Rescaldo da Volta ao Algarve 2016

Pódio da Volta ao Algarve 2016
1ª Etapa
Primeira etapa da Volta ao Algarve, com saída de Lagos e chegada a Albufeira num total de 163,6 quilómetros. Previa-se uma etapa clássica, sem grandes dificuldade e de chegada ao sprint. Aos 4 quilómetros iniciou-se a fuga do dia com Alexandr Kolobnev (Gazprom-RusVelo), Kamil Gradek (Verva ActiveJet) e o português Domingos Gonçalves (Caja Rural). Raul Alarcon (W52-FCPorto-Porto Canal) tentou seguir os três fugitivos, mas estes foram mais fortes e acabou por regressar ao pelotão.
A fuga chegou a ter 8 minutos de vantagem sobre o pelotão, mas após o trabalho das equipas Etixx-QuickStep e Lotto Soudal, o trio da dianteira foi alcançado a 10 quilómetros da meta.
A parte final da etapa foi um pouco acidentada com a ocorrência de duas quedas.
No sprint final a luta foi dos germânicos e Marcel Kittel levou a melhor sobre André Greipel. Seguindo-se Jasper Stuyven (Trek-Segafredo) na terceiro posição. Kittel foi assim o primeiro ciclista a vestir de amarelo na Volta ao Algarve 2016.

2ª Etapa
No segundo dia de competição no Algarve os olhos estavam postos nos trepadores. A etapa que começou em Lagoa com chegada a Fóia previa-se dura, tanto pelo terreno como pela distância (quase 200 quilómetros). 
Logo nos momentos iniciais formou-se a fuga com sete elementos, entre eles o português Ricardo Mestre (W52-FCPorto- Porto Canal). Graças, principalmente ao trabalho da equipa Tinkoff Saxo, a fuga foi anulada ao quilómetro 150. 
Já em plena subida para o alto da Fóia, Zdenek Stybar (Etixx-QuickStep) foi o primeiro a "animar" a corrida. Seguiram-se a ele, Nelson Oliveira (Movistar), Paolo Tiralongo (Astana) e Robert Gesink (LottoNL-Jumbo), os quatro fizeram juntos uma boa parte da subida até à Fóia. Na fase final da subida fez-se sentir muito vento o que não abonou a favor dos ciclistas. 
As tentativas de ataque eram constantes. Entre os ciclistas que tentaram a sua sorte, temos de destacar o português Amaro Antunes (LA Alumínios) que fez uma excelente subida. Mesmo na parte final e, quando se pensava que Geraint Thomas (Team Sky) ia para a vitória, Luis León Sánchez (Astana) aparece de trás e corta a meta em primeiro lugar arrecadando assim a vitória na etapa e a liderança na classificação geral.
Alberto Contador (Tinkoff-Saxo) não conseguiu acompanhar o ritmo imposto pela concorrência, acabando assim na 21º posição a 24 segundos do vencedor.
Esta etapa fica também marcada pela desistência por doença de Joaquim Rodríguez (Team Katusha). 

3ª Etapa
Para a 3ª etapa desta Volta ao Algarve estava reservado um contrarrelógio individual com 18 quilómetros.
A ansiedade para ver o duelo Tony Martin (Etixx-QuickStep) e Fabian Cancellara (Trek-Segafredo) era muita. 
Sagres foi o palco desta etapa que se previa decisiva para o resultado final da Volta ao Algarve. Este contrarrelógio teve de tudo, uma parte inicial algo técnica, momentos mais calmos e o vento no cabo de São Vicente. Um dos momentos marcantes da etapa foi a queda de Luis León Sánchez (Astana) que abandonou a prova por esse motivo.
No final, Fabian Cancellara (Trek-Segafredo) levou a melhor sobre Tony Martin (Etixx-QuickStep), terminando os 18 quilómetros do contrarrelógio em 20 minutos e 57 segundos, menos 5 segundos do que o ciclista alemão da equipa Etixx-QuickStep. Por outro lado, Tony Martin era o novo camisola amarela  
De destacar a equipa Movistar que conseguiu colocar quatro ciclistas no top 10 da etapa. 

4ª Etapa
A 4ª etapa da Volta ao Algarve partiu de S. Brás de Alportel com chegada a Tavira. O dia convidava o público a sair à rua e este não se fez de rogado enchendo assim, não só as ruas de Tavira, mas também o restante percurso.
Uma etapa de quase 200 quilómetros dos quais, os primeiros 80 tinham alguma dificuldade com duas contagens de montanha de 3ª categoria. A segunda parte da etapa mais calma com uma chega prevista ao sprint.
Esta era então a segunda oportunidade para os sprinters se mostrarem e por isso esperava-se mais um duelo entre os alemães Marcel Kittel (Etixx-QuickStep) e André Greipel (Lotto Soudal).
Logo no inicio formou-se uma fuga com três elementos, Ivan Savitskii (Gazprom-RusVelo), Charles Planet (Novo Nordisk) e Adam Stachowiak (Verva ActiveJet). Mais tarde juntou-se a estes três elementos o ciclista Guillaume Almeida (Rádio Popular-Boavista). A fuga foi completamente anulada à passagem do quilómetro 185. 
Entretanto um dos favoritos à vitória da etapa, André Greipel (Lotto Soudal) sofreu uma queda ficando um pouco maltratado o que condicionou o seu desempenho nos restantes quilómetros até à meta. 
No sprint final Marcel Kittel (Etixx-QuickStep) saiu vitorioso, levando assim a sua segunda vitória na Volta ao Algarve 2016. Samuel Caldeira (W52-FCPorto-Porto Canal) foi o melhor português do dia, terminando a etapa num fantástico 9º lugar.
A camisola amarela permaneceu no corpo de Tony Martin (Etixx-QuickStep).

5ª Etapa
A última etapa da edição de 2016 da Volta ao Algarve reservava-nos a já mítica chegada ao Alto do Malhão. Com partida de Almodôvar, esperava-se uma etapa dura, decisiva e, diga-se que não desiludiu.
Mais uma vez o tempo convidava e o público aderiu. Eram milhares de pessoas na estrada a apoiar os ciclistas. 
Como tem sido habitual, logo no início da etapa formou-se a fuga do dia com nove unidades, Simon Pellaud (IAM Cycling), Anton Vorobyev (Katusha), Dylan Groenewegen (Lotto NL-Jumbo), Yaroslav Popovych (Trek-Segafredo), Jan Bárta (Bora-Argon 18), Luis Mas (Caja Rural-Seguros RGA), Alexandr Kolobnev (Gazprom-RusVelo), Filipe Cardoso (Efapel) e Carlos Jiménez (Rádio Popular-Boavista). O trabalho das equipas da Movistar e da Tinkoff-Saxo fez com que a fuga fosse completamente anulada ao quilómetro 139.
Foi uma etapa complicada para o camisola amarela, Tony Martin que sentiu imensas dificuldades e logo na primeira passagem pelo Alto do Malhão já estava descolado do grupo principal, acabando mesmo por perder cerca de 18 minutos.
Na segunda passagem pela subida ao Alto do Malhão as emoções eram muitas e o público contribuía. O primeiro a estimular a corrida foi Rigoberto Uran (Cannondale) que atacou deixando todos para trás, excepção feita a Alberto Contador (Tinkoff-Saxo) que respondeu ao seu ataque. Mas a verdadeira resposta chegou depois quando Contador acelerou deixando Uran "pregado" à estrada, sem reacção possível.
Alberto Contador pedalou para uma vitória espectacular na etapa. Fabio Aru (Astana) foi segundo classificado e Thibaut Pinot (FDJ) foi terceiro, ambos a 20 segundos de El Pistolero. O português Amaro Antunes (LA Alumínios) fez um fantástico quarto lugar na etapa, o que o levou ao sétimo posto da classificação geral.
No final das contas Geraint Thomas (Sky) subiu ao primeiro lugar do pódio, levando para casa o troféu da vitória da Volta ao Algarve 2016. Ion Izagirre (Movistar) e Alberto Contador (Tinkoff-Saxo) chegaram o top 3 desta edição da algarvia.

Principais Figuras
Geraint Thomas
Vencedor em 2015, chegava à edição deste ano como o líder da equipa e cumpriu essa missão de forma perfeita, ao repetir o triunfo na geral.
Na subida para a Foia esteve perto de vencer, mas Luis León Sánchez retirou-lhe mesmo no final a vitória. No contrarrelógio individual na 3ª etapa, o galês a meio do percurso estava com o mesmo tempo de Fabian Cancellara, vencedor da etapa, mas na segunda metade perdeu 28 segundos.
Na 5ª e última etapa, Thomas era o grande favorito a vencer a geral, estava apenas a 3 segundos de Tony Martin, que dificilmente aguentaria no Malhão. E isso aconteceu, porém Thomas não conseguiu acompanhar Contador, nem Aru e Pinot, mas limitou as perdas e acabaria com a amarela.

Marcel Kittel
O alemão está a ter um inicio de temporada brilhante, com quatro vitórias de etapas e a conquista geral no Dubai. Kittel chegava à Volta ao Algarve com o desafio de tentar derrotar André Greipel, que no último ano tinha sido  o sprinter mais consistente e forte e que tinha começado o ano em grande forma, no Challenge de Maiorca.
O duelo foi ganho claramente por Kittel, que na 1ª etapa não deu qualquer hipóteses a Greipel e na 4ª, o ciclista da Lotto-Soudal teve o azar de cair, que o impediu de lutar pela etapa, ganha com uma facilidade tremenda por Kittel, que neste momento é claramente o sprinter mais forte do pelotão.

Fabian Cancellara
No dia em que se tinha de mostrar, correspondeu e venceu o contrarelógio individual, batendo o seu grande rival nesta especialidade, Tony Martin.
O suiço em Sagres, voou baixinho, numa actuação brilhante que confirmou o bom inicio de temporada, naquele que poderá ser o último ano como profissional.

Tony Martin
Apesar de não ter ganho o contrarelógio, chegou à última etapa como líder da corrida. Com actuações de qualidade na Foia e no contarrelógio, o alemão não confirmaria no Malhão e cedo na etapa deixou de lutar pela geral, acabando a 18 minutos. 
Porém, mais uma boa Volta ao Algarve por parte do alemão.

Alberto Contador
O espanhol já tinha vencido esta prova por duas ocasiões e chegava ao Algarve depois de 7 meses sem competir. Na 2ª etapa, na penúltima montanha estava a dar sinais positivos, ao passar na frente no Alto da Pomba, mas na Foia no último quilómetro ficou para trás, deixando algumas dúvidas.
No contrarrelógio, a sua prestação foi dentro do esperado, não esteve ao nível dos melhores especialistas (Cancellara e Martin), mas também não esteve tão longe.
No Malhão, a história foi diferente, deu espectáculo, deixou toda a gente pregada à estrada, fez o melhor tempo de sempre nesta subida, demonstrando que está no bom caminho na sua preparação.

Luis León Sánchez
Com um inicio de temporada muito bom, o espanhol chegava ao Algarve no apoio a Aru. Na Foia surpreendeu toda a gente e sobretudo Geraint Thomas, que já não esperava que alguém lhe retirasse a vitória de etapa, mas o homem da Astana foi melhor.
Chegava ao contrarrelógio na liderança da prova, numa especialidade em que é muito forte. Porém o imprevisto aconteceu, numa parte do percurso, o corredor da Astana corta demasiado a curva, passa por uma zona de gravilha e cai. O resultado foi o abandono da prova, num dos momentos mais importantes e azarados desta Volta ao Algarve.

Amaro Antunes
Foi a grande sensação da prova e o melhor representante do pelotão português. Com uma prestação notável, poderá ter assegurado um contrato numa equipa Pro-Continental ou World Tour para 2017.
Na Foia e no Malhão, o algarvio esteve simplesmente fantástico, sendo o melhor português e acabando num brilhante 10º lugar da geral individual.

Primoz Roglic
Por incrivel que pareça, Roglic era saltador de esqui, decidiu mudar de desporto e escolheu o ciclismo. Esta  Volta ao Algarve mostrou um ciclista de qualidade, que foi consistente na montanha e limitou as perdas no contrarrelógio. 
É sem dúvida para continuar a acompanhar.

Classificações
Geral
1 Geraint Thomas (GBr) Team Sky 18:34:15
2 Jon Izaguirre Insausti (Spa) Movistar Team 0:00:19
3 Alberto Contador Velasco (Spa) Tinkoff Team 0:00:26
4 Thibaut Pinot (Fra) FDJ 0:00:32
5 Primož Roglic (Slo) Team LottoNl-Jumbo 0:00:49
6 Tony Gallopin (Fra) Lotto Soudal 0:00:50
7 Ilnur Zakarin (Rus) Team Katusha 0:01:03
8 Jarlinson Pantano Gomez (Col) IAM Cycling 0:01:04
9 Fabio Aru (Ita) Astana Pro Team 0:01:25
10 Manuel Antures Amaro (Por) La Aluminios/Antarte 0:01:27

Pontos
1 Marcel Kittel (Ger) Etixx - Quick-Step 50 pts
2 Geraint Thomas (GBr) Team Sky 30
3 Alberto Contador (Spa) Tinkoff Team 25
4 Thibaut Pinot (Fra) FDJ 24
5 Primoz Roglic (Slo) Team LottoNl-Jumbo 24

Montanha
1 Alexander Kolobnev (Rus) Gazprom-Rusvelo 15 pts
2 Alberto Contador (Spa) Tinkoff Team 12
3 Geraint Thomas (GBr) Team Sky 8 

Juventude  
1 Tiesj Benoot (Bel) Lotto Soudal 18:36:54
2 Hector Saez (Spa) Caja Rural-Seguros RGA 0:02:14
3 Victor Etxebarria (Spa) Radio Popular-Boavista 0:11:10

Equipas
1 Team Katusha 55:48:39
2 Astana Pro Team 0:00:56
3 Caja Rural-Seguros RGA 0:02:12
4 Cannondale Pro Cycling 0:06:04
5 Movistar Team 0:06:46

* Foto retirada de: http://voltaaoalgarve.com/

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário