Volta à França 2020 - Antevisão 4ª Etapa

Ao quarto dia, a prova chega aos Alpes com a primeira chegada em alto, numa subida que não deve dar para muitas diferenças, mas pode já dar uma imagem da condição física dos principais candidatos à geral. 

 Sisteron - Orcières-Merlette, 160,5 Km
Mapa
Perfil

Os primeiros 50 Km são em falso plano, até ao sprint intermédio. A partir daí o terreno começa a empinar, com a primeira contagem de 3ª categoria, o Col du Festre. 
Os últimos 40 Km são durinhos, com 3 contagens de montanha, 2 de 3ª categoria e a última é a ascensão a Orcières-Merlette, com 7,1 Km de extensão a 6,7%. É uma subida muito constante, não passa os 8,56%, mas também não baixa dos 6% (excepto os primeiros 1000 metros), ideal para os comboios da Jumbo-Visma ou Ineos marcarem o ritmo.

Sprints intermédios:
Km 51,5 - Veynes

Subida categorizada:
67,5 Km - Col du Festre (7,6 Km @ 5,3%)
97,5 Km - Côte de Corps (2,2 Km @ 6,3%)
125,5 Km - Côte de l’Aullagnier (3,0 Km @ 6,4%)
141,5 Km - Côte de Saint-Léger-les-Mélèzes (2,8 Km @ 6,8%)
160,5 Km - Orcières-Merlette (7,1 Km @ 6,7%)


Condições meteorológicas

Dia com muitas nuvens, possibilidade baixa de chuva. A temperatura na chegada não deve passar os 12ºC. O vento vai soprar fraco/moderado de sudoeste.

Favoritos

⭐⭐⭐ Primoz Roglic
⭐⭐ Egan Bernal, Adam Yates, Tadej Pogacar
⭐ Julian Alaphilippe, Sergio Higuita, Tom Dumoulin, Thibaut Pinot, Ricard Carapaz, M.A.Lopez, Emanuel Buchmann, Marc Hirschi

Fuga?
É uma possibilidade, mas continuamos a não apostar no sucesso da mesma, vai depender muito de como a Jumbo-Visma e a Ineos irão abordar a corrida. Se Roglic se sentir bem, a Jumbo-Visma vai querer ganhar a etapa e dar um aviso à concorrência, o mesmo serve para Bernal e Ineos.

A nossa aposta: Primoz Roglic
Ainda não conseguimos perceber como está Roglic depois da queda no Dauphiné. Mas se estiver perto do nível que apresentou antes da queda, então não há ninguém que lhe possa fazer frente numa subida como esta.

Joker: Julian Alaphilippe
Em 2019 aguentou a amarela até a uma fase bem adiantada do Tour, mas a sua forma também era outra. A questão é se conseguirá aguentar a subida final, depende também do ritmo imposto, se não descolar, depois vai ser difícil batê-lo no sprint final.


Seguir em directo: #tdf2020, #letour, #tourdefrance, #tdf

 (a partir das 12:20)

(a partir das 14:30)

Horário Portugal continental


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Publicar um comentário