team 1:52:26
6 Rafal Majka (Pol) Tinkoff-Saxo 2:09:29
7 Rudy Molard (Fra) Cofidis, Solutions Credits 2:25:02
8 Benjamin King (USA) Garmin - Sharp 2:33:02
9 Tom Jelte Slagter (Ned) Garmin - Sharp 2:40:56
10 Jesus Herrada Lopez (Spa) Movistar Team 2:43:19

Equipas
Astana Pro Team
Depois da actuação no Giro, o que se espera da Astana é novamente uma performance ao mais alto nível. Porém no Tour enfrentará conjuntos fortíssimos, mas a equipa cazaque é obviamente uma das favoritas a vencer esta classificação. 
O bloco da equipa tentará fazer de tudo para levar Nibali ao objectivo número que é ganhar o Tour e para isso terá de ser muito compacta.

Movistar Team
É uma das equipas com o bloco mais homogéneo e forte. Tem um líder e outro que terá liberdade, trata-se de Quintana e Valverde respectivamente. Será aí que residirá uma das incógnitas deste Tour, como será a dinâmica da Movistar, Valverde e Quintana vão conseguir coexistir?
Outro dos pontos no qual esta equipa será forte e foi construída a pensar nisso, é no contrarrelógio colectivo. Dowsett, Malori e Castroviejo estão na equipa, o que garante que a Movistar é uma das candidatas nesse dia.

Team Sky
A Sky apresenta uma equipa totalmente focada em Froome. A equipa britânica teve especial atenção à etapa do pavé e para isso levaram Stannard, Thomas e Rowe, para apoiarem o líder.
Na montanha terão um esquadrão forte, o famoso comboio da Sky deverá ser visto muitas vezes, com destaque para Richie Porte, que depois da desilusão do Giro, vem ao Tour apoiar Froome. Quem sabe se não será a última vez, já que o australiano poderá estar de saída da Sky.

Tinkoff-Saxo
Ao contrário do Giro, espera-se que a Tinkoff no Tour esteja muito forte. Equipa focada em Contador, mas também com Sagan para lutar por vitórias de etapa e pela camisola verde.
Se a Tinkoff se apresentar como no ano passado na alta montanha, então provavelmente estaremos perante a melhor equipa da prova, se continuar a deixar o líder isolado como no último Giro, então o desastre será inevitável.
De referir que a Tinkoff tem um candidato à amarela, outro à verde e tem Majka vencedor da camisola da montanha da edição passada, isto quer dizer que a Tinkoff pode estar de olho nas três principais classificações. Seria um feito extraordinário.

BMC Racing Team
A BMC é uma das equipas com maior orçamento e a quantidade de corredores de qualidade demonstra isso mesmo. A equipa americana, está focada em Van Garderen, mas ainda têm Damiano Caruso, Samuel Sanchez, Rohan Dennis e Van Avermaet, este último estará de olho na etapa de pavé.
Nota-se a ausência de Philippe Gilbert, que poderia fazer estragos na primeira semana, no entanto a BMC apresenta-se muito forte.

Ag2R La Mondiale
A equipa francesa foi a vencedora da classificação colectiva do ano passado. Tem em Bardet e Péraud as duas grandes figuras, mas ainda conta com Vuillermoz, Bakelants e Vansummeren. Sem esquecer o vencedor da última vez que o Tour visitou Alpe d'Huez, Christophe Riblon.
É uma equipa com um bloco forte e coeso, veremos se é suficiente para estar com as melhores equipas.

Classificação da edição passada:
1 Ag2R La Mondiale 260:24:10
2 Belkin Pro Cycling 0:34:44
3 Movistar Team 1:05:44
4 BMC Racing Team 1:08:09
5 Team Europcar 1:34:58
6 Astana Pro Team 1:35:37
7 Team Sky 1:40:34
8 Trek Factory Racing 2:05:49
9 FDJ.Fr 2:30:29
10 Lampre - Merida 2:32:50


Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário