Giro 2019 - Antevisão 16ª Etapa

Esta era para ser a etapa rainha da edição deste ano, mas a neve e o perigo de avalanches no Passo di Gavia, obrigaram a organização a alterar o percurso. No entanto, o dia continua a ter uma dureza elevada, com a subida ao Mortirolo em destaque.



O desenho da etapa era praticamente perfeito, mas as condições de segurança neste momento na subida não são as melhores e a opção da organização foi lógica. 
O Passo di Gavia foi substituido pela ascensão a Cevo e Aprica (por Edolo). A etapa foi encurtada em 32 Km, uma diferença substancial. De 5700 metros de subida acumulada positiva passou-se para 5100 metros, o que mesmo assim faz deste dia, um dos mais duros do ano no ciclismo professional.
Lovere é o ponto de partida e os corredores começam logo a subir, a organização considera que inicia a primeira subida do dia apenas aos 17 Km de corrida, Passo della Presolana (11.1 Km a 5.8%).Curta descida e nova ascensão, Croce di Salven (8.8 Km a 4.1%).  
Longa descida e um troço plano até Cedegolo, onde começa a subida de Cevo (10.6 Km a 5,9%). Após a descida de Cevo, começa a subida suave para Edolo e desde aí, os ciclistas sobem até Aprica, são 15 Km a 3.2%.

Subidas
A grande dificuldade do dia é o temido Mortirolo, uma das subidas mais duras que já fizeram parte das grandes voltas. São 11.6 Km a 11.3% de puro sofrimento e que já deu ao Giro alguns dos momentos mais espetaculares das últimas duas décadas.
Depois da descida  do Mortirolo, os últimos 16 Km são em ligeira subida até Ponte di Legno, a diferença terá de ser feita antes. As descidas também são muito importantes e se chover, ainda mais decisivas serão.
Passo del Mortirolo
Final da 16ª etapa

Cidade de partida: Lovere
Galleria dell'Accademia Tadini - Lovere
Localizada na encantadora costa ocidental do Lago Iseo, Lovere pertence à lista do prestigioso clube de "As Mais Belas Aldeias da Itália" desde 2003, devido ao seu notável e bem preservado património artístico e arquitetónico. Descrita como "o lugar mais romântico que já vi em minha vida" pela escritora inglêsa Lady Mary Wortley Montagu, a cidade ostenta um encanto que, ao longo dos anos, a tornou numa das mais famosas e apreciadas localidades da Lombardia. Entre os imperdíveis estão a Basílica de S. Maria in Valvendra, do século XV, a rica Galleria dell'Accademia Tadini com as obras Stele Tadini e Religião de Antonio Canova, a imponente Torre Cívica, ou até o Porto Turístico, uma das maiores e mais modernas instalações portuárias de lagos na Europa.

Cidade de chegada: Ponte di Legno

Ponte di Legno é uma pequena jóia localizada entre imponentes montanhas de grande charme em todas as estações. O nome da cidade, localizada na província de Brescia, no alto Camonica Valley, na fronteira com Trentino, lembra muitos dos invernos, talvez porque as pessoas começaram a falar sobre isso em 1912, quando o Italian Touring Club lhe chamou a "primeira estação italiana de turismo e desportos de inverno". No verão, Ponte di Legno oferece uma série de oportunidades especialmente para os amantes de bicicletas de estrada, graças aos feitos históricos dos ciclistas em subidas como o  Passi Gavia e o Mortirolo. A lenda de Gavia nasceu em 1960, quando Imerio Massignan foi o protagonista da primeira ascensão, mas não conseguiu vencer a etapa devido a três furos.

Condições meteorológicas 

Existe a forte possibilidade de chuva, o que influenciará e muito o desenrolar das coisas, principalmente nas descidas. As temperatutas serão baixas, raramente passarão os 10ºC e no topo das montanhas podem mesmo aproximarem-se dos 0ºC. O vento não vai ser um fator.

Favoritos

⭐⭐⭐⭐ Vincenzo Nibali
⭐⭐ ⭐ Richard Carapaz, Simon Yates, Mikel Landa
⭐⭐ Primoz Roglic, Miguel Angel Lopez
⭐ Fuga (Masnada, Cattaneo, Ciccone, Brambilla, Sosa, Kangert, Zakarin, Carthy, Formolo...)
 
A nossa aposta: Vincenzo Nibali
Tem melhorado de dia para dia e se a chuva aparecer, Nibali é capaz de atacar em qualquer terreno. Tem de recuperar tempo a Carapaz e Roglic e tem uma das melhores equipas para a montanha, com Pozzovivo e Caruso.

Joker: Mikel Landa
A vantagem táctica que a Movistar tem em relação às restantes equipas, é que tem dois ciclistas no top-5. Mikel Landa pode fazer uma das coisas que melhor sabe fazer que é, atacar de longe.
O basco é também um apreciador do Mortirolo, conhece bem esta subida e é perfeita para as suas características.

Seguir em directo: #Giro102, #Giro, @giroditalia
(a partir das 12:00, hora de Portugal Continental)

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário