Clasica de San Sebastian (1.WT) - Antevisão


Com o Tour ainda fresco na memória, aparece uma das clássicas mais relevantes desta fase do calendário do ciclismo, a mais importante do país vizinho. A Clássica de San Sebastian apesar de ser ainda relativamente jovem (39ª edição em 2019), a primeira foi disputada em 1981, conta com um prestigio único no ciclismo espanhol, com um naipe notável de vencedores ao longos dos anos.
A Espanha domina com 13 vitórias, seguido da Itália com 7 e a França com 5. Um basco detém o maior número de vitórias, Marino Lejarreta, vencedor das duas primeiras edições, com três vitórias é o recordista.

História
últimos 10 vencedores
2009     Carlos Barredo (ESP)     Quick-Step
2010     Luis León Sánchez (ESP)     Caisse d'Epargne
2011     Philippe Gilbert (BEL)     Omega Pharma–Lotto
2012     Luis León Sánchez (ESP)     Rabobank
2013     Tony Gallopin (FRA)     RadioShack–Leopard
2014     Alejandro Valverde (ESP)     Movistar Team
2015     Adam Yates (GBR)     Orica–GreenEDGE
2016     Bauke Mollema (NED)     Trek–Segafredo
2017     Michał Kwiatkowski (POL)     Team Sky
2018     Julian Alaphilippe (Fra) Quick-Step Floors

Edição 2018 (Top-10)



Percurso

29 Julho: San Sebastian  ›  San Sebastian (227,3 Km)

Perfil
Os primeiros 140 Km são praticamente iguais às edições recentes, com as grande dificuldades a serem o Meaga, Iturburu, Alkiza e Jaizkibel, desta vez não há segunda passagem pelo Jaizkibe, em vez disso a organização decidiu colocar o Erlaitz, uma ascensão ligeiramente mais longa com a mesma inclinação média.
O Mendizorrotz é a penúltima subida, pouco menos de 4 Km a 7,6%, deve fazer uma seleção e contém o Murgil Tontorra que volta a ser passado aos 217 Km, é curta, com 1900 metros mas acima dos 10%, é a última dificuldade do dia.  Existem dois cenários possíveis nesta subida, ou alguém se isola e faz os 8 Km finais rumo à vitória, ou então um grupo restrito chega ao topo junto e a prova será disputada num sprint entre os corredores do grupo.

Subidas categorizadas:
Km 24 - Alto de Meaga (3ª cat., 138 m, 3.6 Km a 3.4%)
Km 57 - Alto de Iturburu (2ª cat.,7.8 Km a 4.6%)
Km 76 - Alto de Alkiza (3ª cat., 4.8 Km a 5.5%)
Km 132 - Alto de Jaizkibel (1ª cat., 7.3 Km a 6.0%)

Km 155 - Erlaitz (1ª Cat., 8.1 Km a 6.0%)
Km 188 - Mendizorrotz (2ª Cat., 3.9 Km a 7.6%)

Km 217 - Murgil-Tontorra (2ª Cat., 1.9 Km a 10.6%)


Startlist

Aqui

Condições meteorológicas

Dia solarengo com a temperatura a rondar os 23 ºC na região. O vento soprará fraco de Norte.

Favoritos

O grande favorito é Julian Alaphilippe, apesar do desgaste, este perfil de prova é feita para ele, ciclista explosivo e com uma boa ponta final. Alejandro Valverde em forma é dos poucos que o podem desafiar, o espanhol acabou o Tour em bom estado fisico, ao contrário do francês da Deceuninck-QuickStep.
Bauke Mollema é um dos que adora esta prova de um dia, o seu histórico impressiona, a consistência é notável e mais uma vez deve estar na disputa, embora tenha Giro e Tour nas pernas.
Os irmãos Yates são outros que em condições normais dão-se bem com este percurso. Simon acabou o Tour em melhor estado de forma que Adam.
Greg Van Avermaet é um dos ciclistas mais versáteis do pelotão e a Clasica San Sebastian é prova disso mesmo. Capaz de lutar por ela, inclusive num dos anos estava próximo da vitória, mas uma mota derrubou-o na última subida.
O vencedor do Tour, Egan Bernal, também tem de ser considerado, é a aposta mais fiável da Ineos. No entanto, neste tipo de esforços de um dia, ainda não provou ser um dos melhores. A mesma conversa serve para Mikel Landa, o basco corre em casa, conhece estas estradas e é um trepador de excelência. Os dois não são os principais favoritos, mas estão numa segunda linha.
A EF deve apostar em Michael Woods, o canadiano é um corredor construído para este tipo de subidas, curtas mas empinadas. 
A UAE-Emirates tem Daniel Martin, que está longe da melhor forma e também o jovem prodigio, Tadej Pogacar. São uma incógnita.
A Lotto-Soudal, apresenta Tim Wellens e Tiesj Benoot, dois ciclistas que se dão bem neste tipo de terreno. 
Já as equipas francesas contam com Tony Gallopin, que dá-se muito bem com esta prova, mas este ano ele e a equipa têm estado muito longe do esperado. Já a Groupama-FDJ conta com o jovem David Gaudu, acabou o Tour esgotado, não acreditamos que seja fator já em San Sebastian.

⭐⭐⭐⭐⭐ Julian Alaphilippe
⭐⭐⭐⭐ Bauke Mollema, Alejandro Valverde
⭐⭐⭐ Greg Van Avermaet, Simon Yates, Mikel Landa, Egan Bernal
⭐⭐ Michael Woods, Daniel Martin, Tiesj Benoot, Adam Yates
⭐Tim Wellens, Tadej Pogacar, David Gaudu, Tony Gallopin

A nossa aposta: Julian Alaphilippe
Joker: Simon Yates

Portugueses: Serão quatro os corredores portugueses presentes na prova, são eles: Rui Costa, José Gonçalves, Ruben Guerreiro e José Fernandes.
Não se esperam grandes resultados.


Seguir em directo: @dklasikoa, #klasikoa, Eitb
TV: Eurosport 1 (14:30 hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário