Landa líder no Giro d'Itália, Giro da Sicília regressa, Degenkolb pronto para 2017

Mikel Landa na hora do adeus ao Giro d'Itália 2016
Mikel Landa será o líder da Sky no Giro d'Itália
Mikel Landa em entrevista ao site Cycling Weekly deixou claro que o seu principal objectivo para 2017 é o Giro d'Itália e que sonha com levar a camisola rosa para Espanha. Havia ainda algumas (poucas) dúvidas sobre se Froome iria participar naquela que é a 100ª edição da prova italiana, mas com as declarações de Landa essas mesmas dúvidas dissiparam-se. 
"O meu calendário será muito parecido ao desta temporada, com um grande objectivo que será brilhar no Giro d'Itália", disse Landa.
Esta será a segunda tentativa para Landa vencer o Giro com as cores da Sky. Relembramos que este ano, o espanhol teve de abandonar devido a problemas estomacais. Em 2015 foi terceiro classificado mas corria ainda pela Astana. 

Degenkolb pronto para 2017
John Degenkolb cumpriu esta temporada a última com a camisola da Giant-Alpecin. Como já se sabe há bastante tempo, em 2017 o ciclista alemão irá correr na Trel-Segafredo. 
Numa entrevista ao Cyclingnews, Degenkolb falou do futuro mas também do seu passado recente na Giant-Alpecin. O ciclista admitiu ser duro para ele separar-se dos seus companheiros com quem partilhou estes cinco anos. Foi na Giant-Alpecin que Degenkolb conseguiu os seus maiores feitos no ciclismo. "Claro que me custa, é uma grande mudança e tenho de deixar muitos amigos. Há imensas pessoas na Giant-Alpecin de quem vou sentir falta. Felizmente, o meu treinador e Koen de Kort veem comigo para a Trek-Segafredo. O mais importante será criar um ambiente familiar e cómodo para todos e estou seguro que isso nos dará grandes êxitos", disse Degenkolb.
Mas o ciclista sai da equipa um pouco amargurado: "Tivemos um grande êxito, mas às vezes pedia mais apoio para as clássicas e não o conseguia. A equipa sempre funcionou bem para mim, mas não me agrada o caminho que seguiram. Não obstante, sou o responsável se obtenho os resultado ou não. Se não tenho influência sobre quem me acompanha nas provas, as coisas não podem ser perfeitas. Na Trek-Segafredo posso ser um ciclista melhor do que sou agora, a minha actual equipa, por algum razão não queria isso". 
Sobre uma possível comparação com Cancellara, Degenkolb disse: "Não sou um substituto de Cancellara porque sou um ciclista diferente. No entanto o nosso calendário de clássicas é parecido. Mas pressão de puder ser comparado com o Fabian não é nenhum problema para mim."

Giro da Sicília regressa 40 anos depois 
Após 40 anos de ausência, o Giro da Sicília regressa. A prova foi apresentada oficialmente ontem em Palermo e é organizada e patrocinada Gabinete Regional de Turismo. 
As datas para a realização do evento só serão anunciadas a 28 de Fevereiro. Mas já é certo que haverá a prova masculina com seis etapas, haverá também uma prova feminina, uma prova turística para amadores que irá dar a conhecer vários locais protegidos pela UNESCO e uma prova destina a pessoas com alguma deficiência ou portadores de diabetes, dividida em várias categorias. 
Será um evento para promover a Sicília como destino turístico: "Com esta corrida queremos recordar toda a história do ciclismo siciliano a nível internacional e promover uma nova viagem cultural na ilha. O total de prémios em dinheiro deve ser de cerca de quatrocentos mil euros. Queremos ter maior visibilidade na Ásia porque é a vaga mais importante de turistas a nível internacional", afirmou o comissário Anthony Barbagallo.

Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário