GP la Marseillaise (1.1) - Antevisão


O GP la Marseillaise como é tradição abre o calendário de ciclismo Francês. A edição de 2016 será a 36ª edição e mais uma vez terá a presença de algumas das maiores figuras do ciclismo Francês. A prova começou a ser disputado nos anos 80 e conforme o nome indica, disputa-se na região de Marselha, na Cote d'Azur.
Foi durante vários anos a corrida que abria o calendário europeu, esse estatuto entretanto foi perdido para o Challenge de Maiorca.

História
últimos 10 vencedores
2007 Jeremy Hunt (GBR) Unibet.com
2008 Hervé Duclos-Lassalle (FRA) Cofidis
2009 Rémi Pauriol (FRA) Cofidis
2010 Jonathan Hivert (FRA) Saur-Sojasun
2011 Jérémy Roy (FRA) FDJ
2012 Samuel Dumoulin (FRA) Cofidis
2013 Justin Jules (FRA) La Pomme Marseille
2014 Kenneth Vanbilsen (BEL) Topsport Vlaanderen-Baloise
2015 Pim Ligthart (NED) Lotto-Soudal
2016 Dries Devenyns (Bel) IAM Cycling

Edição 2016 (Top-10)
1 Dries Devenyns (Bel) IAM Cycling 3:31:43
2 Thibaut Pinot (Fra) FDJ
3 Baptiste Planckaert (Bel) Wallonie Bruxelles - Group Protect 0:00:42
4 Dimitri Claeys (Bel) Wanty - Groupe Gobert
5 Ryan Anderson (Can) Direct Energie
6 Carlos Barbero Cuesta (Spa) Caja Rural-Seguros RGA
7 Arthur Vichot (Fra) FDJ
8 Tony Gallopin (Fra) Lotto Soudal
9 Gaetan Bille (Bel) Wanty - Groupe Gobert
10 Jérôme Baugnies (Bel) Wanty - Groupe Gobert

Percurso
Marselha - Marselha, 146 Kms
A organização da prova não altera ano após ano o percurso, sendo sempre parecido ou igual ao ano anterior.
Toda a ação desenrola-se em torno da cidade de Marselha, com os ciclistas a partirem da cidade para o interior onde encontrarão as dificuldades montanhosas. O percurso deste ano é um pouco menos agressivo e seletivo em relação ao de 2016, já que a dificuldade final foi retirada.
A primeira dificuldade aparece aos 36,8 Kms, com a ascensão ao Col du Petit Galibier (6,8Km@3,9%).
Depois de uma descida, os corredores enfrentarão a subida mais longa do dia, o Col de l'Espigoulier (11,5Km@4,8%), o topo fica quase a meio da prova. Nova descida e aos 81,5 Kms, nova subida, Cote de Bastide (8,3 km, 2,8%), seguido de descida e nova ascensão, Pas de Bellefille (2,7Km@5,6%). 
Depois de uma curta descida, nova ascensão, Coll des Cretes (4,1 km, 7,3%), o corredores depois têm uma secção plana, até enfrentarem nova descida e mal acabe sobem a última subida do dia, Col de la Gineste (5.7 km, 5,1%). O topo situa-se a menos de 10 Kms da meta, que serão realizados em descida, até ao Velódrome de Marselha.

Perfil retirado do site Lasterketa Burua

Condições atmosféricas
Algumas edições da prova foram marcadas pela presença do frio e neve. No entanto este ano, preveem-se temperaturas a rondar os 14 ºC.
O vento é outro dos factores que frequentemente tem estado presente, mas este ano, não se espera vento forte. Soprará de Oeste, o que significa que na parte final estará de frente para os ciclistas e em algumas zonas durante a prova será lateral.

Startlist
Aqui

Favoritos
Os homens da casa, ou seja, os franceses são os principais candidatos. A prova não é tão dura como a do ano anterior, que tinha mais dificuldades no final, por essa razão, Thibaut Pinot, que foi 2º classificado em 2016, sai penalizado, mas continua a ser um dos favoritos.
De entre os franceses, destaque para Tony Gallopin, que tem aqui um percurso bem à sua medida, duro, mas sem ter alta-montanha. 
Arthur Vichot é outro que gosta deste tipo de perfil, em 2016 foi 7º.  
Samuel Dumoulin costuma ser uma dos ciclistas a brilhar nas provas francesas, com diversas vitórias no currículo. No ano passado, não lhe correram bem as coisas nesta prova, mas este ano chega como a principal aposta da Ag2R-La Mondiale.
Julien Simon é outro nome a seguir, habitualmente obtém bons resultados nas provas franceses, não sendo um percurso muito fácil para ele, é no entanto, uma das principais apostas da Cofidis para esta prova. Jonathan Hivert acabou 2016 a fazer bons resultados nas clássicas de outono italianas.
A Fortuneo-Vital Concept, apresenta-se com uma boa equipa, a aposta principal deve ser em Maxime Bouet, que neste tipo de percursos é um ciclistas competente.
Dos não-franceses, destaque para os belgas Dimitri Clayes e Timothy Dupont e o italiano Mauro Finetto. São ciclistas que gostam deste tipo de clássicas e já com alguns resultados interessantes. A armada da Lotto-Soudal também é de respeito, além do já falado Tony Gallopin, estarão presentes: Jens DebusschereTosh Van der Sande e Maxime Monfort, num grupo muito forte. No entanto, achamos que o percurso é demasiado duro para os dois primeiros.

***** Tony Gallopin
**** Samuel Dumoulin, Thibaut Pinot, Dimitri Clayes
*** Arthur Vichot, Julien Simon, Timothy Dupont, Mauro Finetto
** Jonathan Hivert, Jens Debusschere, Tosh Van der Sande, Maxime Bouet
* Lilian Calmenaje, Rudy Molard, Angel Madrazo, Armindo Fonseca, Alexander Geniez, Maxime Monfort

A nossa aposta: Tony Gallopin
Outsider: Samuel Dumoulin

Seguir em directo: #GPLM2017; @lamarsweb

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário