Rei do empedrado 2018


Com o final da temporada de clássicas do pavé, é o momento indicado para fazer uma avaliação e tentar descobrir, quem é que é foi o grande ciclista de 2018 no empedrado.
Para chegar a um nome, criamos um cálculo que envolve obviamente a posição final do ciclista em cada prova de pavé. Há também uma hierarquização das provas.

Provas

As clássicas e semi-clássicas consideradas foram todas aquelas que contém sectores de pavé e estão no calendário UCI, são as seguintes:
- Paris-Roubaix
- Volta à Flandres
- Omloop Hel Nieuwsblad
- Kuurne-Bruxelles-Kuurne
- E3 Harelbeke
- Gent-Wevelgem
- Dwars door Vlaanderen (Através da Flandres)
- Nokere-Koerse
- Handzame
- 3 dias de Panne
- Schieldeprijs
- Le Samyn
- Dwars door West-Vlaanderen (Através do Oeste da Flandres)

Posição 

Os 30 primeiros classificados de cada prova recebem os seguintes pontos:


Hierarquia das provas

Ganhar um Paris-Roubaix não é o mesmo de uma Le Samyn, por isso mesmo, demos pesos diferentes. Dividimos em quatro grupos de provas, com quatro fatores para o cálculo.


Cálculo

Total=[(posição_1*factor_1) + (posição_2*factor_2) + ...]

Resultados


Niki Terpstra foi o ciclista com a pontuação mais elevada, três vitórias fazem a diferença. Peter Sagan venceu duas, aparece em 2º lugar e em 3º aparece Philippe Gilbert, que apesar de não ter ganho qualquer prova, beneficia de ter feito três pódios.

Ranking:
1º Niki Terpstra 788 pts
2º Peter Sagan 630 pts
3º Philippe Gilbert 546 pts
4º Jasper Stuyven 533 pts
5º Sep Vanmarcke 512 pts
6º Greg Van Avermaet 505 pts
7º Michael Valgren 396 pts
8º Zdenek Stybar 389 pts
9º Oliver Naesen 350 pts
10º Tiesj Benoot 258 pts

O Rei do empedrado de 2018 foi, Niki Terpstra.



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário