Tony Martin irritado com trocas de bicicleta durante CRI dos Campeonatos Mundiais

Tony Martin (Foto: Getty Images Sport)
A prova masculina de contra-relógio individual elite só se irá realizar amanha mas já dá que falar. Tony Martin, actual detentor do título, encontra-se bastante desapontado com o percurso deste ano (visto terminar em alto) e o facto da organização permitir uma troca de bicicleta.

A UCI decidiu então permitir que os ciclistas troquem a bicicleta de contra-relógio, por uma 'normal' de estrada, na base do Monte Fløyen. A troca por uma bicicleta mais leve oferece aos trepadores uma oportunidade de ganhar tempo na subida. 
Estima-se que a mudança demore entre sete a dez segundos, mas os treinadores calculam que o uso de uma bicicleta mais leve pode economizar cerca de 20 segundos na subida final.

Quem não ficou mesmo nada satisfeito com esta decisão, foi o ciclista alemão da Katusha-Alpecin, Tony Martin.
"O final da prova é muito difícil para mim. Eu vou dar tudo e lutar muito, mas sei que tenho poucas hipóteses de sucesso."
"Estou super decepcionado e não entendo porque permitiram que os ciclistas mudem de bicicleta. Desta forma, os trepadores têm uma vantagem, porque não vão perder muito tempo na troca e terão benefícios por fazer a subida com uma bicicleta tradicional."
"Ao desenharem um percurso como este, não deveriam permitir trocar de bicicleta. Ainda assim seria difícil para mim vencer, mas teria mais hipóteses."

Fonte: http://www.cyclingnews.com/


Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

1 comentário:

  1. E tem alguma razão, se é CRI que seja do início ao fim sem trocas de bicicletas!

    ResponderEliminar