Volta à França 2018 - Antevisão 7ª Etapa

O Tour deixa a Bretanha e dirige-se para o centro do país, num dia que promete ser mais monótono do que o anterior.

Rescaldo 6ª etapa:

Etapa que prometia um final explosivo e não decepcionou. O dia começou em Brest e cedo se formou a fuga do dia, com Damien Gaudin (Direct Energie), Fabien Grellier (Direct Energie), Anthony Turgis (Cofidis), Dion Smith (Wanty-Groupe Gobert) e Laurent Pichon (Fortuneo-Samsic).
Um dos principais momentos do dia aconteceu a 100 quilómetros da meta, quando a Quick-Step decidiu mexer com a corrida, acelerou e o efeito foi imediato, o grupo principal ficou partido. As principais ausências no grupo principal eram:  Vincenzo Nibali, Dan Martin, Steven Kruijswijk, Jakob Fuglsang, Nairo Quintana e Mikel Landa, Primoz Roglic ficou num grupo ainda mais atrasado.
A Movistar reagiu e conseguiu colar os dois grupos, a LottoNL-Jumbo também acabou por conseguir colar Roglic ao pelotão. 
Ainda antes da primeira ascensão ao Mûr de Bretagne, Jakob Fuglsang ficou retido numa queda, a Astana teve de recuar para ajudar o seu líder, que colou no pelotão, ainda antes da subida.
A 5 quilómetros da meta, Tom Dumoulin teve o seu momento de azar, quando furou e perdeu mais de 40 segundos, nunca mais conseguiu recuperar até ao grupo principal e no final levou mesmo 20 segundos de penalização por abusar do abrigo dos carros.
A subida final foi animada, vários ataques sem consequência prática, a 1 quilómetro da meta, Daniel Martin fez o ataque que deu a vitória. Pierre Latour a 600 metros da meta ainda tentou ir buscar o irlandês, mas foi impossível. Alejandro Valverde foi 3º
Dos candidatos à geral, destaque para Froome e Uran, que perderam poucos segundos. Romain Bardet, que teve de trocar de bicicleta com Gallopin mesmo antes da subida final ainda colou mas acabou por ceder e perdeu mais de 30 segundos para o vencedor da etapa. Tom Dumoulin perdeu 53 segundos na estrada, mais os 20 da penalização, foi o grande derrotado do dia.

Combativo do dia: Damien Gaudin

Classificação da 6ª etapa:
1 Daniel Martin (Irl) UAE Team Emirates 4:13:43    
2 Pierre Latour (Fra) AG2R La Mondiale 0:00:01    
3 Alejandro Valverde (Spa) Movistar Team 0:00:03    
4 Julian Alaphilippe (Fra) Quick-Step Floors         
5 Rafal Majka (Pol) Bora-Hansgrohe         
6 Adam Yates (GBr) Mitchelton-Scott         
7 Bauke Mollema (Ned) Trek-Segafredo         
8 Peter Sagan (Svk) Bora-Hansgrohe         
9 Geraint Thomas (GBr) Team Sky         
10 Primoz Roglic (Slo) LottoNL-Jumbo


Geral individual (Top-10):
1 Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team 22:35:46    
2 Geraint Thomas (GBr) Team Sky 0:00:03    
3 Tejay van Garderen (USA) BMC Racing Team 0:00:05    
4 Julian Alaphilippe (Fra) Quick-Step Floors 0:00:06    
5 Philippe Gilbert (Bel) Quick-Step Floors    0:00:12    
6 Bob Jungels (Lux) Quick-Step Floors 0:00:18    
7 Rigoberto Uran (Col) EF Education First-Drapac p/b Cannondale 0:00:45    
8 Alejandro Valverde (Spa) Movistar Team 0:00:51    
9 Rafal Majka (Pol) Bora-Hansgrohe 0:00:52    
10 Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team 0:00:53

Diferenças entre os líderes:
2. Geraint Thomas (Team Sky)
6. Bob Jungels (Quick-Step Floors) a 15″
7. Rigoberto Urán (EF-Drapac) a 42″
8. Alejandro Valverde (Movistar Team) a 48″
9. Rafal Majka (Bora-Hansgrohe) a 49″
10. Jakob Fuglsang (Astana) a 50″
11. Richie Porte (BMC) a 50″
12. Mikel Landa (Movistar Team) a 52″
13. Adam Yates (Mitchelton-Scott) a 59″
14. Chris Froome (Team Sky) a 59″
16. Vincenzo Nibali (Bahrain-Merida) a 1’05”
17. Primoz Roglic (LottoNL-Jumbo) a 1’14”
18. Bauke Mollema (Trek-Segafredo) a 1’15”
19. Tom Dumoulin (Team Sunweb) a 1’20”
20. Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) a 1’23”
21. Dan Martin (UAE Team Emirates) a 1’24”
23. Romain Bardet (AG2R La Mondiale) a 1’42”
25. Ilnur Zakarin (Katusha-Alpecin) a 1’59”
27. Nairo Quintana (Movistar Team) a 2’07”

Etapa 7






Estamos de regresso ao terreno dos puro sangue do sprint. Etapa que sai de Fougères e segue para Este em direção a Chartres.
É a etapa mais longa, com 231 quilómetros de extensão, apenas uma subida categorizada de 4ª categoria, colocada a meio do percurso. 
A parte final é marcada por uma viragem à direita complicada numa rotunda, a faltar 2 quilómetros. O último quilómetro é em falso plano, com rampas de 4 e 5% o que beneficia sprinters mais versáteis.

Sprints intermédios:  
- Berd'Huis (156 m, Km 168)

Subidas categorizadas:
- Côte du Buisson de Perseigne (4ª Cat., 128 m, 1.5 Km a 3.9%, Km 120),

Bónus
Este ano a organização decidiu colocar nas primeiras 9 etapas um sprint especial relativamente perto da meta, com bónus de 3, 2 e 1 segundos para o 1º, 2º e 3º a passarem nele. Está assinalado no perfil desta forma:

- Nonvilliers-Grandhoux (209m, Km 200)

Cidade de partida: Fougères


Fougères é uma cidade fortificada situada na Normandia, alberga cerca de 20 mil habitantes. Já foi palco de um contrarrelógio colectivo de 73 quilómetros no Tour nomeadamente no ano de 1985, onde a equipa de Bernard Hinault, a La Vie Claire venceu-o.
A  cidade também foi palco da partida de uma das etapas do Tour em 2013.

Cidade de chegada: Chartres


Cidade francesa na região administrativa do Centro, no departamento Eure-et-Loir. O monumento mais importante e mais visitado de Chartres é a sua Catedral (datada do século 13, é famosa pelas cores dos seus vitrais) e está incluída na lista de Património Mundial da UNESCO.
A nível gastronómico é uma região bastante rica. Por lá podem provar iguarias como o Patê en Croute (uma terrina de porco envolvida em massa folhada),
o Mentchikoff (doce feito de praline de chocolate coberto com merengue suíço) e o Cochelin (um bolo de massa folhada com a forma de um homem, podendo ser recheado com chocolate ou framboesa, encontra-se mais facilmente nas festas do final do ano). Não deixe também de experimentar a Eurélienne (cerveja local, produzida numa quinta bem perto da cidade que pode até ser visitada).

Condições meteorológicas

Mais um dia com muito sol e poucas nuvens, as temperaturas rondarão os 25ºC. O vento vai soprar fraco de Norte/Nordeste.

Favoritos

⭐⭐⭐ Fernando Gaviria, Peter Sagan
⭐⭐ Dylan Groenewegen, Arnaud Démare, Sonny Colbrelli
⭐ Marcel Kittel, Alexander Kristoff, André Greipel

A nossa aposta: Fernando Gaviria
Tem o melhor comboio e é um ciclista que é capaz de sprintar em falso planos como é o final desta etapa. Em dois sprints que disputou venceu os dois, neste momento é difícil apostar contra ele.
Além do mais, 'descansou' estas últimas duas etapas, limitou-se a terminar, por essa razão estará mais fresco do que outros como por exemplo, Peter Sagan.

Outsider: Sonny Colbrelli
Neste tipo de chegadas o italiano é um dos melhores do pelotão mundial. Neste Tour já esteve bem perto de ganhar uma etapa, em Quimper, foi batido por muito pouco por Peter Sagan.

Seguir em directo: #tdf2018, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 11:00, hora de Portugal Continental)
 (a partir das 13:15, hora de Portugal Continental, passa para a RTP1 às 14:00)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário