Giro 2016 - Antevisão 10ª Etapa

Após um dia de descanso, a 10ª etapa prevê-se bastante complicada. Será a segunda chegada em alto da edição deste ano do Giro d'Itália e, apesar de apenas ter quatro contagens de montanha, o percurso complicado, quase sem partes planas.
Perfil 10ª etapa

Esta é uma etapa de média montanha, com dificuldade acentuada. Os ciclista terão de passar por quatro contagens de montanha, mas para além disso, o restante percurso é um sobe e desce constante. 
Cerca de 22 quilómetros depois da partida, os ciclistas irão enfrentar a primeira contagem de montanha do dia, a subida para Passo della Collina, serão 12,7 quilómetros de extensão à pendente média de 5,3% (contagem de montanha de 3ª categoria). Logo a seguir à sua descida aparece nova contagem de montanha, mais uma vez categorizada como 3ª categoria. A subida para Pietracolora é um pouco mais curta que a anterior (8,7 quilómetros) mas a pendente média é um pouco mais elevada com 6,1%. A sua descida é bastante técnica, se estiver de chuva pode tornar-se complicado. 
De seguida, os ciclistas encontrarão cerca de 70 quilómetros de sobe e desce até que, a 32 quilómetros da meta começa nova subida para uma nova contagem de montanha. A ascensão para Pian del Flaco tem 16,3 quilómetros à pendente média de 5,2%, a sua maior dificuldade encontra-se a 4 quilómetros de terminar com rampas bem mais acentuadas. A descida é bastante complicada e depois de feita, o pelotão voltará a subir até encontrar a meta. Será a última contagem de montanha do dia, 3ª categoria com 7,45 quilómetros a 5%.

Parte final da etapa

Perfil da subida a Pian del Falco
Perfil da subida a Sestola

Cidade de partida: Campi Bisenzio


Campi Bisenzio foi durante séculos uma região agrícola e só mais recentemente foi distinguida como zona industrial e urbana. 
O trabalho de restauro e valorização cultural tem sido muito importante para a cidade. Tal como a reorganização ambiental com o aparecimento de parques e oásis.
Para os turistas que gostam de história, os museus da cidade são um óptimo cartão de visita.


Cidade de chegada: Sestola



A história de Sestola está ligada à da sua fortaleza construída há imensos anos e reconstruída várias vezes desde o século XVI.
Antigamente Sestola era uma vila rural mas, desde o final do século XIX que se tornou numa cidade. Agora é uma zona turística muito movimentada quer de verão, quer de inverno. A sua pista de esqui atrai imensos turistas no inverno, no verão são os lagos e as quedas de água os mais procurados.

Condições atmosféricas
Etapa que decorrerá sob temperaturas agradáveis, a rondar os 20 ºC. Mas não será de espantar se os ciclistas apanharem alguns aguaceiros durante o percurso. O vento não será problema, irá soprar fraco.


Favoritos:
Amanhã é uma etapa ideal para uma fuga vingar. No grupo dos favoritos, alguns dos favoritos deverão atacar, principalmente quem se encontra atrasado na classificação geral, homens como , Chaves, Pozzovivo, Uran, Zakarin e Ryder Hejesdal.

*** Fuga (Betancur, Wellens, Visconti, Anton, Plaza, De Marchi, André Cardoso, Bongiorno, Dombrowski)
** Jakob Fuglsang, Mikel Landa, Alejandro Valverde, Ilnur Zakarin, Esteban Chaves, Vincenzo Nibali
* Steven Kruijswijk, Rafal Majka, Rigoberto Uran, Domenico Pozzovivo, Gianluca Brambilla, Tom Dumoulin, 

A nossa aposta: Carlos Betancur (Fuga)
O colombiano da Movistar já está longe da geral e tem liberdade para incorporar uma fuga. A sua forma tem vindo a melhorar ao longo da temporada, com a sua explosão e capacidade de subir, esta é a etapa ideal para ele, com um final à sua medida.
Outsider: Ilnur Zakarin
Se uma fuga não conseguir ter sucesso, a nossa aposta vai para o russo da Katusha, por dois motivos. O primeiro é que Zakarin perdeu tempo no contrarrelógio, tem de atacar para recuperar o tempo perdido. O segundo é que depois do que aconteceu na 9ª etapa, o russo deve querer esquecer aquele péssimo dia e nada melhor que vencer a etapa.

Seguir em directo: #giro, Eurosport 1, @giroditalia

Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário