Giro 2018 - Antevisão 16ª Etapa

Depois do dia de descanso, nada melhor que iniciar a última semana com um contrarrelógio de 34 quilómetros.


As diferenças serão grandes, com a luta entre os contrarrelogistas, que procuram ganhar tempo, e os trepadores, que procuram limiar perdas, a ser o grande aliciante. Será que Tom Dumoulin conseguirá ganhar tempo suficiente para 'roubar' a maglia rosa a Simon Yates?
De Trento, os corredores seguem para sul ao longo do rio Adige, num percurso praticamente plano. Está divido em três partes cronometradas, a primeira até aos 12,7 quilómetros, a segunda parte vai até aos 25,6 quilómetros, mesmo antes do ponto intermédio situa-se a única dificuldade do dia, (1 Km a 5%). A última parte tem algumas viragens perigosas.
É um contrarrelógio para ciclistas que produzem muitos watts.


Cidade de partida: Trento 


Trento é uma cidade italiana, capital da província autónoma com o mesmo nome.
Os nascidos em Trento são chamados de tridentino, adjetivo que significa "pertencente a Trento" e do qual deriva o termo trentino, indicando "morador dos arredores de Trento".
Trento, no coração dos Alpes, tem uma história de mil anos, feita da tradição da Europa Central e da cultura italiana, cujos testemunhos são mantidos pelos vestígios arqueológicos e museus de excelência que a cidade abriga. O Roman Tridentum, o Castello del Buonconsiglio e a MUSE, o Museu da Ciência projetado por Renzo Piano, são apenas algumas das atrações mais características da cidade.

Cidade de chegada: Rovereto


Rovereto é um município italiano da Província Autónoma de Trento. É um importante centro industrial, turístico e cultural com uma oferta refinada de museus e festivais, palácios e monumentos. É muitas vezes mencionado como Città della Quercia (quercia significa carvalho e está representado no brasão da cidade).
Localizado entre colinas e vinhas, Rovereto está no centro do Valle dell'Adige, ao longo da estrada principal que liga Verona e Trento.

Condições meteorológicas

Há grandes possibilidades de haver chuva, o que pode influenciar profundamente o contrarrelógio. A temperatura rondará os 18ºC e o vento vai soprar fraco.

Favoritos

*** Tom Dumoulin
** Jos Van Emden, Chris Froome, Rohan Dennis
* Alex Dowsett, Tony Martin, Ryan Mullen, Victor Campenaerts, Vasil Kiryienka, José Gonçalves


A nossa aposta: Tom Dumoulin
Atual campeão do mundo de contrarrelógio, vencedor da primeira etapa (um contrarrelógio) e tem de ganhar o máximo de tempo possível a Simon Yates. Por essas três razões, tem de ser considerado o grande favorito a ganhar.

Outsider: Jos Van Emden
Tem estado a guardar-se para esta etapa. O holandês é um especialista, que inclusive já venceu um contrarrelógio no Giro, na edição do ano passado.
Este ano foi 4º no contrarrelógio no Abu Dhabi, 2º no Tirreno-Adriático e apenas 33º na 1ª etapa do Giro.

Simon Yates versus Tom Dumoulin

A grande questão neste contrarrelógio é saber se Tom Dumoulin vai ser capaz de retirar a maglia rosa a Simon Yates.
Vamos então comparar os contrarrelógios onde os dois estiveram presentes, para tentar perceber quanto o inglês poderá perder para o holandês nesta etapa.


Em 11 contrarrelógios em que Simon Yates e Tom Dumolin participaram, o holandês foi sempre melhor.
Nenhum deles foi tão longo quanto este, o mais longo foi de 25,9 quilómetros, nesse Yates perdeu 2,66 segundos por quilómetro.
Em média, Tom Dumoulin foi 3,36 segundos por quilómetro mais rápido que Yates nos 11 confrontos. Se considerarmos esse valor, Dumoulin irá ganhar perto de 115 segundos, ou seja, 1 minuto e 55 segundos. Não chega para "roubar" a maglia rosa a Yates.
No entanto, existem diversos fatores que influenciam a performance dos ciclistas e não será de todo impossível que haja mudança de líder.

Diferenças entre os principais candidatos à geral:
1. Simon Yates (Mitchelton-Scott)
2. Tom Dumoulin (Team Sunweb) a 2’11″
3. Domenico Pozzovivo (Bahrain-Merida) a 2’28″
4. Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) a 2’37″
5. Miguel Ángel López (Astana) a 4’27″
6. Richard Carapaz (Movistar Team) a 4’47”
7. Chris Froome (Team Sky) a 4’52″
8. George Bennett (LottoNL-Jumbo) a 5’34″
9. Pello Bilbao (Astana) a 5’59”
10. Patrick Konrad (Bora-Hansgrohe) a 6’13″
11. Rohan Dennis (BMC) a 6’41”
12. Ben O'Connor (Dimension-Data) a 7’12″
13. Sam Oomen (Team Sunweb) a 7’27″
14. Carlos Betancur (Movistar Team) a 8’00″
15. Alexander Geniez (Ag2R La Mondiale) a 9’00″
---
20. José Gonçalves (Team Katusha) a 15’20″

Seguir em directo: , @giroditalia
(a partir das 12:30, hora de Portugal Continental)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário