Volta a Portugal 2019 - Antevisão 1ª etapa

Depois do prólogo, onde Samuel Caldeira foi o mais forte, a 1ª etapa tem terreno variado. Apesar disso, se tudo correr dentro da normalidade, teremos uma chegada em pelotão compacto a Leiria.

Mapa
Perfil
Etapa inaugural da Volta, com 180,5 Km pelo centro do país. O pelotão sai de Miranda do Corvo em direção à Lousã, onde começam a subir a primeira contagem de montanha da prova, que é logo de 1ª categoria. Os primeiros 116 Km são durinhos, além da ascensão à Serra da Lousã, conta com mais 3 subidas e uma quantas não categorizadas.
Os últimos 60 Km são bem mais suaves, com as dificuldades colocadas tão longe da meta, o dia é ideal para uma chegada ao sprint. Existem 3 Metas Volantes, na Lousã, Alvaiázere e Pombal, o último a 30 Km da meta.
A aproximação à meta em Leiria conta com 2 subidas curtas nos últimos 12 Km, nenhuma delas é demasiado dura (1300 m a 5,3% e 1000 m a 4,3%). Como em qualquer boa cidade portuguesa conta com algumas rotundas. A última das quais dá acesso à Rua Dr. João Soares, onde se situa a meta, é uma viragem de 90º. A colocação é essencial, caso se confirme um sprint em pelotão compacto.

Mapa e perfil dos últimos Km
Metas Volantes:
- Lousã (175 m, Km 20.3),
- Alvaiázere (308 m, Km 113.5),
- Pombal (68 m, Km 151.2).

Subidas categorizadas: 
- Serra da Lousã (1ª Categoria, 973 m, 19.6 Km a 4.0%, Km 40.1),
- Concelho de Pedrógão Grande (4ª Categoria, 663 m, 5.3 Km a 4.0%, Km 61.9),
- Mó Grande (3ª Categoria, 385 m, 3.4 Km a 4.4%, Km 80.8),
- Arega (2ª Categoria, 443 m, 4.9 Km a 6.0%, Km 106.1).



Cidade de partida: Miranda do Corvo
Vila de Miranda do Corvo
Miranda do Corvo é uma vila portuguesa do distrito de Coimbra, na região centro do país. É sede de município, subdividido em 4 freguesias.
Em Miranda do Corvo, encontramos a união perfeita entre a natureza, o desporto e a gastronomia. Começando pela parte do desporto, todos os anos esta vila acolhe um dos mais populares eventos de trail running em Portugal: Trilhos dos Abutres. Tem também um Centro de Estágio de Trail Running e BTT equipado com balneários, estação de serviço para bicicletas e instalações para estadia e treino, ajudando os atletas das modalidades a ter a mais adequada preparação física.
A nível gastronómico, apesar do municipio de Mirando do Corvo oferecer um vasto leque de produtos de imensa qualidade, temos de inumerar a Chanfana de Cabra Velha, assada dentro de caçoilas de barro preto em fornos a lenha, mergulhada em vinho tinto, alho, folhas de louro, pimenta, colorau e sal. Uma perdição!
E, depois de um belo almoço, nada como um passeio pela Aldeia de Xisto do Gondramaz. De origem visigótica, a aldeia distingue-se pela tonalidade específica do xisto que nos envolve da cabeça aos pés. Até o chão que se pisa é exemplo da melhor arte de trabalhar artesanalmente a pedra. Situada na vertente ocidental da Serra da Lousã, a paisagem que envolve Gondramaz é uma obra de arte da Natureza.

Cidade de chegada: Leiria
Centro da cidade de Leiria
Leiria é uma cidade capital de distrito e sede de concelho com 29 freguesias (após a reorganização territorial passaram a 18).
Recebeu o seu primeiro foral das mãos de D. Afonso Henriques, em 1142, sob o nome de Leirena. 
Com uma gastronomia variada, muitos são os pratos típicos que devemos experimentar numa visita à cidade. Começando com a Morcela de Arroz, passando pela Chanfana e até por alguns pratos de bacalhau, há para todos os gostos. Nos doces destaque para os conventuais. As Brisas do Liz, um delicioso, a Lampreia de Ovos, as Castanhas Queimadas ou os Canudos de Leiria. Esqueça a dieta e experimente um pouquinho de tudo. 
Passeie pela cidade e conheça cada recanto, mas não perca uma visita ao Castelo de Leiria e à Sé.

Condições meteorológicas

Temperatura a rondar os 27ºC, sem chuva. O vento vai soprar moderado de Noroeste, significa que será lateral praticamente durante toda a etapa, é necessário atenção a possíveis bordures.

Favoritos

Sprint ou fuga?
Tudo indica para que um sprint em pelotão compacto seja o desfecho. A primeira parte da etapa é dura e por isso, é natural que uma fuga com qualidade se forme. No entanto, as equipas dos sprinters irão controlar as diferenças.
Não são muitos os dias para os velocistas puros, por isso, não podem perder esta oportunidade.

⭐⭐⭐ Luís Mendonça, Mateo Malucelli
⭐⭐ João Matias, Vicente De Mateos
⭐ Marco Tizza, Bram Welten, Samuel Caldeira, Daniel Mestre, Rafael Silva, Clement Russo

A nossa aposta: Mateo Malucelli
Das equipas estrangeiras, é o nome que mais salta à vista para finais ao sprint. O italiano sabe o que é vencer na Volta, fê-lo em 2015, na última etapa em Lisboa.
A Caja Rural vai trabalhar para ele neste tipo de finais e em chegadas um pouco mais explosivas têm Domingos Gonçalves.
 
Joker: João Matias
É um dos melhores sprinters portugueses da atualidade. Ainda não venceu na Volta e este ano as oportunidades não serão muitas, por isso, há que as agarrar.
A Vito-Feirense este ano tem ambições limitadas para a geral, por isso, têm de apostar em vitórias de etapa.

Seguir em directo: #eugostodavolta#voltaportugal@VoltaPortugal
TV: RTP 1 (a partir das 15:00)

Horário Portugal continental

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário