A Superestrutura



800! É este o número de vitórias que a Movistar conseguiu ao longo de 35 anos de existência quando Adriano Malori ganhou o CR em La Sarthe.

Número estratosférico que muito provavelmente não se augurava aquando do início deste projecto. Reynolds, Banesto, Ibanesto, Ilhas Baleares, Caisse d’ Epargne e Movistar foram estes os nomes pelo os quais a equipa se denominou, sendo que a estrutura assentou sempre em dois pilares, José Miguel Echavarri e Eusébio Unzue. O primeiro deu o mote e o segundo acompanhou-o desde sempre no tornar realidade desta magnífica equipa. Desde 2008 Eusébio Unzue é o principal responsável depois de Echavarri se ter reformado do ciclismo profissional e da sua vida desportiva. 

Pedro Delgado e Miguel Indurain na Banesto
À época a Reynolds possuía 12 ciclistas, porém foi-se aperfeiçoando e deu um grande passo em frente aquando da chegada de Pedro Delgado em 1982, que se viria a tornar num dos mais populares ciclistas espanhóis de todos os tempos. Anos mais tarde Indurain despontou, e seguiram-lhe as pisadas entre outros, Alex Zulle, Abraham Olano, Jose Maria “Chava” Jimenez , Alejandro “Balaverde” Valverde ou Nairo Quintana.

Menções honrosas também para entre outros Armand De Las Cuevas, Jean-François Bernard, Denis Menchov, Juan Antonio Flecha, Oscar Pereiro, Joaquim Rodriguez ou Rui Costa.
Ao longo da sua existência passaram pela equipa 207 ciclistas, que permitiram o triunfo em 7 Tours, 3 Giros e outras tantas Vueltas. Notável!
Conhecida também por ser uma equipa capaz de catapultar os jovens para a ribalta, a Movistar é um dos poucos casos em que a juventude não é problema, veja-se os casos de Paco Mancebo, Denis Menchov, Alejandro Valverde ou Nairo Quintana que ainda jovens lideraram a equipa no Tour.

Passaram por aqui três portugueses, Orlando Rodrigues, Cândido Barbosa e mais recentemente Rui Costa, sendo que os dois últimos figuram na lista dos mais vitoriosos da equipa, o que atesta bem da qualidade do ciclismo português.
97 -Miguel Indurain
62 -Alejandro Valverde
31 -Julián Gorospe
26 -José María Jiménez ; José Luis Laguía
22 -Pedro Delgado
20- Iván Gutiérrez
19 -Rui Costa
18 -Abraham Olano
17- Leonardo Piepoli; Nairo Quintana; Luis León Sánchez
15 -Armand de las Cuevas
13 -Pablo Lastras; Ángel Arroyo; Cândido Barbosa; Iñaki Gastón; Jeremy Hunt
12 -Marino Alonso
11 -Jean François Bernard; Francisco Mancebo

É um projecto sólido, capaz de seja em clássicas ou provas por etapas mostrar a sua força, que viu em Espanha ao longo destes anos a concorrência saudável da Kelme e da Once sobretudo, mas que neste momento e mercê também da crise económica que se vive por terras de nuestros hermanos tem o poder em si concentrada do ciclismo espanhol, e que por muitos anos consiga manter este projecto na estrada pois o espectáculo que tem proporcionado aos amantes da modalidade é deveras lucrativo para todos.

Também pode interessar:

FF cycling

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário