Giro 2018 - Antevisão 17ª Etapa

Depois do contrarrelógio, temos um dia mais calmo e onde alguns poderão ter um "descanso ativo". É uma etapa sem grandes dificuldades, no entanto, no Giro nunca se sabe.

 

O corredores dirigem-se neste dia para a Lombardia, uma das regiões italianas mais tradicionais na modalidade.
O ciclistas começam a subir desde o inicio da etapa, o Molina di Ledro (10 Km at 5.5%, não categorizada). O terreno ondulante marcarão os primeiros 100 quilómetros, com mais duas subidas, além da já referida, porém, apenas uma é categorizadas.
No final os corredores terão de realizar uma volta a um circuito praticamente plano, de 23,9 quilómetros de extensão.



Sprints intermédios:
- Vestone (314 m, Km 57.2),
- Erbusco (235 m, Km 120.2).

Subida categorizada:
- Lodrino (3ª Cat., 737 m, 7.1 Km a 4.5%, Km 71.6).

Zona de abastecimento: 
Paderno (174 m, Km 105.3).

Cidade de partida: Riva del Garda


Riva del Garda é uma cidade italiana da região Trentino-Alto Adige, que até o ano de 1918, foi parte da Áustria.
O centro de Riva del Garda fascina com arte e arquitetura, evidências da história antiga e um passado rico em arte e cultura.
Com o clima mais equilibrado de toda a região do Trentino e debruçando-se às margens setentrionais do lago de Garda, Riva tem, compreensivelmente, no turismo uma de suas maiores fontes de recursos.

Cidade de chegada: Iseo


Iseo é uma pequena cidade da região da Lombardia que se desenvolve em torno de uma antiga vila medieval. Está localizada na costa sudeste do Lago Iseo, ao qual dá nome.
Uma viagem para Iseo e o lago homónimo é uma oportunidade para visitar a Franciacorta, a área vitícola localizada entre Brescia e a extremidade sul do lago.
A sua história recente está ligada à extraordinária Franciacorta, obtida das vinhas localizadas nas colinas, entre torres medievais e antigos palácios do século XVI, castelos e pequenas aldeias, expressão de um território dedicado à vitivinicultura desde tempos imemoriais.

Condições meteorológicas

Dia com probabilidade de chuva. A temperatura vai estar agradável, a rondar os 20ºC e o vento soprará fraco.

Favoritos

*** Fuga (Alessandro De Marchi, Fausto Masnada, Matej Mohoric, Diego Ulissi, Tony Martin, José Gonçalves, Giovanni Visconti, Luis Léon Sanchez, Matteo Montaguti)
** Sam Bennett, Elia Viviani
* Danny Van Poppel, Niccolo Bonifazio, Sacha Modolo


A nossa aposta: Fuga
Tem sido muito complicado as fugas terem sucesso nesta edição do Giro. No entanto, acreditamos que depois de um contrarrelógio, o pelotão já pensa nos próximos dias que serão de muita montanha e devem dar espaço para que uma fuga tenha sucesso. A Bora-Hansgrohe e a Quick-Step Floors são as equipas que poderão evitar esse cenário.

Outsider: Sam Bennett
Tem sido o principal rival de Viviani. Já venceu duas etapas e a sua equipa está interessada em mais um sucesso. Para isso terão de controlar a corrida desde cedo e evitar que uma fuga ganhe muito tempo.

Diferenças entre os principais candidatos à geral:
1. Simon Yates (Mitchelton-Scott)
2. Tom Dumoulin (Team Sunweb) a 56″
3. Domenico Pozzovivo (Bahrain-Merida) a 3’11″
4. Chris Froome (Team Sky) a 3’50″
5. Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) a 4’19″
6. Rohan Dennis (BMC) a 5’04”
7. Miguel Ángel López (Astana) a 5’37″
8. Pello Bilbao (Astana) a 6’02”
9. Richard Carapaz (Movistar Team) a 6’07”
10. George Bennett (LottoNL-Jumbo) a 7’01″
11. Patrick Konrad (Bora-Hansgrohe) a 7’13″
12. Ben O'Connor (Dimension-Data) a 7’33″
13. Sam Oomen (Team Sunweb) a 8’05”
14. Carlos Betancur (Movistar Team) a 8’56″
15. Alexandre Geniez (AG2R La Mondiale) a 9’48″
---
20. José Gonçalves (Team Katusha) a 14’51″

Seguir em directo: , @giroditalia
(a partir das 12:00, hora de Portugal Continental)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário