Giro 2018 - Antevisão 3ª Etapa

Na terceira etapa (última em Israel) voltamos a ter uma etapa para os homens do sprint. Conseguirá Viviani repetir a vitória?



Olhamos para o perfil e não encontramos dificuldades, mas esta é daquelas que podem deixar marcas. Grande parte da etapa será disputada no deserto de Negev, são quase 230 quilómetros com calor à mistura e vento.
Os ciclistas seguem desde da partida para sul, em direção a Eilat, uma cidade que fica bem perto das fronteiras com a Jordânia e Egipto, nas proximidades da península do Sinai.
A única subida fica muito longe da meta, não será um factor importante na decisão da etapa.

A parte final é plana, porém há uma curva de 90º a 350 metros, onde a colocação dos sprinters será essencial, caso a etapa seja decidida ao sprint.

Sprints intermédios:
- Sde Boker (490 m, Km 45.1),
- Mitzpe Ramon (841 m, Km 77.1).

Subidas categorizadas: 
- Faran River (4ª Cat., 319 m, 1.5 Km a 5.1%, Km 127.8).

Zona de abastecimento:
Km 96.7.

Cidade de partida: Be'er Sheva


Be'er Sheva é uma cidade no sul de Israel, a maior cidade do deserto de Negev. É, também, um importante centro universitário. Na sua área municipal encontra-se a cidade arqueológica Tel Berseba que foi declarada como Património Mundial da UNESCO.

Cidade de partida: Eilat



Eilat é uma cidade localizada no extremo sul de Israel, nas margens do Mar Vermelho. A cidade é um centro turístico por causa da beleza natural da região, dos recifes de corais populares entre mergulhadores e também graças às características subtropicais do Mar Vermelho. Eilat é uma zona franca isenta de impostos de compra.

Condições meteorológicas

Dia de Sol e calor, com a temperatura a rondar os 34ºC. O vento vai soprar moderado a forte de norte.

Favoritos

*** Elia Viviani
** Jakub Mareczko, Sam Bennett, Sacha Modolo
* Niccolo Bonifazio, Andrea Guardini, Manuel Belletti, Ryan Gibbons, Danny Van Poppel

A nossa aposta: Elia Viviani

A Quick-Step Floors tem o melhor leadout com Sabatini, Morkov, Cavagna, Schachmann e Stybar e isso dá-lhe vantagem. Porém, na etapa anterior não foi preciso comboio, o sprinter italiano agarrou-se à roda de Bennett e respondeu de forma implacável a Mareczko.
É o melhor sprinter em prova.

Outsider: Jakub Mareczko
Foi o primeiro a arrancar na etapa anterior, apenas foi batido por Viviani. Está em boa forma e pela demonstração, está na segunda linha dos sprinters, atrás do compatriota da Quick-Step Floors.

Diferenças entre os principais candidatos à geral:
1. Rohan Dennis (BMC)
2. Tom Dumoulin (Team Sunweb) a 1″
7. Simon Yates (Mitchelton-Scott) a 21″
10. Domenico Pozzovivo (Bahrain-Merida) a 28″
11. Carlos Betancur (Movistar Team) a 29″
16. Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) a 34″
17. Patrick Konrad (Bora-Hansgrohe) a 35″
20. Chris Froome (Team Sky) a 38″
24. Davide Formolo (Bora-Hansgrohe) a 41″
26. Sam Oomen (Team Sunweb) a 43″
34. Esteban Chaves (Mitchelton-Scott) a 47″
37. George Bennett (LottoNL-Jumbo) a 50″
39. Fabio Aru (UAE Team Emirates) a 51″
47. Alexandre Geniez (AG2R La Mondiale) a 54″
49. Roman Kreuziger (Mitchelton-Scott) a 56″
52. Miguel Ángel López (Astana) a 57″
63. Michael Woods (EF-Drapac) a 1’03”
75. Jan Hirt (Astana) a 1’09”
76. Louis Meintjes (Dimension Data) a 1’09”
85. Gianluca Brambilla (Trek-Segafredo) a 1’14”
114. Wout Poels (Team Sky) a 1:31″
151. Ben Hermans (Israel Cycling Academy) a 2’18”

Seguir em directo: , @giroditalia
(a partir das 10:30, hora de Portugal Continental)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário