Dubai Tour (2.HC) - Antevisão


Enquanto na Europa, as condições climatéricas ainda são 'agrestes', os ciclistas encontram no Dubai uma boa oportunidade para ganharem ritmo competitivo num clima bem mais agradável.
Este ano, disputa-se a 4ª edição do Dubai Tour, prova criada pela RCS, a mesma entidade que organiza o Giro d'Italia, com o objetivo de promover a modalidade na região. Depois do Dubai, parte do pelotão internacional estará no Omã e Abu Dhabi, sendo que esta última passou a fazer parte da categoria máxima. De lembrar, que o Tour do Qatar também era para ser realizado neste período da temporada e também tinha passado para o World Tour, mas entretanto foi cancelado.

A prova é ideal para os homens rápidos e a prova disso são os vencedores das três edições anteriores serem: Taylor Phinney, Mark Cavendish e Marcel Kittel.




História
2014 Taylor Phinney (USA) BMC Racing Team
2015 Mark Cavendish (GBR) Etixx–Quick-Step
2016 Marcel Kittel (GER) Etixx–Quick-Step 

Edição 2016 (Top-10)
1    Marcel Kittel (Ger) Etixx - Quick-Step    14:46:54   
2    Giacomo Nizzolo (Ita) Trek-Segafredo    0:00:04   
3    Juan Jose Lobato Del Valle (Spa) Movistar Team    0:00:06   
4    Silvan Dillier (Swi) BMC Racing Team    0:00:16   
5    Gorka Izaguirre Insausti (Spa) Movistar Team    0:00:23   
6    Philippe Gilbert (Bel) BMC Racing Team    0:00:25   
7    Fabian Cancellara (Swi) Trek-Segafredo        
8    Daniele Bennati (Ita) Tinkoff Team    0:00:28   
9    Davide Rebellin (Ita) CCC Sprandi Polkowice        
10    Soufiane Haddi (Mar) Skydive Dubai Pro Cycling Team - Al Ahli Club    0:00:29

Percurso
4 etapas disputadas de 31 de janeiro a 4 de fevereiro.
Etapa 1 - 31 de janeiro: Dubai - Dubai, 181 Kms
Etapa 2 - 1 de fevereiro: Dubai - Ras al Khaimah 188 Kms
Etapa 3 - 2 de fevereiro: Dubai - Al Aqah, 200 Kms
Etapa 4 - 3 de fevereiro: Dubai - Hatta Dam, 172 Kms
Etapa 5 - 4 de fevereiro: Dubai - Dubai, 124 Kms
Total: 865 Kms

A edição de 2017, tem mais uma etapa do que as edições anteriores. A prova é ideal para os sprinters, com a lista de vencedores a provar isso mesmo. A etapa mais decisiva, será mais uma vez, a chegada a Hatta Dam, no entanto, nas edições anteriores, não impediu os sprinters ficassem de fora da luta pela geral.
O único factor que pode alterar a prova neste tipo de terreno, são as condições climatéricas, nomeadamente o vento.

Perfis e Mapas



Etapa 1 - 31 de janeiro: Dubai - Dubai, 181 Kms


No primeiro dia, os ciclistas percorrerão alguns lugares bem conhecidos deles, até porque costumam treinar antes da prova por alguns locais que atravessarão neste dia (nomeadamente a 'ciclovia' de Al Qudra e o Camel Track). 
Também passarão por alguns dos locais com os projectos urbanísticos mais ambiciosos do Dubai: Jumeirah Golf Estates, Jumeirah Islands e um dos maiores ícones, a Palm Jumeirah, que servirá de fundo para o sprint.


Etapa 2 - 1 de fevereiro: Dubai - Ras al Khaimah 188 Kms


A 2ª etapa irá percorrer 4 diferentes Emirados: Sharjah, Ajman, Umm al-Quwain e Ras Al Khaimah. Na primeira parte da etapa, passarão pelo Dubai Design District e Sharjah University, já na segunda, irão atravessar o complexo de ilhas de Al Marjan, com as suas quatro ilhas artificiais: Breeze, Treasure, Dream e View Island.


Etapa 3 - 2 de fevereiro: Dubai - Al Aqah, 200 Kms


Na 3ª etapa, os corredores passarão nos Kms iniciais pelo Dubai Silicon Oasis, indo depois em direção a Al Malahia e Fujarah, onde encontram o Ocenao Índico e virarão em direção ao final, sempre ao longo da costa, até Al Aqah.
Tal como nos dias anteriores, é uma etapa completamente plana, onde apenas o vento pode fazer com que a corrida seja mexida a sério.

Etapa 4 - 3 de fevereiro: Dubai - Hatta Dam, 172 Kms



A 4ª etapa, é aquela que decidirá o vencedor. Se alguns dos sprinters aguentarem a subida final, serão eles a disputar a vitória na geral. 
Mas antes do final, há duas subidas curtas, mas duras, com inclinações máximas de 11 e 10%. Uma delas situa-se a 11 470 metros da meta e a outra a 9 600 metros.
A subida final, tem apenas 200 metros de extensão, mas com inclinações a rondar os 12 a 17%. 

Etapa 5 - 4 de fevereiro: Dubai - Dubai, 124 Kms


A última etapa disputa-se toda na cidade de Dubai. São 124 Kms a percorrer os lugares mais icónicos da cidade: Meydan Racecourse (casa da corrida de cavalos mais rica, o Dubai World Cup), Mushrif Park, Al Mamzar, Deira, Port Rashid e a Union Flag. O sprint final será realizado com o maior arranha-céus do mundo, Burj Khalifa, como pano de fundo.

Startlist
Aqui

Favoritos
A história diz-nos que esta prova é feita para os sprinters. Com apenas um dia a ser adequado a puncheurs e mesmo nessa etapa, não é habitual os puro sangue do sprint perder muito tempo.
De entre os sprinters, destaque para John Degenkolb, que ultrapassa melhor dificuldades como aquelas que aparecem na 4ª etapa, no entanto, nas etapas planas, está um patamar abaixo de Kittel e Cavendish.
Tal como em 2016, espera-se um duelo entre Marcel Kittel e Mark Cavendish, na altura ganho pelo alemão, mas depois no Tour, a história seria diferente. 
Numa segunda linha aparece o jovem holandês, Dylan Groenewegen, um sprinter que em 2016 obteve algumas vitórias e este ano espera dar mais um passo em frente na sua evolução na hierarquia do sprint.
Entre os ciclistas que estão num limbo, entre o sprinter e o puncheur, realce para o italiano Sonny Colbrelli, que se estreia pela sua nova equipa, a Bahrain-Merida e certamente quer já mostrar serviço. Juan Jose Lobato, também se estreia com a camisola da LottoNL-Jumbo, é um bom finalizador, mas que é também capaz de disputar a chegada a Hatta Dam.
Gianni Moscon, é um dos jovens italianos de maior valor. A Sky terá para as chegadas ao sprint, Elia Viviani, mas o italiano será a aposta para a 4ª tirada e para a geral.
Julian Alaphilippe e Matteo Trentin estarão numa segunda linha da Quick-Step Floors, caso Kittel falhe.
Silvan Dillier e Jempy Drucker mão são nomes de topo, mas serão eles as apostas da BMC. 
Uma última referência para Sacha Modolo, que se estreia com a camisola da UAE Abu Dhabi, terá como lançadores, Simone Consonni e Roberto Ferrari.

***** Marcel Kittel
**** Mark Cavendish, John Degenkolb
*** Juan Jose Lobato, Dylan Groenewegen, Sonny Colbrelli
** Julian Alaphilippe, Gianni Moscon, Sacha Modolo
* Elia Viviani, Matteo Trentin, Silvan Dillier, Carlos Barbero

A nossa aposta: Marcel Kittel
Vencedor da edição de 2016 e espera voltar a repetir a mesma performance este ano. Terá uma equipa muito forte a apoiar, com Trentin, Martinelli e Sabatini a fazer parte do comboio, a nosso ver parte em vantagem em relação a Cavendish. O inglês em teoria será o grande adversário.

Outsider: John Degenkolb
Na nossa opinião será o grande favorito para triunfar na etapa que acaba na Hatta Dam. Nesse dia tem de ganhar o maior tempo possível em relação a Kittel e Cavendish, porque nas etapas planas a probabilidade de os bater é menor. Estreia-se com a camisola da Trek-Segafredo, está motivado e quererá marcar já a sua posição.

Seguir em directo: @dubaitourEurosport 1

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário