Giro 2016 - Antevisão 11ª Etapa

 A 11ª etapa é mais uma oportunidade para o sprinters brilharem, com o percurso a ser praticamente plano até aos últimos 30 Kms do dia.

Perfil 11ª etapa
A etapa é plana, mas o final é bastante interessante. A etapa parte de Modena e atravessarão o Vale do Pó, sendo que os 200 Kms iniciais são completamente planos sem qualquer dificuldade.
Mas os 27 Kms finais são interessantes e podem baralhar as coisas para os sprinters. A subida de Forcella Mostaccin (2.9 Km a 7,8%, GPM 4) é a primeira dificuldade, o topo situa-se a 19 Kms da meta. Depois de uma curta descida, aparece uma curtta subida, Monfumo (1.3 Km a 5,8%), que fica a 13 Kms da meta. A subida final situa-se a caminho do centro histórico de Asolo (1.45 Km a 6%), que situa-se a 3.5 Kms da meta. Apartir daí é uma descida e terreno plano até à meta.

Parte final da etapa

Perfil da subida a Forcella Mostaccin

Cidade de partida: Modena


Modena é uma cidade rica em história e tradições. O ponto mais visitado da cidade é a Piazza Grande  que foi considerada Património Mundial pela UNESCO. A Piazza Grande é o centro da cidade onde podemos visitar o Duomo, a Ghirlandina e a Câmara Municipal.
Merecedor de grande atenção é, também, o Palazzo Ducale, a agora sede da Academia Militar, foi durante séculos o tribunal de Modena.
A nível gastronómico, Modena é muito famoso pelo vinagre de Modena D.O.P. e pelo queijo Parmigiano D.O.P. Dois dos cartões de visita da gastronomia italiana.

Cidade de chegada: Asolo



"A cidade de uma centena de horizontes" foram estas as palavras do poeta Giosuè Carducci para definir Asolo.
Esta é uma das mais belas e encantadoras cidade de Itália. Com muitos anos de história, Asolo mantém o seu aspecto medieval, com uma muralha a circundar o povoado. Mantém também a antiga fortaleza, data do século XII e localizada no cima do Monte Ricco, com vista para a cidade.  

Condições atmosféricas

Vento inexistente. Temperaturas a rondar os 20 ºC durante toda a etapa, com o Sol a marcar presença. Condições perfeitas para pedalar.



Favoritos
A etapa é ideal para que um ataque perto do final tenha sucesso, mas também pode acabar num sprint em massa, caso os sprinters e as equipas deles consigam controlar a corrida. As dificuldades não são demasiado complicadas, mas podem fazer mossa, ao fim de 200 Kms nas pernas e de 10 dias de prova.

*** Sonny Colbrelli, André Greipel
** Giacomo Nizzolo, Diego Ulissi, Sacha Modolo, Caleb Ewan
* Kristian Sbaragli, Giovanni Visconti, Arnaud Démare, Matteo Trentin

A nossa aposta: Sonny Colbrelli
Tanto pode vencer a etapa num sprint, como num ataque perto do final. Por essa razão é a nossa aposta. Esta versatilidade permite-lhe mais opções e este é um dos dias em que poderá aproveitar um percurso à sua medida.
Outsider: Diego Ulissi
Já venceu uma etapa e tem aqui mais uma oportunidade. Um ataque dele nos últimos Kms é bem provável que aconteça. Além disso o italiano da Lampre não é um mau finalizador, embora a equipa para o sprint tenha em Modolo a sua arma neste Giro.

Seguir em directo: #giro, Eurosport 1, @giroditalia

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário