Giro 2018 - Antevisão 9ª Etapa

Antes do segundo dia de descanso, aparece a etapa mais dura da prova até ao momento, com chegada a Gran Sasso d'Italia.



Etapa muito dura, com destaque para os últimos 45 quilómetros , que são quase todos em subida. Os primeiros 80 quilómetros da etapa são tranquilos, com partida em Pesco Sannita.
A primeira subida categorizada tem o seu topo ao quilómetro 109, Roccaraso (2ª Cat., 1238 m, 8.8 Km a 5.0%, Km 109.0). Depois da subida, segue-se uma zona plana e uma longa descida até aos já referidos 45 quilómetros finais.
A parte está dividida em duas subidas de 1ª categoria. O inclinação não é muito elevada, mas a extensão pesará nas pernas dos ciclistas. Os últimos 4 quilómetros são a 8,2% de inclinação média.


Partida: 10:00 (hora de Portugal continental)
Chegada: 16:15 Aprox. (hora de Portugal continental)

Sprints intermédios:  
- Popoli (246 m, Km 160.8), 
- Bussi sul Tirino (310 m, Km 167.3).

Subidas categorizadas:
- Roccaraso (2ª Cat., 1238 m, 8.8 Km a 5.0%, Km 109.0), 
- Calascio (1ª Cat., 1193 m, 13.4 Km a 6.1%, Km 192.9), 
- Gran Sasso d'Italia (1ª Cat., 2125 m, 25.9 Km a 3.3%, META).

Zona de abastecimento:
- Km 96.6.

Local de partida: Pesco Sannita


Pesco Sannita é uma cidade com cerca de 2000 habitantes, localizada na província de Benevento, nas colinas, à direita do rio Tammaro. É uma cidade medieval. 
A agricultura sempre foi a principal fonte de sustento da população. Pesco Sannita tem uma área agrícola utilizada de 1574.94 hectares.


Local de chegada: Gran Sasso d'Italia (Campo Imperatore)



Gran Sasso d'Italia é a montanha mais alta dos Apeninos continentais, localizada no centro dos Apeninos, na fronteira entre as províncias de L'Aquila, Teramo e Pescara, a sul é limitada por Campo Imperatore.
A zona é protegida desde a criação do Parque Nacional de Gran Sasso e Monti della Laga.
Campo Imperatore é um vasto planalto, de origem glacial e cárstico-aluvial, localizado a cerca de 1800 metros de altitude na província de Áquila, em Abruzzo, no coração do maciço do Gran Sasso d'Italia e do Parque Nacional Gran Sasso e Monti do Laga.

Condições meteorológicas

Probabilidade baixa de chuva, temperaturas a rondar os 20ºC, um pouco menos nas zonas mais elevadas. O vento soprará fraco.

Favoritos

*** Simon Yates, Fuga
** Esteban Chaves, Domenico Pozzovivo, Thibaut Pinot
* Miguel Angel Lopez, Tom Dumoulin, George Bennett

Fuga: Giulio Ciccone, Ben Hermans, Gianluca Brambilla, Jan Hirt, Jan Polanc, Manuel Senni, Felix Grosschartner, Hugh Carthy, Jarlinson Pantano, Hubert Dupont

A nossa aposta: Simon Yates
Esteve um nível acima em relação a todos, na quinta-feira no Etna, apenas não ganhou porque o seu colega, Chaves esteve na fuga.
Se poder ganhar mais tempo em relação a Dumoulin e companhia, certamente não irá deixar passar tal oportunidade.

Outsider: Miguel Angel Lopez
O colombiano está a mais de 2 minutos da liderança da prova. Tem de começar a recuperar algum tempo e por isso terá de atacar a sério. A Astana tem equipa para controlar a corrida e preparar o terreno para o seu líder.

Diferenças entre os principais candidatos à geral:
1. Simon Yates (Mitchelton-Scott)
2. Tom Dumoulin (Team Sunweb) a 16″
3. Esteban Chaves (Mitchelton-Scott) a 26″
4. Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) a 41″
5. Domenico Pozzovivo (Bahrain-Merida) a 43″
6. Rohan Dennis (BMC) a 53″
7. Pello Bilbao (Astana) a 1’03”
8. Richard Carapaz (Movistar Team) a 1’06”
9. Chris Froome (Team Sky) a 1’10″
10. George Bennett (LottoNL-Jumbo) a 1’11″
11. Fabio Aru (UAE Team Emirates) a 1’12″
12. Michael Woods (EF-Drapac) a 1’39”
14. Carlos Betancur (Movistar Team) a 1’44″
20. Miguel Ángel López (Astana) a 2’12″
31. Davide Formolo (Bora-Hansgrohe) a 5’35″


Seguir em directo: , @giroditalia
(a partir das 12:15, hora de Portugal Continental)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário