Comissão Independente acusa UCI de proteger Lance Armstrong

Lance Armstrong a correr pela Astana (na imagem)
Uma comissão independente elaborou um relatório onde considera que os antigos dirigentes da União Ciclista Internacional (UCI) protegeram Lance Armstrong nos casos de doping para não mancharem a reputação da modalidade.

No relatório divulgado esta segunda-feira, a Comissão Independente para a Reforma do Ciclismo (CIRC) garante que o tratamento dado ao norte-americano foi preferencial.
«A UCI viu-o como uma figura ideal para o renascimento do ciclismo depois do escândalo com a Festina, em 1998», refere o relatório.
 A CIRC vai mais longe e aponta que o facto de ter sobrevivido a um cancro fez com que o ciclista fosse tratado de forma diferente: «A UCI não conseguiu perceber que Armstrong, o herói que sobreviveu a um cancro e era um ídolo para os adeptos, tinha os mesmos direitos e obrigações.»
Brian Cookson, atual presidente da UCI, refere que o relatório mostra que, no passado, o organismo sofreu com uma má governação e que o doping é um problema «endémico» na modalidade.
«Foram feitos esforços para resolver este problema e houve progressos significativos com o passaporte biológico», afirmou.

Cookson garante que a UCI não vai fechar os olhos ao doping e espera que os ex-presidentes Hein Verbruggen e Pat McQuaid se afastem do ciclismo: «Espero que não tenham mais nenhum cargo no ciclismo».
 Recorde-se que apesar de não serem encontradas ligações entre as doações de Armstrong à UCI (no valor de 125 mil dólares) e o encobrimento de atos ilícitos, a comissão considera que os atos são suspeitos, deixando no ar a má governação dos ex-presidentes.
Por exemplo, em 1999, o norte-americano foi autorizado a entregar, com efeitos retroativos, uma receita médica para evitar uma sanção na Volta a França, quando quatro dos 15 testes feitos acusaram o consumo de corticosteroides.
O documento acusa também que em 2009, quando o ciclista voltou à competição, foi autorizado a competir sem ter efetuado todos os testes necessários.

A CIRC, com o apoio da UCI e do atual presidente, foi constituída para investigar a atuação do organismo durante o caso Lance Armstrong.

Também pode interessar:

Pedro Ramos

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário