Alterações no modelo competitivo da UCI

O comité diretivo da UCI está reunido em Innsbruck desde hoje até 27 de setembro. A primeira decisão importante já foi anunciada hoje, alterações ao modelo competitivo das provas de estrada.
A alteração foi aprovada por unanimidade pelos membros do Conselho de Ciclismo Profissional (CCP), que integra os representantes dos ciclistas, organizadores, equipas. A ASO também esteve presente e aceitou as propostas.
A alteração tem como objetivo promover o crescimento da modalidade e consolidá-la entre as principais modalidades desportivas. As alterações entrarão em vigor na temporada 2020 e são as seguintes:

- O calendário de estrada será dividido em três níveis: UCI WorldTour, UCI ProSeries e UCI Continental Circuitos.   
  1. A UCI World Tour incluirá as três Grandes Voltas e outras corridas por etapas e de um dia, estas últimas serão reunidas numa nova série, as UCI Classic Series. Em principio as atuais provas do World Tour farão parte deste nível e mais algumas serão adicionadas de forma a totalizar 185 dias de provas durante 1 ano.
  2. As UCI ProSeries abarcarão as maioria das atuais provas HC e 1.1 e 2.1.
  3. O circuito continental terá provas estratégicas para a implantação e o desenvolvimento da modalidade. Atualmente estas provas estão classificadas como 1.2 e 2.2.

- As equipas também serão divididas por três níveis também, como atualmente: UCI WorldTeams, UCI ProTeams e UCI Continental Teams.
  1. Serão 18 equipas UCI WorldTeams, compostas por 27 a 30 corredores. A licença é de 3 anos e são obrigadas a participar nas provas World Tour.
  2. Número ilimitado de equipas UCI ProTeams e UCI Continental Teams.
- No final de 2019, 18 equipas receberão a licença UCI World Tour e a cada 3 anos serão revistas com base em 5 critérios: ética, administrativa, financeira, organizativa e desportiva.


- Haverá apenas um ranking, o ranking mundial UCI (UCI World Tour ranking deixará de existir). A UCI publicará um ranking mundial individual, de equipas e de nações. O ranking mundial de equipas terá um conceito diferente, com apenas os 10 melhores ciclistas a contar para o cálculo.
Os rankings para os 5 circuitos continentais continuarão a ser publicados.


- Os convites para as Grandes Voltas terão um critério de mérito desportivo também. Dos quatro convites, dois deles serão para as 2 melhores equipas (mais pontos no ranking) do UCI ProTeams e os outros 2 são escolha do organizador.
O mesmo sucederá nos convites para a UCI Classics series, 3 deles são para as 3 melhores equipas do UCI ProTeams. O critério é o mesmo para as outras provas World Tour.

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário